1. ArchDaily
  2. Urban Sprawl

Urban Sprawl: O mais recente de arquitetura e notícia

Seriam os subúrbios as cidades do futuro?

Os subúrbios americanos—como os conhecemos hoje—estão mudando, e embora esta transformação já esteja em curso a algum tempo, sua situação foi decisivamente agravada pela corrente pandemia. Em um momento em que temos sido convidados a passar mais tempo em casa do que talvez gostaríamos, passamos a reavaliar nossas próprias prioridades e a questionar o nosso atual modo de vida. Como consequências disso, boa parte dos habitantes das grandes cidades nos Estados Unidos, a qual historicamente se concentra em áreas urbanas, está se deslocando para o interior de forma aparentemente definitiva. Por assim dizer, estamos testemunhando um recente fenômeno de esvaziamento dos grandes centros do país, com a população urbana deixando as cidades em em busca de melhores condições de vida, neste caso, mais espaço, privacidade e tranquilidade. Acontece que, com o passar dos anos, os subúrbios americanos caíram nas graças da classe média, transformando-se na principal vertente de expansão urbana no país.

"Ciphers", por Christoph Gielen: Vistas aéreas do espraiamento das cidades americanas

Do editor. As vistas aéreas de Christoph Gielen oferecem um olhar sobre as formas mais aberrantes e incomuns de espraiamento urbano na América de um modo que normalmente não conseguimos vê-las: de cima - uma vantagem que revela tanto a geometria intrincada como o fascínio idiossincrático destas evoluções. Aqui, deparar-nos com o espraiamento se torna uma experiência estética que ao mesmo tempo nos deixa com uma sensação de agouro, de estarmos vendo a "escrita numa parede". Fascinante e ao mesmo tempo profundamente inquietante, estas fotografias detalham as potenciais ramificações de uma urbanização descontrolada. Quando estes assentamentos foram construídos, nem a distância até o trabalho nem o preço da gasolina interessavam muito na escolha dos locais das novas construções. Estes lugares são relíquas de uma era que foi inteiramente definida pela crença no crescimento ilimitado, no "maior é melhor". A alarmante extensão destas práticas, e seus inerentes desperdícios, são trazidos à luz nas fotografias de Gielen - como se olhássemos para um microcosmo de insustentabilidade através de uma lupa gigante.

Ensaios de Johann Frederik Hartle, Galina Tachieva, Srdjan Jovanic Weiss, Susannah Sayler e Edward Morri ajudam a contextualizar a obra de Gielen, focando em diversos aspectos, como estética, mudança climática e futurologia. Eles também examinam o porquê olhar estas fotografias de perto é particularmente crucial neste momento, quando vivemos uma nova onde de construções em países em desenvolvimento como a China.