1. ArchDaily
  2. Olimpíadas De Tóquio 2020

Olimpíadas De Tóquio 2020: O mais recente de arquitetura e notícia

Airbnb promove visita guiada com Kengo Kuma ao estádio olímpico de Tóquio 2020

Em parceria com o arquiteto japonês Kengo Kuma, o Airbnb está organizando uma experiência arquitetônica única e sem precedentes. Lançado como uma espécie de evento, o site recebeu milhares de reservas, mas como haviam apenas cinco vagas exclusivas, a gigante dos serviços de hospedagem precisou escolher por sorteio os cinco felizardos que acompanharão Kengo Kuma em uma visita guiada ao novo estádio Olímpico de Tóquio, projetado para os jogos de 2022. O renomado arquiteto está colaborando com o Airbnb para oferecer esta experiência exclusiva, que além da "visita às obras do estádio olímpico, contará com um encontro informal em seu próprio escritório, onde os sorteados poderão conhecer de perto o trabalho do célebre arquiteto".

Planejado para o dia 31 de julho deste ano, as vagas para o evento já estão esgotadas. A ideia da empresa de hospedagem é oferecer uma experiência única para aqueles que sempre sonharam em conhecer de perto o trabalho de um dos mais importantes arquitetos do mundo.

Estádio Nacional de Tóquio de Kengo Kuma começa a ser construído

Foi iniciada a construção do projeto de Kengo Kuma para o Estádio Olímpico Nacional de Tóquio 2020, um ano após a proposta ter sido selecionada para substituir o projeto original de Zaha Hadid e três anos e meio antes da cerimônia de abertura do evento em 24 de julho de 2020.

Kengo Kuma nega acusações de cópia do projeto de Zaha Hadid para o Estádio Nacional de Tóquio

A notícia mais recente em relação ao Estádio Nacional de Tóquio diz respeito a Kengo Kuma e sua resposta contra as alegações de Zaha Hadid sobre as "similaridades" dos dois projetos, insistindo que seu "conceito é completamente diferente". Segundo o Architects' Journal, o arquiteto japonês concorda que há algumas similaridades naturais devido à legislação e ao entorno, no entanto, o projeto e conceito atuis são radicalmente diferentes.

"Acredito que o projeto de Zaha Hadid era excelente, com uma forma única que demonstrava sua filosofia", comentou Kuma em uma conferência de imprensa. "Quando consideramos que o projeto está sendo criado no mesmo terreno, com as mesmas diretrizes e sob a mesma legislação, é natural e quase automático que surgirão algumas similaridades."

"E apesar dos detalhes técnicos serem similares, o  conceito e o projeto são completamente diferentes", acrescentou. 

Kengo Kuma vence concurso para o novo Estádio Nacional de Tóquio

O escritório Kengo Kuma & Associates foi selecionado para substituir Zaha Hadid Architects no projeto do novo Estádio Nacional de Tóquio, principal equipamento das Olimpíadas de Tóquio 2020. A proposta de Kuma foi divulgada juntamente com outro projeto, de Toyo Ito, após a proposta original de Zaha Hadid ter sido descartada este ano. Segundo o The Japan Times, o projeto de Kuma venceu por pouco o de Ito baseado em nove critérios de seleção do Conselho Desportivo do Japão, tendo recebido 610 pontos contra 602 de seu rival. Respondendo às questões de escala e custo que fizeram cair a proposta de Hadid, o novo projeto terá menos de 50 metros de altura e custará ¥153 bilhões, comparados aos 70 metros e ¥252 bilhões do esquema recusado.

Conselho Desportivo do Japão divulga as duas propostas finalistas para o novo Estádio Nacional de Tóquio

O Conselho Desportivo do Japão divulgou imagens das duas propostas finalistas para o novo Estádio Nacional de Tóquio, principal equipamento das Olimpíadas de Tóquio 2020. Chamados de "A" e "B", ainda sem pistas de suas autorias, as propostas substituem o projeto de Zaha Hadid que foi recusado em julho após muita controvérsia e discussões sobre seus custos.

Segundo o The Japan Times, os dois novos projetos foram propostos por arquitetos japoneses e ambos fazem uso intenso da madeira, um aspecto que levou o arquiteto e crítico Takashi Moriyama a comentar ao jornal: "Acho que a ideia de usar madeira em grandes estruturas podem impactar globalmente a arquitetura."

Zaha Hadid desiste da segunda licitação para o Estádio Olímpico de Tóquio

Apenas duas semanas após o Conselho Japonês de Esportes ter lançado a segunda chamada de propostas para o Novo Estádio Nacional, Zaha Hadid Architects e o escritório parceiro Nikken Sekkei, se retiraram do concurso.

"É decepcionante que os dois anos de trabalho e investimento no projeto existente para um novo Estádio Nacional do Japão não possam mais ser desenvolvidos para atender às novas exigências deste novo concurso", comentou ZHA em um comunicado de imprensa.

Zaha Hadid Architects divulga vídeo de apresentação do novo Estádio Nacional de Tóquio

Em meados de julho o Primeiro Ministro do Japão, Shinzo Abe, declarou que o projeto de Zaha Hadid para o novo Estádio Nacional não seria continuado e que os planos para o estádio para as Olimpíadas e Paraolimpíadas de Tóquio "começariam do zero". Em resposta a isso, Zaha Hadid Architects divulgou um comunicado de imprensa e um link para um vídeo de apresentação de 23 minutos. O vídeo, explica o escritório, "apresenta em detalhes o projeto para o Novo Estádio Nacional, que foi desenvolvido durante mais de dois anos para ser o estádio mais compacto e eficiente para essa localidade de Tóquio. Zaha Hadid Architects recebe com prazer um novo processo licitatório para o Estádio Nacional a fim de reduzir custos e garantir o valor do investimento em termos de qualidade, durabilidade e sustentabilidade em longo prazo."

Japão autoriza a construção do Estádio Nacional de Tóquio de Zaha Hadid

Apesar das ferozes críticas em função de sua enorme escala e custos, o Estádio Nacional de Tóquio, projetado por Zaha Hadid, será enfim construído. Segundo o USA Today, o governo japonês anunciou sua decisão de dar prosseguimento ao projeto, dizendo que modificações mais profundas acarretariam em atrasos na construção.

O estádio de 80 mil lugares já passou por algumas mudanças em função da reação dos Pritzkers Toyo Ito e Fumihiko Maki; sua versão mais atual é considerada mais "eficiente, focada no usuário, adaptável e sustentável." Todavia, a controvérsia continua, já que a cidade e o governo central devem agora decidir como repartir os custos do estádio, estimados em US$ 2 bilhões.