1. ArchDaily
  2. Martha Thorne

Martha Thorne: O mais recente de arquitetura e notícia

Por que o Grafton Architects ganhou o Prêmio Pritzker 2020?

Laureadas com o Prêmio Pritzker 2020, as arquitetas irlandesas Yvonne Farrell e Shelley McNamara são conhecidas por sua abordagem projetual incisiva, ainda que delicada. Neste vídeo exclusivo para o ArchDaily, Martha Thorne, diretora executiva do Prêmio Pritzker de Arquitetura e Decana da IE School of Architecture and Design, compartilha algumas das razões que fizeram as fundadoras do Grafton Architects receberem o maior reconhecimento do nosso campo profissional.

Por que Arata Isozaki ganhou o Prêmio Pritzker 2019?

Laureado com o Prêmio Pritzker em 2019, o arquiteto japonês Arata Isozaki é incrivelmente prolífico e influente entre seus contemporâneos. Profundamente alinhado com o período de mudança e reinvenção que o Japão experimentou após a Segunda Guerra Mundial e a Ocupação Aliada, Isozaki desenvolveu uma sólida carreira em uma escala verdadeiramente global, evitando rótulos e estilos específicos ao longo de sua vida.

Sonhos em madeira: Tagliabue, Chinchilla e Pigem compartilham suas criações no "Workshop of Dreams"

Em ocasião do HAY Festival Segovia 2016, as arquitetas Benedetta Tagliabue, Izaskun Chinchilla e Carme Pigem (RCR Arquitectes) fizeram parte do projeto The Workshop of Dreams junto a Jacob Benbunan, cofundador da Saffron. Os quatro criadores foram desafiados a materializar os sonhos de outras quatro personalidades espanholas ligadas às áreas da arquitetura, gastronomia, literatura e paleontologia.

Em conversa exclusiva com o ArchDaily, as três arquitetas compartilhara suas experiências neste projeto e como foi a relação com as outras personalidades, como definiram, conjuntamente, o "problema" e a "solução" a partir de uma série de conversas no local habitual de trabalho de cada um dos envolvidos. 

Una ventana al universo Arzak / Izaskun Chinchilla para Juan Mari y Elena Arzak. Image © Uxio Da VilaTerritorio Cercas / Carme Pigem para Javier Cercas. Image © Uxio Da VilaFamilia de mesas / Benedetta Tagliabue para Martha Thorne. Image © Uxio Da VilaFactor limitante / Jacob Benbunan para Juan Luis Arsuaga. Image © Uxio Da Vila+ 5

Benedetta Tagliabue, Izaskun Chinchilla e Carme Pigem materializam os sonhos de quatro inspiradores

'Uma janela ao universo Arzak' / Izaskun Chinchilla. Imagem © Uxio Da VilaFamilia de mesas [detalhe] / Benedetta Tagliabue. Imagem © Uxio Da VilaTerritorio Cercas / RCR Arquitectes. Imagem © Uxio Da VilaFator Limitante / Jacob Benbunan. Imagem © Uxio Da Vila+ 23

Sob o título de "A oficina dos Sonhos", as arquitetas Benedetta Tagliabue, Izaskun Chinchilla e Carme Pigem (RCR Arquitectes), junto com Jacob Benbunan, co-fundador de Saffron, foram desafiadas a materializar os sonhos de quatro criadores locais, personalidades inspiradoras no âmbito da arquitetura, da culinária, da literatura e da paleoantropologia, respectivamente.

Em uma iniciativa criada por American Hardwood Export Council (AHEC), a IE School of Architecture & Design e HAY Festival Segovia, os arquitetos e designers convidados trabalharam lado a lado com seus inspiradores, sempre levando em conta a principal condição: as peças deveriam ser desenhadas unicamente em madeira, a partir do amplo catálogo de árvores dispostas pela AHEC e seriam fabricadas pelos artesãos da legendária carpinteira espanhola La Navarra.

Benedetta Tagliabue, inspirada na sabedoria técnica dos shakers de Nova York, desenhou um conjunto de mesas para Martha Thorne. Izaskun Chinchilla criou uma 'nuvem' de utensílios para a dupla de cozinheiros vascos Juan Mari e Elena Arzak. Carme Pigem desenhou uma poltrona especialmente adaptada para as atividades (e o corpo) do escritor Javier Cercas, enquanto Jacob Benbunan concebeu uma cabana móvel para o paleoantropólogo Juan Luis Arsuaga.

Quando as habitações sociais "de autor" dão errado: Os problemas do projeto Centre Village em Winnipeg

Os desafios envolvidos no projeto de habitações sociais são complexos. De acordo com declarações recentes de Martha Thorne ao The Guardian, "não basta fazer um espaço comunitário e dizer: 'as pessoas poderão ver umas as outras'... Os arquitetos realmente têm que compreender o contexto do cliente - o contexto cultural, o contexto mais amplo, econômico, o futuro dos moradores que viverão ali." Sobre o bem intencionado projeto Centre Village em Winnipeg, do escritório 5468796 Architecture, Thorne acredita que muitos destes desafios são novos aos arquitetos.

Com apenas cinco anos de funcionamento, o Centre Village foi projetado como uma pequena vila voltada para a comunidade; 25 famílias em uma das áreas urbanas mais pobres do Canadá. Desde sua conclusão, o conjunto se tornou um foco de crimes, com os pátios sendo usados para atividades ilícitas e as famílias tentando estabelecer suas vidas nos minúsculos cômodos de cada unidade residencial. 

“Pontos de Vista: Faces da Arquitetura Contemporânea” reúne Martha Thorne, FGMF Arquitetos e Sou Fujimoto para palestras no MASP

No dia 20 de agosto, às 18h30, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) sediará um encontro com grandes nomes da arquitetura: Martha Thorne, FGMF Arquitetos e Sou Fujimoto se encontram para palestras sobre a arquitetura contemporânea sob diferentes perspectivas no século XXI.

O evento “Pontos de Vista: Faces da Arquitetura Contemporânea” será aberto ao público e mediado pelo curador da Bienal de Arquitetura de 2013, Guilherme Wisnik, que, após as palestras, promoverá um debate entre o público e os palestrantes.

Eduardo Souto de Moura e Francisco Mangado juntos em Valladolid