1. ArchDaily
  2. Habitação De Interesse Social

Habitação De Interesse Social: O mais recente de arquitetura e notícia

CAU lança editais de patrocínio para projetos culturais e de ATHIS no valor de R$ 1,1 milhão

O CAU Brasil lançou dois editais de chamada pública de apoio institucional com o objetivo de selecionar organizações da sociedade civil (OSC) interessadas realizar duas importantes ações de valorização da arquitetura e urbanismo. Mais de R$ 1 milhão será direcionado a projetos culturais e de assistência técnica em habitações de interesse social (ATHIS).

Curso: "Estratégias e Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social"

Objetivo: ampliar o conhecimento sobre as políticas habitacionais e as estratégias para a Assistência Técnica Habitacional (ATHIS).
Perfil do aluno: Profissionais e acadêmicos graduados que desejam atuar como agentes de transformação social, em projetos que favoreçam o direito à cidade e à moradia.
Especialistas: Professores experientes em urbanização de favelas, regularização fundiária, projetos de melhorias habitacionais e políticas autogestionárias.
Aos sábados (09/10 a 27/11) das 9h às 13h. Curso com duração de 32 horas.
Professores: Fabricia Zulin, Celso Sampaio, Viviane Rubio, Cláudia Coelho, Rosane Tierno, Rodrigo Carvalho e Milton Nakamura.
Inscrições até 02/10
Informações: www.comvivaarquitetura.com.br

"O mais importante é o povo, esse povo de luta": Paula Constante sobre os movimentos de moradia em São Paulo

No final de 2020 foi lançado o documentário Os Mutirões da Leste 1, que traz a história do Movimento Sem Terra Leste 1 a partir de cada um de seus projetos. O documentário foi produzido e dirigido por Paula Constante, que se apresenta como “mãe, documentarista de atuação, arquiteta e mestre pela FAUUSP.” Ao contar a história de um dos movimentos sociais mais ativos da cidade de São Paulo, Paula e o MST Leste 1 nos mostram a importância da luta, do coletivo, da afetividade, e da responsabilidade que precisamos ter com a nossa atuação. Tivemos a oportunidade de conversar com Paula e discutir sobre essa experiência.

Construção do Mutirão Paulo Freire, do MST Leste 1. Image © Usina CTAHMutirantes no Centro Comunitário da Juta, do MST Leste 1, durante as obras do Mutirão.. Image © Usina CTAHFrame do documentário Os Mutirões da Leste 1 00:23:00 min. Image via FERA FILMESFrame do documentário Os Mutirões da Leste 1 00:02:29 min. Image via FERA FILMES+ 18

Concurso de projeto para eficiência energética em habitação de interesse social: inscrições abertas

Reunir projetos arquitetônicos de habitações de interesse social que sejam inovadores, sustentáveis e possibilitem redução do consumo de energia. Esse é o objetivo do Concurso Nacional de Ideias em Arquitetura para Eficiência Energética em Habitação de Interesse Social, lançado nesta segunda-feira (15) pela empresa de cooperação governamental alemã Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH. As inscrições vão até 26 de abril.

Desafios e oportunidades da Assistência Técnica para Habitação de Interesse Social no Brasil

A lei de assistência técnica é um instrumento de planejamento e transformação legal que poderia aproximar a prática de arquitetura e urbanismo das pessoas e dos lugares onde sua ausência é mais sentida: nos bairros em territórios fragilizados. Dessa forma, auxiliaria no acesso à moradia digna e orientaria melhores práticas para que os recursos fossem utilizados de forma eficaz e precisa. Para discutir sobre o assunto, o Arquicast conversa com o Coletivo Arquitetos da Favela e a ATOS Colaborativos.

"Habitação popular é um exercício de fazer mais com menos": Entrevista com Jirau

No interior de Pernambuco, na cidade de Caruaru – cerca de 130 quilômetros a oeste de Recife – um escritório de arquitetura se destaca por soluções originais para um problema de sempre: habitação de interesse social. Fundado em 2010 e dirigido por Pablo Patriota e Bernado Lopes, o Jirau vem explorando um fazer projetual profundamente ligado aos modos de habitar de sua região, construindo em diversas escalas e tipologias para diferentes programas.

Habitação Social Wirton Lira / Jirau Arquitetura. Cortesia de Jirau ArquiteturaSobrados Novo Jardim / Jirau Arquitetura. Foto © Antonio PreggoHabitação Social Wirton Lira / Jirau Arquitetura. Cortesia de Jirau ArquiteturaEdifício Agamenon Empresarial / Jirau Arquitetura. Foto © Jackson Carvalho+ 12

Seis bons exemplos de Habitação de Interesse Social no Brasil

Críticas aos modelos mais comuns de Habitação de Interesse Social (HIS) no Brasil são bastante frequentes. E, com efeito, geralmente são fundamentadas, haja vista a precariedade arquitetônica e urbanística da maioria dos conjuntos construídos – sobretudo aqueles erguidos em zonas afastadas das centralidades urbanas que negam aos moradores seu direito à cidade.

Há, entretanto, bons exemplos. Projetos construídos a partir de premissas de acesso à infraestrutura urbana, conectividade com o entorno imediato, eficiência construtiva, conforto ambiental e salubridade nos interiores das unidades habitacionais. A seguir, reunimos seis exemplos de HIS – projetados por Biselli Katchborian Arquitetos, Jirau Arquitetura, MMBB Arquitetos, H+F Arquitetos, Boldarini Arquitetura e Urbanismo e Vigliecca & Associados – que apresentam soluções interessantes para um programa tão complexo e delicado.

Conjunto Habitacional do Jardim Edite / MMBB Arquitetos + H+F Arquitetos. Foto © Nelson KonResidencial Corruíras / Boldarini Arquitetura e Urbanismo. Foto © Daniel DucciSobrados Novo Jardim / Jirau Arquitetura. Foto © Antonio PreggoResidencial Parque Novo Santo Amaro V / Vigliecca & Associados. Foto © Leonardo Finotti+ 19

Uma nova política habitacional para São Paulo: Conjunto Residencial Santo Antônio

Este empreendimento, concebido e iniciado no governo de João Goulart, pode ser considerado um exemplo de transição entre a antiga gestão do IAPB [Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários] e a nova política habitacional que começa a ser implementada em 1964.

Cortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea+ 6

Habitação como centralidade urbana: o Conjunto Residencial da Várzea do Carmo

O plano original do Conjunto Residencial Várzea do Carmo, elaborado por uma equipe do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários - IAPI coordenada pelo arquiteto e urbanista Attilio Corrêa Lima, é uma das propostas mais vanguardistas do período tratado neste livro. Seu urbanismo, radicalmente moderno e racionalista, vai além dos modelos consagrados de bairros residenciais: propõe a criação de uma centralidade urbana tendo como ponto de partida um conjunto de habitação operária.

O que é Habitação de Interesse Social?

Segundo o relatório de 2016 do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-HABITAT), existem 881 milhões de pessoas vivendo em favelas nas cidades dos países em desenvolvimento, e se estima que até 2025 é provável que outras 1,6 bilhão de pessoas precisem de moradia adequada e acessível. Com essas perspectivas, muito se tem discutido sobre Habitação de Interesse Social (HIS) e sobre como projetos realizados nesse âmbito podem ser uma solução para o déficit habitacional, mas o que, afinal, significa esse termo?

Projetos de habitação em zonas industrializadas: o caso do Conjunto Residencial da Móoca

O Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários - IAPI contratou um importante arquiteto carioca, Paulo Antunes Ribeiro, presidente nacional do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) nos anos 1950, para elaborar este projeto situado no bairro industrial na Mooca, região já bastante consolidada na década de 1940. Ocupando um grande vazio urbano, o conjunto é formado por dezessete blocos, que foram implantados buscando obedecer a uma organização racional, embora sem o mesmo rigor geométrico que Attilio Corrêa Lima havia adotado na Várzea do Carmo. No fracionado tecido urbano da Mooca, Ribeiro introduz um projeto urbanístico moderno, que elimina o tradicional parcelamento do solo e cria um grande espaço público onde os blocos são implantados junto às áreas verdes.

Cortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea+ 7

Verticalização e qualidade espacial em habitação coletiva: Conjunto Residencial 9 de Julho

Localizado no encontro das avenidas Nove de Julho e São Gabriel (Antiga Avenida Flora) e da Rua Groelândia, entre os bairros Jardim América e Itaim-Bibi, este conjunto, com seus três edifícios de doze pavimentos, tornou-se um importante marco de referência num dos mais importantes eixos de ligação entre o centro e a zona sul de São Paulo.

Cortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaVerticalização e qualidade espacial em habitação coletiva: Conjunto Residencial 9 de JulhoCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade ContemporâneaCortesia de PC3 - Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea+ 9

A experiência cooperativista de habitação no Uruguai: um breve panorama histórico

Time 10 e as 3 pioneiras: Primeira Geração O cooperativismo habitacional no Uruguai é hoje a modalidade de cooperativismo mais expressiva de todas, porém não é a única. Esse sistema transcende a questão da habitação e torna-se especialmente relevante na primeira metade do século XX: a empresa de transporte de ônibus de Montevidéu (CUTCSA) por exemplo, inicia seus trabalhos em 1937 como uma cooperativa. Em termos específicos, em 1989 foram registradas 843 cooperativas e, em 2017, este número sobe para 3.665 cooperativas em diversas áreas.

Cooperativa Complexo Habitacional Bulevard, de 1972/74 – 2ª geração. Autora: Anaís JorcinCooperativa de Usuarios por Ayuda Mutua de Mujeres. Jefas de Familia - MUJEFA, anos 1994/97 – 3ª geração. Autora: Anaís JorcinCOVICIVI 1, anos 1994/98 – 3ª geração. Autora: Anaís JorcinCooperativa Complexo Habitacional Bulevard, de 1972/74 – 2ª geração. Autora: Anaís Jorcin+ 15

CAU/GO divulga resultado de concurso público para habitação de interesse social

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás - CAU/GO divulgou o resultado do Concurso Público Nacional de Projetos para Habitação de Interesse Social, que tinha como objetivo selecionar a melhor proposta para construir casas para famílias de baixa renda, dentro dos projetos habitacionais da Agência Goiana de Habitação - AGEHAB.

Nossa política habitacional precisa superar o paradigma da casa própria

Um dos problemas estruturais da sociedade brasileira é o crescimento excessivo da mancha urbana das cidades, comumente denominado de “espraiamento”, que resulta em uma ocupação urbana de baixa densidade. Essa ocupação dispersa dificulta a provisão de serviços públicos e compromete a qualidade de vida dos moradores, pois não gera demanda suficiente para o transporte de massa e induz à adoção do automóvel particular como modo de deslocamento. Para reverter esse quadro, a política urbana procura aumentar a densidade da cidade existente, seja construindo edificações novas nos lotes ociosos, seja recuperando edificações degradadas nas áreas centrais. No entanto, tal como atualmente concebida, a política habitacional favorece o espraiamento urbano.

Dez dicas para quem quer começar a trabalhar com arquitetura social

Como empreender em arquitetura social? O CAU compilou dez dicas valiosas para arquitetas e arquitetos que buscam trabalhar em uma das áreas mais gratificantes de nossa disciplina. 

Isay Weinfeld projeta Minha Casa Minha Vida no centro de São Paulo

Conhecido por projetos voltados às classes mais abastadas de São Paulo e do exterior, Isay Weinfeld tem, surpreendentemente, entre sua carteira de projetos em andamento um edifício de habitação de interesse social para o programa Minha Casa Minha Vida. Localizado em São Paulo, de frente ao Elevado Presidente João Goulart - talvez, em breve, Parque Minhocão - o empreendimento tem como público a faixa conhecida como HIS 2, isto é, famílias que recebem até seis salários mínimos.

Projetar para quem? Uma reflexão necessária

De acordo com dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU, 2017), a população mundial atingiu 7,6 bilhões de habitantes, sendo que mais da metade (54%) vive em áreas urbanas. No Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010) são 84,4% de pessoas morando em cidades.