Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Forensic Architecture

Forensic Architecture: O mais recente de arquitetura e notícia

Usina - CTAH e FICA representam Brasil na exposição da Bienal de Arquitetura de Chicago 2019

A Bienal de Arquitetura de Chicago está chegando a sua terceira edição. O tema deste ano, “...and other such stories,”, nos convida à explorar outras facetas da arquitetura, aquelas que geralmente recebem pouca atenção em eventos desta categoria. Projetos desenvolvidos especialmente para esta edição da Bienal de Chicago destacam temas como habitação social, distribuição de renda e preservação do meio ambiente. Recentemente foram anunciados os colaboradores e parceiros internacionais para a exposição, dentre os quais dois brasileiros: a Usina - CTAH e o FICA-Fundo Imobiliário Comunitário para Aluguel. Entre os colaboradores do catálogo, Carmen Silva, líder do Movimento dos Sem-Teto do Centro (MSTC) de São Paulo, também representa o Brasil.

Forensic Architecture e Heatherwick entre os vencedores do Beazley Designs of the Year 2018

Forensic Architecture foi coroado como vencedor do Beazley Designs of the Year, com sua exposição “Counter Investigations”. A empresa empreendeu um excelente trabalho nos últimos anos, descobrindo insucessos de justiça e crimes de guerra internacionais por meio de análise arquitetônica de imagens. notícias, imagens de satélite e informações de crowdsourcing.

O grupo de investigação, baseado na Goldsmith University London, está atualmente indicado para o Prêmio Turner 2018. O grupo interdisciplinar abrange arquitetos, cineastas, jornalistas, advogados e cientistas dedicou sua energia para investigar violações de estado e corporações em todo o mundo.

via Design Museum via Design Museum via Design Museum via Design Museum + 10

Como a universidade flutuante de Berlim pode alterar o futuro da educação na arquitetura

No lado norte do Tempelhofer Feld, um aeroporto que virou parque no sul de Berlim, há uma grande bacia. Cercada por lotes e bangalôs e percebida apenas para aqueles que a conhecem, essa depressão que remonta ao século XIX mantém a água da chuva drenada das pistas desativadas do aeroporto antes de entrar na rede de canais de Berlim.

“Sabíamos que era uma espécie de local secreto no centro da cidade que ninguém tinha no mapa”, explica Benjamin Foerster-Baldenius, da Raumlabor Architects. Ou melhor, até este verão.

© Victoria Tomaschko © Victoria Tomaschko © Victoria Tomaschko © Daniel Seiffert + 16

Forensic Architecture finalista do Prêmio Turner 2018

O grupo de investigação espacial Forensic Architecture foi indicado para o Prêmio Turner 2018. Com sede na Goldsmiths University, em Londres, o grupo interdisciplinar de arquitetos, cineastas, jornalistas, advogados e cientistas dedicou sua energia à investigação de violações de Estado e corporações em todo o mundo.

A nomeação representa a segunda vez que uma equipe de projetistas espaciais foi reconhecida pelo prêmio em sua história de três décadas, depois de Assemble ter vencido em 2015.

© Forensic Architecture Counter Investigations: Forensic Architecture at the Institute of Contemporary Arts. Image © Mark Blower Saydnaya Prison, as reconstructed by Forensic Architecture using acoustic modelling. Image © Forensic Architecture Saydnaya Prison, as reconstructed by Forensic Architecture using acoustic modelling. Image © Forensic Architecture + 9

Forensic Architecture reconstrói digitalmente uma prisão síria a partir da memória de sobreviventes

Forensic Architecture, uma agência de pesquisa com sede na Universidade de Londres, em colaboração com a Anistia Internacional, criou um modelo 3D de Saydnaya, uma prisão de tortura síria, usando sistemas de modelagem arquitetônica e acústica. O projeto, iniciado este ano, reconstrói a arquitetura do centro secreto de detenção a partir da memória de diversos sobreviventes que são agora refugiados na Turquia.

Desde o início da crise da Síria em 2011, dezenas de milhares de sírios foram levados a uma rede de prisões e centros de detenção secretos administrados pelo governo de Assad sob alegação de crimes contra o regime. Após passarem por uma série de interrogatórios, muitos prisioneiros foram levados a  Saydnaya, um "destino final" notoriamente brutal, onde métodos de tortura são usados não apenas para obter informações, mas também para aterrorizar e frequentemente matar os detentos. 

Localizada cerca de 25 km ao norte de Damasco, Saydnaya ocupa um edifício dos anos 1970. Recentemente, nenhuma visita de jornalistas independentes ou grupos de monitoramento foram permitidos, portanto, não há registros fotográficos recentes dos interiores do centro, a única coisa que existe são as memórias daqueles que escaparam de lá com vida.