1. ArchDaily
  2. Arquitetura Antiga

Arquitetura Antiga: O mais recente de arquitetura e notícia

Grande Museu Egípcio junto às pirâmides de Gizé está pronto para ser inaugurado

Projetado pelo escritório de arquitetura irlandês Heneghan Peng, o tão aguardado Grande Museu Egípcio—uma estrutura inteiramente dedicada à egiptologia e implantada junto às grandes pirâmides do Egito—, deverá finalmente ser inaugurado no próximo verão. A apenas 2 km de distância das pirâmides de Gizé e considerado o maior museu do mundo dedicado a uma única civilização, o complexo cultural do Grande Museu Egípcio está sendo construído para abrigar uma coleção de aproximadamente 100.000 artefatos antigos, cobrindo uma área total de 24.000m² além de contar com um museu infantil anexo, um centro de conferências, espaços educacionais, um núcleo de conservação e restauração assim como extensos jardins paisagistas dentro e fora do edifício principal.

Cortesia de Heneghan Peng ArchitectsCortesia de ArupCortesia do Ministério do Turismo e Arqueologia do EgitoCortesia de Heneghan Peng Architects+ 21

A história da arquitetura: Grécia antiga

Cortesia de ArchDaily - Danae Santibáñez
Cortesia de ArchDaily - Danae Santibáñez

Até onde os registros escritos alcançam, o que se sabe é que a “pré-história” é um período que vai de 35.000 à 3.000 anos a.C. no Oriente Médio e 2.000 a.C. na Europa Ocidental. Pelo que é possível observar, os construtores da antiguidade tinham uma profunda compreensão das necessidades humanas e como lidar com as condições ambientais através da arquitetura em sua forma mais primitiva. Nos primórdios, famílias e tribos viviam em cabanas construídas a base de ossos e peles de animais. Milhares de anos de passaram até que o homem passasse a construir estruturas mais robustas utilizando pedras e tijolos de barro, assumindo formas prismáticas e dotadas de aberturas para iluminação e ventilação natural.

Ao longo dos próximos meses, publicaremos aqui no ArchDaily uma série de pequenos artigos sobre a história da arquitetura e como ela evoluiu até assumir a forma como à conhecemos hoje. Nesta semana, regressamos a um dos períodos mais importantes e influentes da história da humanidade: a Grécia antiga; mais especificamente os períodos egeu, arcaico, clássico e helenístico.

A história da arquitetura: do Neolítico à Mesopotâmia e Egito Antigo

Até onde chega os antigos registros escritos da história da humanidade, a “pré-história” pode ser estabelecida em um período de tempo que vai de 35.000 a.C. até 3000 a.C. no caso do Oriente Médio e até 2000 a.C. na Europa Ocidental. Segundo o que foi possível observar, os construtores de outrora detinham um profundo conhecimento à respeito das condições ambientais e das necessidades físicas do ser humano em sua busca por abrigo. Inicialmente organizados em grupos ou tribos, humanos utilizavam estruturas construídas com pele e ossos de animais para se proteger da chuva e do sol, do frio e do calor assim como das ameaças do mundo exterior. Milhares de anos se passaram e as cabanas primitivas evoluíram para se tornarem estruturas complexas construídas em paredes de tijolos ou com solo compactado, assumindo formas geométricas pontuadas por aberturas responsáveis pela ventilação e iluminação natural dos espaços interiores. 

Ao longo dos próximos meses, você poderá acompanhar aqui no ArchDaily uma série de pequenos artigos sobre a história da humanidade em busca de abrigo e como o habitat primitivo evoluiu para se transformar na arquitetura como a conhecemos hoje. Durante esta primeira semana, dedicaremos um pouco do nosso tempo para refletir sobre as estruturas das primeiras civilizações conhecidas pela humanidade: as Aldeias Neolíticas, a Mesopotâmia e o Antigo Egito.

Como são construídas as paredes de taipa

A terra batida tem sido usada na construção há milhares de anos, com evidências de seu uso que datam do período neolítico. Comumente usada especialmente na China, a técnica era aplicada aos monumentos antigos e à arquitetura vernacular, com a Grande Muralha da China utilizando a técnica. Embora o interesse em taipa tenha diminuído no século 20, alguns continuam a defender seu uso hoje, citando sua sustentabilidade em comparação com os métodos de construção mais modernos. Notavelmente, as estruturas de terra batida usam materiais locais, o que significa que possuem pouca energia incorporada e produzem pouco desperdício. Abaixo, descrevemos como construir com este material.

7 Ruínas antigas reconstruídas nessas animações em GIF

Ruínas antigas, como o Partenon e o Templo de Luxor, podem nos ensinar sobre o passado de uma forma que nenhum outro meio poderia. Através desses vestígios arquitetônicos, podemos investigar as técnicas construtivas dessas civilizações antigas e o modo como viviam essas sociedades. No entanto, as ruínas não podem ser comparadas ao que um dia foram esses monumentos, e as reconstruções históricas dessas maravilhas arquitetônicas são fundamentais para uma compreensão mais completa das culturas que as criaram. Nestes GIFs feitos por NeoMam e Thisisrender para a Expedia, sete maravilhas arquitetônicas são reconstruídas em sua forma original, permitindo ver como os monumentos de outrora se tornaram as ruínas que conhecemos hoje.

Clássicos da Arquitetura: Acrópole de Atenas / Ictinus, Callicrates, Mnesikles e Phidias

O Partenon, talvez o exemplo mais célebre da arquitetura grega clássica, foi apenas o primeiro de uma série de edifícios notáveis construídos sobre a Acrópole Ateniense na sequência das Guerras Persas. Liderado pelo famoso estadista Pericles, a Cidade-Estado embarcou em um ambicioso programa de reconstrução que substituiu tudo o que havia sido arrasado pelos persas. O novo complexo, embora dedicado aos Deuses e às lendas que cercavam a Acrópole, era tanto uma declaração da glória de Atenas como um lugar de culto -monumentos de um povo que tinha erigido das cinzas de uma guerra para tornar-se o mais poderoso e próspero no mundo antigo.

Embora a fachada ocidental do Propileu não tenha sobrevivido a passagem do tempo, suas colunas ainda guardam a entrada da Acrópole. ImageCourtesy of Flickr user Thomas Hackl (licensed under CC BY-NC 2.0)Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)Multidões fazem o seu caminho até a calçada da Acrópole nesta imagem artística da Procissão Panatenaica. ImageCourtesy of Yale University PressCortesia de Wikimedia user Steinsplitterbot (Domínio Público)+ 14

Clássicos da Arquitetura: Panteão Romano / Imperador Adriano

Dentro do labirinto de ruas estreitas em Roma está um dos edifícios mais renomados na história da arquitetura. Construído no auge do poder e riqueza do Império Romano, o Panteão Romano é enaltecido e estudado pela imensidão de sua cúpula como por sua geometria celeste há mais de dois milênios. Durante este tempo tem sido objeto de inúmeras imitações e referências como legado arquitetônico duradouro de uma das épocas mais influentes do mundo.

Os cofres na cúpula do Panteão, além de suas qualidades estéticas, servem para reduzir o peso da cúpula sobre a estrutura de suporte abaixo. Cortesia de Flickr user Michael Vadon (CC BY 2.0)Cortesia de Flickr user Michael Johnson (CC BY 2.0)O interior do Panteão contém um volume perfeitamente esférico - um símbolo cósmico que triunfantemente afirmou a autoridade e o poder do Império Romano. Desenho de Francesco Piraneni. Via Wikimedia user Bkmd (Domínio Público)Embora o Panteão original construído por Marcus Agrippa tenha queimado após sua morte, Adriano ordenou que sua substituição tivesse uma inscrição afirmando que Agrippa tinha construído como um tributo aos seus antecessores. Cortesia de Flickr user Michael Johnson (CC BY 2.0)+ 16