O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Templo
  4. Grécia
  5. Ictinus, Callicrates, Mnesikles, and Phidias
  6. 0
  7. Clássicos da Arquitetura: Acrópole de Atenas / Ictinus, Callicrates, Mnesikles e Phidias

Clássicos da Arquitetura: Acrópole de Atenas / Ictinus, Callicrates, Mnesikles e Phidias

Clássicos da Arquitetura: Acrópole de Atenas / Ictinus, Callicrates, Mnesikles e Phidias
Clássicos da Arquitetura: Acrópole de Atenas / Ictinus, Callicrates, Mnesikles e Phidias, Uma elevação de toda a Acrópole vista do oeste; enquanto o Parthenon domina a cena, é no entanto apenas parte de uma composição maior. ImageCourtesy of Wikimedia user Quibik (Public Domain)
Uma elevação de toda a Acrópole vista do oeste; enquanto o Parthenon domina a cena, é no entanto apenas parte de uma composição maior. ImageCourtesy of Wikimedia user Quibik (Public Domain)

O Partenon, talvez o exemplo mais célebre da arquitetura grega clássica, foi apenas o primeiro de uma série de edifícios notáveis construídos sobre a Acrópole Ateniense na sequência das Guerras Persas. Liderado pelo famoso estadista Pericles, a Cidade-Estado embarcou em um ambicioso programa de reconstrução que substituiu tudo o que havia sido arrasado pelos persas. O novo complexo, embora dedicado aos Deuses e às lendas que cercavam a Acrópole, era tanto uma declaração da glória de Atenas como um lugar de culto -monumentos de um povo que tinha erigido das cinzas de uma guerra para tornar-se o mais poderoso e próspero no mundo antigo.

Embora a fachada ocidental do Propileu não tenha sobrevivido a passagem do tempo, suas colunas ainda guardam a entrada da Acrópole. ImageCourtesy of Flickr user Thomas Hackl (licensed under CC BY-NC 2.0) Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0) Multidões fazem o seu caminho até a calçada da Acrópole nesta imagem artística da Procissão Panatenaica. ImageCourtesy of Yale University Press Cortesia de Wikimedia user Steinsplitterbot (Domínio Público) + 14

Multidões fazem o seu caminho até a calçada da Acrópole nesta imagem artística da Procissão Panatenaica. ImageCourtesy of Yale University Press
Multidões fazem o seu caminho até a calçada da Acrópole nesta imagem artística da Procissão Panatenaica. ImageCourtesy of Yale University Press

Uma vez que a estrutura do Parthenon estava no local, Pericles encomendou o próximo grande projeto: o Propileu. Situado no extremo oeste do complexo, a porta de entrada monumental era a única entrada para a Acrópole. Como o Parthenon que a precedeu, a nova estrutura foi construída de mármore pentélico -uma indicação do generoso orçamento que financiou sua construção. O arquiteto Mnesikles, confrontado com o desafio de conciliar um terreno em declive íngreme com os padrões arquitetônicos predominantes da Grécia Clássica, dividiu o edifício em seções leste e oeste, cada um com sua própria colunata dórica e frontão. O espaço entre as duas colunas centrais era maior do que os outros, uma irregularidade nascida de preocupações práticas: depois de atravessar a cidade e escalar uma longa calçada, era aqui que os animais e os carros passavam para a Acrópole a cada quatro Anos durante a Procissão Panatenaica; os atenienses celebrantes entravam por escadas para ambos os lados. [1,2]

Embora a fachada ocidental do Propileu não tenha sobrevivido a passagem do tempo, suas colunas ainda guardam a entrada da Acrópole. ImageCourtesy of Flickr user Thomas Hackl (licensed under CC BY-NC 2.0)
Embora a fachada ocidental do Propileu não tenha sobrevivido a passagem do tempo, suas colunas ainda guardam a entrada da Acrópole. ImageCourtesy of Flickr user Thomas Hackl (licensed under CC BY-NC 2.0)

Flanqueando a fachada oeste estavam duas alas fechadas. A ala ao nordeste, a única finalizada, foi usada notavelmente como uma galeria de pinturas, ou pinacoteca, durante os tempos romanos; é desconhecido se este era o propósito original do espaço, mas se assim for, é a primeira estrutura conhecida na história destinada à exibição de obras de arte. [3] Como os arquitetos do Parthenon, Mnesikles escolheu usar colunas iônicas para o interior do Propileu, sugerindo que esta síntese era a tendência prevalecente na arquitetura ateniense naquele tempo; No entanto, diferentes ordens não seriam misturadas nas mesmas fachadas até o período helenístico. [4]

Essas colunas jônicas, situadas no que foi outrora o interior do Propileu, podem ser facilmente contrastadas com suas contrapartes dóricas na parte inferior da imagem. ImageCourtesy of Flickr user lovemonlin (licensed under CC BY-NC-ND 2.0)
Essas colunas jônicas, situadas no que foi outrora o interior do Propileu, podem ser facilmente contrastadas com suas contrapartes dóricas na parte inferior da imagem. ImageCourtesy of Flickr user lovemonlin (licensed under CC BY-NC-ND 2.0)

A explosão da Guerra do Peloponeso em 431 aC suspendeu as obras no Propileu. Quando os trabalhos na Acrópole foram retomados dez anos mais tarde, ele não era mais a porta de entrada -os planos originais nunca foram plenamente realizados. Em vez disso, a cidade avançou com um segundo templo: o Erecteion. [5] Antes das Guerras Persas, os predecessores do Parthenon e do Erecteion tinham sido um par de templos padrão, implantados paralelos uns aos outros e praticamente indistinguíveis. Enquanto o Parthenon rompeu com a tradição em sua escala e proporção, o complexo layout do Erecteion parecia abandonar o que havia sido estabelecido pelo seu predecessor completamente. [6]

A disposição irregular do Erecteion era uma resposta à topografia complicada e ao significado religioso multifacetado da terra em que está. Gravura original de Ernst Wallis, 1875. ImageCourtesy of Wikimedia user HerrAdams (Public Domain)
A disposição irregular do Erecteion era uma resposta à topografia complicada e ao significado religioso multifacetado da terra em que está. Gravura original de Ernst Wallis, 1875. ImageCourtesy of Wikimedia user HerrAdams (Public Domain)

Como com o Propileu, o Erecteion adapta-se à topografia irregular de seu terreno através do uso de vários espaços e fachadas em diferentes níveis. A semelhança impressionante dessa abordagem, de fato, levou alguns historiadores a conjeturarem que o Erecteion também tenha sido obra de Mnesikles. Vale a pena notar, no entanto, que havia uma explicação menos mundana para a assimetria incongruente do templo: o terreno em que ele implanta-se, trazendo significado para várias divindades envolvidas no conto mitológico da fundação de Atenas, requeria uma estrutura única para funcionar como templos múltiplos simultaneamente. [7]

Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)
Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)

Segundo a lenda, o Erecteion implantou-se no local onde Athena e Poseidon lutaram pela posse de Attica. Poseidon atingiu o solo com seu tridente, produzindo um fluxo de água salgada; A varanda do norte do templo, projetando-se de uma extremidade de uma parede, na época, de mármore liso, abrigava a marca do tridente deixada nas rochas. Em resposta à demonstração de poder de Poseidon, Athena atingiu o chão com sua lança, trazendo uma oliveira da rocha. (Desde a construção do Erecteion, uma oliveira sempre esteve presente neste local.) A fachada oeste superou a significativa diferença de altura entre o alpendre norte e o pórtico sul menor, mas não menos impressionante. Aqui, a cobertura não era suportada por colunas jônicas como nas outras fachadas, mas por esculturas serenas de mulheres equilibrando a arquitrave em cima de suas cabeças, ou cariátides. A varanda leste, situada ao mesmo nível do Parthenon, era a mais convencional, com seis colunas jônicas apoiando um frontão simétrico. [8]

Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)
Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)

Antes do fim da Guerra do Peloponeso e da construção do Erecteion, as fortunas de Atenas haviam se recuperado o suficiente para a construção do comparativamente pequeno Templo de Athena Nike. [9] Quatro colunas iônicas foram implantadas ao longo das fachadas leste e oeste, com nenhuma alinhando-se nos limites norte e sul. Se não fosse a posição proeminente do templo em um afloramento à direita do Propileu, poderia ser fácil negligenciá-lo completamente em comparação com seus vizinhos muito maiores, mais grandiosos. No entanto, seu pequeno tamanho não anula a potência de seu simbolismo: uma das primeiras estruturas visíveis para aqueles que visitam a Acrópole, é uma dedicação à personificação da vitória. [10]

Enquanto o Templo de Athena Nike é menor que a maioria das estruturas na Acrópole, sua posição que se aproxima sobre as escadas para o Propileu garante ser uma das primeiras coisas que os visitantes enxergam. ImageCourtesy of Flickr user Aleksandr Zykov (licensed under CC BY-SA 2.0)
Enquanto o Templo de Athena Nike é menor que a maioria das estruturas na Acrópole, sua posição que se aproxima sobre as escadas para o Propileu garante ser uma das primeiras coisas que os visitantes enxergam. ImageCourtesy of Flickr user Aleksandr Zykov (licensed under CC BY-SA 2.0)

Adequadamente, o Templo de Athena Nike foi adornado com esplêndidas esculturas retratando a vitória em suas várias formas. O templo que estava no local foi construído em comemoração à vitória ateniense na Batalha de Maratona, um evento imortalizado no friso do edifício mais novo. Os cantos exagerados das colunas do novo templo, entretanto, são notados por alguns para atrair os olhos do espectador para o mar, onde a vitória combinada da marinha grega em Salamina libertou Atenas e expulsou os persas invasores para fora da Grécia continental. Aproximadamente quinze anos após o Templo de Athena Nike ter sido construído, um parapeito adicional foi erguido ao redor do edifício e adornado com vários relevos descrevendo Nike. Essas representações escultóricas, seja mostrando Nike desfrutando do espólio da vitória sobre a Pérsia ou mesmo inclinando-se para ajustar uma sandália, foram esculpidas com detalhes profundos e intrincados, acrescentando grande interesse visual a um edifício de formas simples. [11, 12]

As exageradas capitais jônicas no Templo de Athena Nike supostamente dirigir o olhar para o mar, uma referência à vitória sobre a Pérsia que permitiu Atenas tomar o seu lugar como a principal cidade-estado na Grécia Antiga. ImageCourtesy of Flickr user Aleksandr Zykov (licensed under CC BY-SA 2.0)
As exageradas capitais jônicas no Templo de Athena Nike supostamente dirigir o olhar para o mar, uma referência à vitória sobre a Pérsia que permitiu Atenas tomar o seu lugar como a principal cidade-estado na Grécia Antiga. ImageCourtesy of Flickr user Aleksandr Zykov (licensed under CC BY-SA 2.0)

A reconstrução da Acrópole marcou o ápice da arquitetura clássica grega. Nos três séculos entre a Guerra do Peloponeso e a queda da civilização grega para o Império Romano, muito pouco foi feito para construir sobre os modelos utilizados na concepção da Acrópole de Pericles; evidentemente, as regras que regem a arquitetura clássica que havia sido refinada para os grandes monumentos de Atenas tornaram-se impedimentos que restringiam novas inovações até a perturbação da influência romana. [13]

Uma planta da Acrópole antes de sua destruição pelos persas
Uma planta da Acrópole antes de sua destruição pelos persas
Uma planta da Acrópole após o programa de construção de Pericles transformou-a em um dos maiores monumentos do Mediterrâneo antigo
Uma planta da Acrópole após o programa de construção de Pericles transformou-a em um dos maiores monumentos do Mediterrâneo antigo

Embora as gerações subsequentes construíssem outros templos na cidade ao redor, bem como diversos anfiteatros em suas inclinações, a própria Acrópole permaneceu em grande parte inalterada por seus governantes romanos, católicos e eventualmente turcos otomanos, o último dos quais colocou o Erecteion para usar como um harém. A guerra pela independência grega viu o bombardeio catastrófico da Acrópole, e em particular do Erecteion, mas sob a administração grega, um extenso esforço de reconstrução reparou grande parte dos danos. Junto com o Parthenon, o Propileu , Erecteion e o Templo de Athena Nike são os últimos elementos restantes do maior empreendimento arquitetônico da história grega, suas pedras de mármore de 2.500 anos de idade que dão um testemunho silencioso às glórias passadas de Atenas. [14, 15]

Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)
Cortesia de Flickr user Aleksandr Zykov (CC BY-SA 2.0)

Referências

[1] Gardner, Helen, Richard G. Tansey, and Fred S. Kleiner. Gardner's Art Through the Ages. Fort Worth: Harcourt Brace College Publishers, 1996. p154.
[2] Janson, H. W. History of Art; A Survey of the Major Visual Arts From the Dawn of History to the Present Day. New York: Abrams, 1962. p99.
[3] Gardner, p154-155.
[4] Janson, p99.
[5] Gardner, p155.
[6] Kostof, Spiro. A History of Architecture: Settings and Rituals. New York: Oxford University Press, 1985. p154-157.
[7] Janson, p100.
[8] Kostof, p157.
[9] "Athens - History". Encyclopædia Britannica Online. [link] (acesso em 25 de Janeiro de 2017).
[10] Kostof, p152.
[11] Kostof, p152.
[12] Gardner, p156-157.
[13] Janson, p101-102.
[14] Cowan, Henry J., and Trevor Howells. A Guide to the World's Greatest Buildings: Masterpieces of Architecture & Engineering. San Francisco, 2000: Fog City Press. p22.
[15] “Athens - History.”

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
Ictinus, Callicrates, Mnesikles, and Phidias
Escritório
Cita: Fiederer, Luke. "Clássicos da Arquitetura: Acrópole de Atenas / Ictinus, Callicrates, Mnesikles e Phidias" 08 Mar 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/806798/classicos-da-arquitetura-acropole-de-atenas-ictinus-callicrates-mnesikles-e-phidias> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.