Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Adolf Loos

Adolf Loos: O mais recente de arquitetura e notícia

Ornamento, crime e preconceito: como o manifesto de Loos fracassou em compreender as sociedades

Este artigo foi originalmente publicado na CommonEdge como "African Architecture: Ornament, Crime & Prejudice."

9 Bares que todo arquiteto deveria conhecer

Como é o seu bar favorito? Ou como seria o espaço arquitetônico do melhor bar do mundo na sua opinião? O que é que nos chama à atenção quando nos sentamos para tomar algo com nossos amigos? Seria o design do mobiliário, o tema do bar ou apenas um bom cardápio de bebidas? Atualmente, podemos afirmar que a arquitetura destes espaços é tão importante quanto as próprias bebidas que ali se servem. Passando por tavernas inspiradas em cenários de cinema até modernas coberturas em meio ao skyline de uma mega cidade, compilamos uma lista de nove "botecos" que todo arquiteto/a precisa conhecer antes de ir desta para melhor.

Como pronunciar corretamente o nome destes 22 arquitetos famosos

Não há dúvida de que uma das melhores coisas da arquitetura é a sua universalidade. De onde quer que você venha, o que quer que você faça, arquitetura de algum modo tocou sua vida. No entanto, quando inesperadamente temos que pronunciar o nome de um arquiteto estrangeiro ... as coisas podem ficar um pouco complicadas. Esta é uma situação que a pronúncia errada pode fazer você parecer menos profissional do que você é. (Se você for realmente azarado, isso poderia acabar fazendo você parecer estúpido na frente de seus filhos e do mundo inteiro.)

Para lhe ajudar, compilamos uma lista de 22 arquitetos cujos nomes são um pouco difícil de pronunciar, acompanhada de gravações em que seus nomes são pronunciados impecavelmente. Ouça e repita quantas vezes for necessário até acertar e você estará preparado para qualquer situação potencialmente embaraçosa.

Adolf Loos: entre o silêncio e o resgate

O seguinte ensaio foi desenvolvido por Javiera Uriarte como trabalho final do curso "Historiografia da Arquitetura Moderna" do Programa de Mestrado em Arquitetura/MARQ da Pontificia Universidad Católica do Chile, ao cargo dos professores Gonzalo Carrasco Purrull e Oscar Aceves Alvarez durante o primeiro semestre de 2016.

A historiografia desta obra começa com “Mi casa en Michaelerplatz” [2], a publicação de Adolf Loos onde relata as controvérsias vividas antes, durante e depois da construção da obra, além de esclarecer quais foram as decisões tomadas na hora de projetar. Este documento foi, por muito tempo, o único escrito a que recorrer em busca de informação e detalhes sobre esta. Para compreender melhor a presença de Loos na Historiografia, classificamos três períodos de tempo, que chamaremos: "O silêncio", "O resgate" e "Uma justa medida".

Fachada original Almacenes Golsmand & Salatsch. Image via Wikipedia / Domínio público Fachada de Michaelerplatz em setembro de 2013. Image © Manfred Werner Interior de Michaelerplatz em setembro de 2009. Image © Thomas Ledl Michaelerplatz em setembro de 2009. Image © Ralf Roletschek + 7

Os melhores memes de arquitetura

O mundo da arquitetura pode ser sério e embora o restante do mundo assuma vários estereótipos sobre nós, em nenhum deles temos senso de humor - e talvez essa seriedade explique por que um dos memes mais populares envolvendo arquitetos não é exatamente favorável à profissão. Com isso em mente, compilamos uma série de memes envolvendo nossa profissão e atividades - veja-os a seguir.

Em foco: Adolf Loos

Adolf Loos (10 de dezembro de 1870 - 23 de agosto de 1933) foi um dos arquitetos europeus mais influentes do final do século XIX e é frequentemente citado por seu discurso teórico que prenunciou as fundações de todo o movimento moderno. Como arquiteto, sua influência é,de certo modo, limitada a trabalhos em seu país natal, Áustria, mas como escritor teve um profundo impacto no desenvolvimento da arquitetura do século XX, produzindo uma série de ensaios controversos que elaboraram seu próprio estilo arquitetônico que condenava o ornamento e uma série de males sociais. O pensamento minimalista de Adolf Loos se reflete nos trabalhos de Le CorbusierMies van der Rohe e muitos outros modernistas, e levou a uma mudança fundamental no modo como arquitetos passaram a perceber o ornamento.

Leituras essenciais: "Ornamento e Crime" por Adolf Loos

Iniciamos aqui a série de posts Leituras Essenciais, onde apresentaremos textos notáveis e imprescindíveis que abrangem temas diversos, como a arquitetura contemporânea, urbanismo, arquitetura de interiores e paisagem.

Ornamento e Crime iniciou como uma conferência realizada por Adolf Loos em 1910, em resposta a uma época (o final do século XIX e o início do século XX) e um local (Viena), em que o Art Nouveau era o status quo. Loos utilizou o ensaio como um veículo para explicar seu desprezo aos "ornamentos", em favor de "superfícies lisas e anteriores", em parte porque eles culminavam em objetos e edifícios que se tornariam fora de moda mais cedo e, portanto, obsoletos. Isso - o esforço desperdiçado na concepção e criação de ornamentos supérfluos - era entendido por ele como nada menos que um "crime". As ideias incorporadas neste ensaio foram precursoras do movimento moderno, incluindo práticas que acabariam por ser o núcleo da Bauhaus em Weimar.

8 Textos curtos de arquitetura que você precisa conhecer

© Sharon Lam, usando uma imagem de <a href=' https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Adolfloos.2.jpg'>Wikimedia user Martin H.</a> licensed under Public Domain
© Sharon Lam, usando uma imagem de Wikimedia user Martin H. licensed under Public Domain

Qualidade sobre quantidade, assim diz o ditado. Com tantos conceitos flutuando em torno da profissão do arquiteto, pode ser difícil manter-se em dia com todas as ideias que você espera saber. Mas, na arquitetura e em outras áreas, as ideias mais memoráveis são, muitas vezes, as que podem ser condensadas textualmente: "a forma segue a função", "menos é mais", "menos é uma chatice". Embora com pouco mais de três palavras, a seguinte seleção de textos que não demora muito para ser lida, mas proporciona lições duradouras e oferece a você a oportunidade de preencher lacunas em seu conhecimento de forma rápida e eficiente. Cobrindo tudo de Scott Brown a Adolf Loos, o público ao doméstico, e da cor à fenomenologia, veja oito textos em inglês para colocar em sua lista de leitura:

Não te faças ilusões / Josep Quetglas