Ossip van Duivenbode

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

Edifício MicroCity Het Platform / VenhoevenCS

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 25

  • Arquitetos: VenhoevenCS
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  170
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2020
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: 2tec2, AutoDesk, B&S natuursteen, BTL, Hutten metaal, +7

Como a Índia está moldando o futuro da habitação

A Índia está repensando o futuro da habitação por meio de novas tipologias. Definida por influências históricas e culturais, a arquitetura contemporânea do país centra-se em discussões sobre a melhor forma de se modernizar. Construídos ao longo de milênios, os projetos habitacionais da Índia são feitos para atender a diversas escalas, programas e funções. Explorando uma paisagem urbana revitalizada, estes projetos habitacionais modernos começaram a dar um novo tom para o futuro.

© Hemant Patil© Carlos Chen© Umang Shah© Shamanth Patil+ 10

100 Espaços públicos: de pequenas praças a parques urbanos

© DuoCai Photograph
© DuoCai Photograph

© Gianluca Stefani© Thomas Zaar© Tomasz Zakrzewski© Sebastien Michelini+ 112

A chave para projetar ou recuperar com sucesso os espaços públicos de uma cidade é criar estratégias que favoreçam seu uso e os capacitem como ponto de encontro. Independentemente da escala, entre alguns dos aspectos mais importantes estão: o desenho informado pelas necessidades das pessoas; a consideração da escala humana; e uma mistura de usos que permita multifuncionalidade e flexibilidade e proporcione conforto e segurança. 

Para lhe inspirar a projetar lugares de encontro e lazer, de praças a parques, de mirantes a playgrounds infantis, reunimos a seguir 100 espaços públicos de todas as escalas. 

Casa Buiksloterham / NEXT architects

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 10

Amsterdã, Países Baixos
  • Arquitetos: NEXT architects
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  260
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2017

Cabana Anzère / SeARCH

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 14

Hérens, Suíça
  • Arquitetos: SeARCH
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  500
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2015

WERK12 / MVRDV + N-V-O Architekten

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 36

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  7700
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019

Residência Vught / Mecanoo

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 40

  • Arquitetos: Mecanoo
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  683
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Bealmortex, Derix, Duravit, Elshof, Hotbath, +1

Casa M&M / NEXT architects + Claudia Linders

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 22

Amsterdã, Outro
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  269
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2017
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Alcoa, Quooker, Viroc, Vola

MVRDV projeta primeiro acervo museográfico acessível ao público do mundo em Roterdã

O primeiro acervo museográfico de arte acessível ao público do mundo, projetado pelo MVRDV, está prestes a ser concluído em Roterdã. Chamado Depot Boijmans Van Beuningen, as obras do novo edifício foram celebradas com uma cerimônia que envolveu o museu, o município de Roterdã e o Stichting De Verre Bergen. O acervo abrigará o arquivo de 151.000 obras de arte do museu e será totalmente acessível ao público.

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 11

Escola Secundária Popular de Roskilde / MVRDV + Cobe

© Rasmus Hjortshøj - COAST© Rasmus Hjortshøj - COAST© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 27

  • Arquitetos: COBE, MVRDV
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  5578
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2019
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: In-Sign, WindowMaster

Casa Três Gerações / BETA office for architecture and the city

© Ossip van Duivenbode
© Ossip van Duivenbode

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 27

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  450
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Kawneer, Sto, Stotherm

Por que o reuso de edifícios existentes pode (e deve) ser o principal foco dos arquitetos

Certificados e prêmios de sustentabilidade são outorgados todos os dias à novos edifícios que prometem um futuro livre de carbono e impacto zero. Entretanto, a maioria dos esforços que empreendemos para construir edifícios cada vez mais "sustentáveis", acaba no dia de suas inaugurações. O custo energético global da arquitetura tem muito mais a ver com a vida útil de um edifício do que com a sua construção. Embora pareça não haver saída para este atual modelo de sucesso, cabe a nós arquitetos, repensar o significado de arquitetura sustentável nos dias de hoje. Talvez devemos parar de aplaudir e exaltar cegamente os novos edifícios e voltar a nossa atenção para os edifícios que já existem. Este artigo foi originalmente publicado no <em

Durante a primeira conferencia mundial do meio ambiente, realizada na cidade do Rio de Janeiro e chamada de Eco-1992, três alarmantes fatos vieram à tona: a temperatura da Terra está aumentando continuamente; a utilização de combustíveis fósseis é a principal causa deste fenômeno; precisamos, com urgência, adaptar o nosso ambiente construído considerando esta nova realidade. Naquele ano, publiquei um ensaio no Journal of Architectural Education intitulado “Architecture for a Contingent Environment”, sugerindo que arquitetos, naturalistas e preservacionistas deveriam se unir para discutir e enfrentar essa nova realidade.

Torres do Futuro / MVRDV

© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode© Ossip van Duivenbode+ 40

  • Arquitetos: MVRDV
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  140000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

As cidades e países mais criativos segundo o Airbnb

À medida que nos aproximamos do final do ano, começamos a refletir sobre tudo que aconteceu neste intenso ano de 2018. Tendo isso em vista, o Airbnb realizou uma ampla pesquisa em sua base de dados para apresentar quais são, segundo o seu ponto de vista, as cidades e os países mais "criativos" deste ano. Os dados se referem à procura dos hóspedes que trabalham e se envolvem com atividades e industrias criativas. A lista se baseia em uma antiga pesquisa realizada pelo Airbnb, a qual revelou que um em cada dez hóspedes do Airbnb e um em cada três anfitriões se identificam como membros da comunidade criativa.

Veja à seguir a lista daqueles que foram considerados os principais países e cidades para a comunidade criativa segundo o novo estudo divulgado pelo Airbnb. Para os arquitetos e arquitetas que já estão planejando (ou já planejaram) às férias deste final de ano, divulgamos anteriormente aqui dez projetos do ArchDaily que podem ser reservados através do Airbnb.

Norra Tornen / OMA | Reinier de Graaf

© Ossip van Duivenbode
© Ossip van Duivenbode

© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu© Laurian Ghinitoiu+ 37

Norrmalm, Suécia
  • Arquitetos: OMA
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  42299
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018

Destaques da semana: o que define um lugar?

Todos nós sabemos que o conceito de lugar é um valor essencial para todas as pessoas, assim como para os arquitetos e as cidades que eles projetam. Arquitetos,  urbanistas e até mesmo os administradores públicos costumam profetizar que "lugares" podem transformar uma cidade para melhor - mas o que nem todos sabem ao certo é, o verdadeiro significado deste conceito.

Pós pós-modernismo: 10 projetos que reinterpretam o movimento na era digital

Não é nenhum segredo que o pós-modernismo, ao longo dos últimos anos, tem passado por uma espécie de renascimento. Sua exuberância e entusiasmo, duramente criticados por muitos arquitetos, talvez sejam um bálsamo nestes momentos tão difíceis pelos quais o mundo está passando. Ou ainda, para parte de nossos colegas, o movimento talvez sirva apenas para criar edifícios fotogênicos que são posteriormente publicados no Instagram. 

Dito isto, vale ressaltar que não estamos tratando aqui exatamente daquele pós-modernismo que surgiu durante os anos 60. O pós-modernismo que aqui nos referimos, é aquele que além de preocupar-se com as preexistências e com o contexto, também procura se reinventar através das novas tecnologias. Instalações e outras formas efêmeras de arquitetura também podem possibilitar uma nova perspectiva sobre a nossa prática profissional, e quando documentadas e catalogadas, estas obras ficam a disposição de todos para futuras pesquisas e consultas. Talvez estejamos lidando não mais com algo reacionário, contra a hegemonia do modernismo; a bandeira que os principais pós-modernistas de outrora levantavam e defendiam. O pós-modernismo de hoje pode ser algo ao mesmo tempo alegre e reservado, vernacular e altamente tecnológico.

Landmark Nieuw Bergen / Monadnock . Image © Stijn BollaertTemple of Agape / Morag Myerscough and Luke Morgan. Image © Gareth GardnerA House for Essex / FAT and Grayson Perry. Image © FAT© Rasmus Hjortshoj+ 70