Acolhimento, tratamento e encontro: 10 projetos de arquitetura pensados para mulheres

Acolhimento, tratamento e encontro: 10 projetos de arquitetura pensados para mulheres

Apesar da legislação de muitos países estabelecer direitos iguais para homens e mulheres, a desigualdade de gênero e todas as suas consequências ainda são sentidas diariamente por meninas e mulheres em diferentes partes do mundo. O sistema patriarcal, enraizado em muitas sociedades ao longo dos séculos, foi responsável por uma desigualdade de poder entre os gêneros que, nos casos mais extremos, reflete-se na violência e no feminicídio.

The Women’s House of Ouled Merzoug / Building Beyond Borders Hasselt University. Imagem: © Thomas NocetoSede Castanhas de Caju / Estudio Flume. Cortesia de Estudio FlumeCentro de Oportunidade para Mulheres / Sharon Davis Design. Imagem: © Elizabeth FelicellaAbrigo para Vítimas de Violência Doméstica / Amos Goldreich Architecture + Jacobs Yaniv Architects. Imagem: © Amit Geron+ 11

O avanço nas legislações de muitos países, que garantem – ao menos na teoria – direitos iguais para homens e mulheres, é resultado de mais de dois séculos de lutas femininas em favor da igualdade. Mas, infelizmente, as leis ainda são insuficientes para assegurar esses direitos. Segundo o relatório Global Gender Gap, do Fórum Econômico Mundial, estamos ainda a mais de um século de distância da igualdade de gênero, se seguirmos o ritmo atual de progresso.

Enquanto a erradicação da violência contra a mulher e da disparidade de gênero parecer uma realidade distante, será preciso não apenas lutar pelas causas das mulheres – que já vêm sendo reivindicadas há muito tempo –, mas também enfrentar as consequências provocadas todos os dias pelo machismo estrutural. 

Centros de oportunidades, capacitação, acolhimento para vítimas de violência doméstica e tratamento da saúde de gestantes são alguns exemplos de espaços pensados para fazer com que as mulheres sintam-se seguras e empoderadas.

Apresentamos, a seguir, 10 projetos ao redor do mundo dedicados ao acolhimento, tratamento, ensino, encontros e trocas entre as mulheres.

Abrigo para Vítimas de Violência Doméstica / Amos Goldreich Architecture + Jacobs Yaniv Architects

Abrigo para Vítimas de Violência Doméstica / Amos Goldreich Architecture + Jacobs Yaniv Architects. Imagem: © Amit Geron
Abrigo para Vítimas de Violência Doméstica / Amos Goldreich Architecture + Jacobs Yaniv Architects. Imagem: © Amit Geron

Liderada pela ativista pioneira dos direitos humanos, Ruth Rasnic, do grupo internacional ‘No To Violence’, a instalação fornecerá um refúgio muito necessário para mulheres e crianças em dificuldades e abusos de todas as localidades e origens. Na chegada do abrigo, cada nova família recebe uma pequena ‘casa’ que é parte de uma edificação maior. A fim de permitir que as famílias possuam uma rotina diária normal no refúgio, as 'casas' são separadas por funções comuns e conectadas por corredores internos.

Casa Albergue KWIECO / Hollmén Reuter Sandman Architects

Casa Albergue KWIECO / Hollmén Reuter Sandman Architects. Imagem: © Juha Ilonen
Casa Albergue KWIECO / Hollmén Reuter Sandman Architects. Imagem: © Juha Ilonen

A Organização da Consultoria e Intercâmbio de Informação de Mulheres de Kilimanjaro (KWIECO) foi fundada em 1987. Proporciona assessoramento sobre questões jurídicas, de saúde, sociais e econômicas às mulheres. A arquitetura da Casa Albergue respeita a cultura local e a hierarquia espacial. Os materiais locais, as energias renováveis, a mão de obra e o saber local são utilizados, assim como o planejamento participativo, para garantir que os usuários tenham um sentido de propriedade mental no albergue.

Sede Castanhas de Caju / Estudio Flume

Sede Castanhas de Caju / Estudio Flume. Cortesia de Estudio Flume
Sede Castanhas de Caju / Estudio Flume. Cortesia de Estudio Flume

O projeto e obra para ampliação da Cooperativa das Mulheres Produtoras de Castanhas de Caju, em Nova Vida, Bom Jesus das Selvas – MA, transformou uma pequena casa da comunidade na sede de trabalho do grupo e, também, num ponto de encontro dos vizinhos. O aprendizado com a dinâmica de trabalho de seis mulheres da cooperativa (Eliane, Francisca, Maria Rita, Leudiane, Solange e Nacely) nos permitiu organizar um fluxo no programa que facilitasse também a rotina de trabalho.

Academia Girl Move / ROOTSTUDIO + Paz Braga

Academia Girl Move / ROOTSTUDIO + Paz Braga. Imagem: © Paz Braga
Academia Girl Move / ROOTSTUDIO + Paz Braga. Imagem: © Paz Braga

A proposta de Girl Move foi uma academia (em um campus universitário, dentro da comunidade, com o qual a organização colaborou durante mais tempo, desde 2013) com espaço suficiente para operar, mas que buscava espacialmente a capacitação de excelência e dinâmica pela qual Girl Move é reconhecida. Para além da funcionalidade, o edifício teve que cumprir com o propósito de inspirar a outros, proporcionando uma nova referência: inovação, sustentabilidade e valorização dos recursos e conhecimentos locais.

Centro de Oportunidade para Mulheres / Sharon Davis Design

Centro de Oportunidade para Mulheres / Sharon Davis Design. Imagem: © Elizabeth Felicella
Centro de Oportunidade para Mulheres / Sharon Davis Design. Imagem: © Elizabeth Felicella

Nós escolhemos a ideia de uma aldeia vernacular de Ruanda como princípio de organização: uma série de pavilhões em escala humana aglomerados para criar segurança e comunidade para mais de 300 mulheres. Concebidos em colaboração com Women for Women International - uma organização humanitária que ajuda mulheres sobreviventes de guerra a reconstruírem suas vidas - esta pequena aldeia transforma a aglomeração urbana e a agricultura de subsistência com uma agenda de arquitetura para criar oportunidades econômicas, reconstruir infra-estrutura social, e restaurar o patrimônio Africano.

Centro para Mulheres em Masai / C-re-aid

Centro para Mulheres em Masai / C-re-aid
Centro para Mulheres em Masai / C-re-aid

Projetado em colaboração com a Femme International, uma organização humanitária que elabora workshops para meninas e mulheres sobre educação sexual e higiene pessoal, este espaço foi pensado como uma referência para as mulheres da comunidade no que se refere a qualquer necessidade, ao mesmo tempo que serve como lugar de encontro onde diferentes grupos de mulheres armazenam materiais e organizam suas reuniões.

Centro para Gestantes / MASS Design Group

Repos Maternel Woman’s Shelter Extension / Marjan Hessamfar & Joe Vérons architectes associés. Imagem: © Arthur Pequin
Repos Maternel Woman’s Shelter Extension / Marjan Hessamfar & Joe Vérons architectes associés. Imagem: © Arthur Pequin

A mortalidade materna devido a complicações durante o parto continua sendo um grande problema global. Este projeto rompeu o conceito de único bloco do volume existente criando uma série de recintos menores agrupados em pequenos pátios. Foram utilizados elementos vernaculares dos vilarejos do Malawi, onde os complexos familiares são compostos por vários pequenos volumes que abrigam gerações de uma família. Os blocos habitacionais menores criam comunidades que estimulam o compartilhamento do conhecimento entre mães experientes e novatas.

Repos Maternel Woman’s Shelter Extension / Marjan Hessamfar & Joe Vérons architectes associés

Centro para Gestantes / MASS Design Group. Imagem: © Iwan Baan
Centro para Gestantes / MASS Design Group. Imagem: © Iwan Baan

Repos Maternel é um abrigo para gestantes e mães jovens a partir de 18 anos, responsáveis por uma ou mais crianças, que são expulsas das suas famílias e estão em vulnerabilidade social e financeira. Localizado em um parque arborizado, o Château Lafon, uma grande casa de campo construída em 1920, proporciona aos residentes alojamentos, serviços de apoio e áreas comuns. Os prédios distribuídos pelo parque abrigam um berçário, escritórios e três semi-internatos para famílias numerosas.

The Women’s House of Ouled Merzoug / Building Beyond Borders Hasselt University

The Women’s House of Ouled Merzoug / Building Beyond Borders Hasselt University. Imagem: © Thomas Noceto
The Women’s House of Ouled Merzoug / Building Beyond Borders Hasselt University. Imagem: © Thomas Noceto

Em Ouled Merzoug, um pequeno vilarejo de terra perto da Cordilheira do Atlas no Marrocos, um terreno foi oferecido pela comunidade para a recente associação de mulheres AFOM (Association des Femmes d’Ouled Merzoug). O resultado final desse processo participatório é a Casa das Mulheres: um local de encontro, trabalho, e aprendizado no centro do vilarejo. Um lugar onde as mulheres podem compartilhar suas habilidades com a comunidade e visitantes.

Refugio para Mujeres Víctimas de la Violencia / ORIGEN 19º41' 53" N

Refugio para Mujeres Víctimas de la Violencia / ORIGEN 19º41' 53" N. Imagem: © Luis Gordoa
Refugio para Mujeres Víctimas de la Violencia / ORIGEN 19º41' 53" N. Imagem: © Luis Gordoa

Introspectivo, é projetado para que a arquitetura seja ‘diluída’, evitando ser a protagonista ao privilegiar a relação usuário-natureza e reduzindo a sensação de isolamento nas mulheres e seus filhos. Do ponto de vista humanitário, este edifício não deveria existir. Entretanto, na ausência de garantias de direitos e segurança das mulheres no México, é uma resposta resiliente de nossa profissão, tornando-se uma inovação tipológica fundamental e uma referência como arquitetura e instituição que ajuda a superar este problema.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Susanna Moreira. "Acolhimento, tratamento e encontro: 10 projetos de arquitetura pensados para mulheres" 09 Ago 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/945265/acolhimento-tratamento-e-encontro-10-projetos-de-arquitetura-pensados-para-mulheres> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.