Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Como projetar espaços acusticamente eficientes

Como projetar espaços acusticamente eficientes

A preocupação de criar ambientes acusticamente confortáveis não é apenas um requisito para salas de concerto e estúdios de gravação. Os níveis de ruído causados por diferentes atividades podem ser irritantes, ainda mais se isso ocorrer em nosso local de descanso, o que pode até ser prejudicial à saúde.

Em nossos espaços de uso diário, os ruídos provenientes de diferentes unidades ou pisos somam-se à transmissão de vibrações ou ruídos de impacto causados por diferentes atividades, somando o ruído dos quartos, salas de jantar, salas de estar, escritórios ou banheiros, ao ruído de áreas de apoio ou serviço, como elevadores, corredores de circulação, casas de máquinas e lavanderias. O desenho desses recintos pode alterar diretamente o bem-estar e, portanto, a habitabilidade de seus usuários finais. Por esse motivo, é essencial solucionar esses problemas desde o início do projeto, mitigando a transmissão do ruído de impacto e impedindo sua recepção em salas que não sejam do local emissor, com um isolamento acústico adequado. Ao entender primeiro quais são as fontes de transmissão, podemos lidar melhor com o projeto.

Cortesía de Volcan
Cortesía de Volcan

Hoje, as soluções construtivas de fachadas contribuem para atenuar o isolamento de ruídos externos, provenientes do trânsito veicular ou outro foco gerado nas ruas adjacentes aos locais onde habitamos. A hermeticidade de janelas e a construção de divisórias perimetrais são altamente eficientes se forem projetadas e executadas corretamente. As soluções leves-secas não apenas aumentam a produtividade na construção, mas também alcançam altos níveis de isolamento térmico e acústico. Isso aumenta a percepção de ruído dentro das unidades, dado o menor ruído de fundo e, portanto, aumenta a sensibilidade à transmissão de ruído de outras unidades ou instalações mecânicas.

Isso torna a percepção de ruído dentro das unidades maior, dado o menor ruído de fundo e, portanto, aumenta a sensibilidade à transmissão de ruído de outras unidades ou instalações mecânicas.

Portanto, as grandes preocupações acústicas de nossos espaços diários são encontradas nos ruídos internos entre unidades, seja em casas ou apartamentos, associados às descargas sanitárias, casas de bomba, lavanderias, equipamentos de ar condicionado, elevadores e transmissão de ruídos de impacto, como objetos em queda, atividades esportivas, jogos infantis ou até a movimentação dos habitantes, podem causar desconforto. Esse problema deve ser resolvido a partir da especificação, uma vez que os edifícios já estão construídos, é difícil, caro, invasivo e ineficiente tentar resolvê-lo, sem muitas vezes alcançar grandes mudanças nesses reparos.

Cortesía de Volcan
Cortesía de Volcan

Soluções de construção acusticamente eficientes

  • Parâmetros verticais acusticamente eficientes

Os sistemas de divisórias perimetrais ou internas permitem cumprir altas taxas de redução acústica, com menores espessuras do que outras soluções. O conceito de massa-mola-massa, efetuado por essas soluções, gera importantes benefícios comparativos em relação às soluções mais tradicionais, cumprindo as regulamentações acústicas em vigor no Chile (Artigo 4.1.6 da OGUC) e ainda atendendo a outros requisitos, como durabilidade, comissionamento rápido, requisitos térmicos (artigo 4.1.10 da OGUC) e conformidade com a resistência ao fogo (artigo 4.3.2 da OGUC).

Cortesía de Volcan
Cortesía de Volcan

Por esse motivo, quando são projetados espaços onde a questão acústica é relevante, como cinemas, salas de conferências ou salas de ensaio, eles são projetados com sistemas de construção de divisórias que podem obter grande eficiência. Para o comportamento acústico de paredes, divisórias e lajes de concreto de um edifício, recomenda-se substituir paredes de grande massa por divisórias duplas e mais leves, obtendo um melhor resultado. O conceito de massa-mola-massa em elementos verticais refere-se às soluções construtivas com cavidade, que, juntamente com um material absorvente usado na cavidade de cada solução, permite que seu papel de "mola" seja totalmente cumprido (elasticidade dinâmica). Materiais como a lã de vidro AislanGlass funcionam como absorvedores de som por resistividade, nos quais a onda dissipa energia à medida que passa pelas camadas.

Outro elemento fundamental para otimizar o efeito de mola é a configuração da estrutura da divisória, que deve minimizar a transmissão mecânica entre uma face e outra para obter o máximo desempenho. É por isso que as configurações de estrutura dupla ou em zigue-zague são usadas.

Cortesía de Volcan
Cortesía de Volcan

No diagrama anterior, o impacto do tipo de estruturação é apresentado, sob uma condição ceteris paribus (deixando todo o resto constante), no índice de redução acústica de uma divisória.

  • Superfícies horizontais acusticamente eficientes

O desempenho acústico das lajes pode ser melhorado ao incorporar um corte elástico entre a laje estrutural de base, por meio de um elemento elástico, e uma laje de acabamento ou laje flutuante. Isso permite que eles também trabalhem com soluções construtivas que cumpram o conceito massa-mola-massa.

A "mola" deve ser previamente incorporada ao revestimento final. Para isso, recomenda-se o uso de lã de vidro de alta densidade e hidro-repelente –SonoGlass Panel Losa–, que atua como um elemento de isolamento térmico e acústico entre os espaços, gerando uma barreira à transmissão de sons, desconectando mecanicamente o elemento mezanino, minimizando a transferência de ruído de impacto ou equipamentos que emitem vibrações.

Cortesía de Volcan
Cortesía de Volcan

Este painel de laje de alta densidade e 25 mm de espessura, disponível em um formato de 1,22 metros de largura por 2,44 metros de comprimento, também contribui para sistemas de aquecimento com uma bobina de cobre, plástico ou outro material embutida nele, permitindo a passagem de água ou ar quente. Assim, o concreto irradia calor de maneira suave e homogênea para o recinto. A disposição do painel de laje na laje radiante evita a perda de calor, ajudando a economizar energia e no comportamento acústico, evitando a transmissão de ruído de impacto por ela. Sua condutividade térmica é de 0,039 W/m°C e é um material não combustível.

Nesse caso, o isolamento de lã que equivale à "mola" deve considerar, desde sua especificação, outros detalhes construtivos a resolver:

  • Vedantes de borda com os retornos necessários.
  • Os materiais para esse "corte elástico" devem ser instalados continuamente e em espessuras regulares, sem interrupções que gerem pontes de transmissão acústica. Idealmente, com características não-combustíveis.

Para obter mais informações, acesse o catálogo da empresa Volcan.

Sobre este autor
Cita: Sapaj, Liset. "Como projetar espaços acusticamente eficientes" [Cómo diseñar espacios acústicamente eficientes ] 25 Mar 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/936218/como-projetar-espacos-acusticamente-eficientes> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.