A beleza do mármore em interiores e fachadas

A beleza do mármore em interiores e fachadas

Das esculturas de Michelangelo, às estruturas dos templos gregos, interiores de castelos, palácios e chegando ao icônico Pavilhão de Barcelona de Mies van der Rohe, quando abordamos a história da arquitetura e escultura, é inevitável falarmos do mármore. Originado a partir de uma reação química do calcário quando exposto a pressão e temperaturas muito altas durante milhares de anos, este nobre material é uma rocha metamórfica geralmente encontrada em regiões onde houve atividade vulcânica. Sua extração, por si só, já é um espetáculo.

Casa Groenlândia / Triptyque. Image © Pedro KokCasa Groenlândia / Triptyque. Image © Pedro KokBent dan Light / BK Interior Design & Architectural Planning. Image © Mario WibowoHaight / MNMA studio. Image © Fran Parente+ 30

Barcelona Pavilion / Mies van der Rohe. Image © Gili Merin
Barcelona Pavilion / Mies van der Rohe. Image © Gili Merin

O processo de extração se dá nas jazidas, reservas naturais em grandes montanhas rochosas, e feita por equipes profissionais e equipamentos apropriados à atividade. O primeiro pedaço de rocha é chamado de bancada ou prancha, com cerca de 12 metros de comprimento X 6 m de altura X 1,80 de largura. Daí são recortados outros blocos, de aproximadamente 3 m x 1,8 m x 1,8 m, que serão posteriormente fatiados em espessuras menores para a fabricação de bancadas, pisos, revestimentos ou outras peças. Ainda que sua extração represente um impacto ambiental significativo, quase a totalidade do que é retirado das jazidas pode ser aproveitado. Desde as grandes peças para usos mais expressivos, até seus resíduos sólidos podem ser utilizados na formulação de bloquetes para calçamento, para a fabricação de granilites ou marmorites, até seu pó para aumentar as propriedades físicas de blocos estruturais.

Podendo apresentar tonalidades de branco, cinza, rosa, verde e até preto e com os veios característicos do material que variam de acordo com o local que foram retiradas, o mármore segue impressionando e sendo utilizado na construção civil para revestimentos interiores, pisos, bancadas e mesmo fachadas. Tanto que, são bastante populares alguns padrões de porcelanato e outros materiais que buscam imitar o desenho do mármore.  

Céline Flagship Store / Valerio Olgiati. Image © Mikael Olsson
Céline Flagship Store / Valerio Olgiati. Image © Mikael Olsson

Há 4 tipos principais de acabamentos para o material:

Bruto: o mármore é apenas serrado e deixado como a rocha foi retirada de sua jazida.

Grupo Arca Showroom / Esrawe Studio. Image © Genevieve Lutkin
Grupo Arca Showroom / Esrawe Studio. Image © Genevieve Lutkin

Polido: é a maneira mais popular. Através do polimento da superfície, a textura da peça é evidenciada com aspecto liso e brilho.

Savoy Residence / Rh+ Architecture. Image © João Morgado
Savoy Residence / Rh+ Architecture. Image © João Morgado

Levigado: trata-se de um acabamento intermediário, que confere um aspecto opaco e liso, mantendo a cor natural da rocha.

Grupo Arca Showroom / Esrawe Studio. Image © Jaime Navarro
Grupo Arca Showroom / Esrawe Studio. Image © Jaime Navarro

Escovado: consiste na escovação com escovas abrasivas diamantadas na superfície da rocha deixando a superfície levemente irregular com leve brilho acetinado.

Haight / MNMA studio. Image © Fran Parente
Haight / MNMA studio. Image © Fran Parente

É sempre prudente aplicar uma resina na pedra, para que todas as porosidades e imperfeições naturais possam ser cobertas.

Casa Groenlândia / Triptyque. Image © Pedro Kok
Casa Groenlândia / Triptyque. Image © Pedro Kok

É muito comum que o mármore seja confundido com o granito, que por outro lado é uma rocha ígnea ou magmática, resultado da consolidação do resfriamento do magma derretido. Enquanto o mármore apresenta veios, o granito evidencia um aspecto mais granulado. Outra diferença é que o mármore é um material mais poroso, absorvendo mais umidade.

Como trata-se de um material natural, são justamente os seus desenhos, cores e padrões o que o torna tão desejado. Seu preço varia justamente pela raridade e exclusividade das cores.

Confira abaixo uma seleção de projetos e produtos que utilizam o mármore na arquitetura.

Fachadas

Marble House / Openbox Architects. Image © Wison Tungthunya
Marble House / Openbox Architects. Image © Wison Tungthunya

Mobiliários

Bent dan Light / BK Interior Design & Architectural Planning. Image © Mario Wibowo
Bent dan Light / BK Interior Design & Architectural Planning. Image © Mario Wibowo

Pisos

Mikveh Oh / arqhé studio. Image © Yoshihiro Koitani + Aby Helfon y Ramón Helfon
Mikveh Oh / arqhé studio. Image © Yoshihiro Koitani + Aby Helfon y Ramón Helfon

Cozinhas

Kentaro Yamada Apartment / Bernardo Amaral Arquitectura e Urbanismo. Image © Attilio Fiumarella
Kentaro Yamada Apartment / Bernardo Amaral Arquitectura e Urbanismo. Image © Attilio Fiumarella

Banheiros

 RR Apartment / StudioLIM. Image © André Mortatti
RR Apartment / StudioLIM. Image © André Mortatti

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "A beleza do mármore em interiores e fachadas" 16 Jan 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/931910/a-beleza-do-marmore-em-interiores-e-fachadas> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.