Tipos de branco - a obra de Fran Silvestre

Tipos de branco - a obra de Fran Silvestre

Existem muitos tipos de branco, todos não têm cor, mas são muito diferentes um do outro: alguns silenciosos, outros ensurdecedores; há o alvo da ausência e também da presença eloquente; O branco neutro é muito comum, que um dia pode ser pintado com outros tons; mas também existem coisas nascidas para serem brancas, que não podem ser de outra cor. A arquitetura de Fran Silvestre é composta de poucos signos essenciais, linhas, planos e volumes pensados ​​e construídos com grande controle geométrico.

© Fernando Alda
© Fernando Alda

O monocromatismo franco não é um aspecto marginal; pelo contrário, está ligado ao processo criativo, constitui-se como parte de uma linguagem arquitetônica e exalta o seu carácter: permite maior controle do espaço, unifica formas e melhora a sua compreensão.

Residência Hofmann / Fran Silvestre Arquitectos

39 Descrição enviada pela equipe de projeto. Uma paisagem rodeada por jardins consolidados, um terreno elevado e alongado com vista para o mar e uma agradável brisa constituem o oportuno ponto de partida para essa história. Três elementos configuram o projeto.

Essa meta não é apenas precisa - como define Alberto Campo Baeza -, mas também frágil porque não admite erros. Pode ser feito de gesso, pedra ou cerâmica, colocado no local sem interrupção, cada um respondendo a uma função específica.
Não é um vestido ou uma moda. Este branco é configurado como uma pele que abriga (às vezes esconde) os dispositivos e instalações que um edifício contemporâneo deve possuir, enfatiza o espaço e o seu conteúdo, cria um cenário para a vida. Vem da ideia fundamental da arquitetura, é fruto de uma busca cuidadosa e profunda e materializa-se graças a um projeto meticuloso e detalhado.

Casa "Entre La Pinada" / Fran Silvestre Arquitectos

57 Interiores María Masià, Estefanía Soriano, Fran Ayala, Ángel Fito, Pablo Camarasa, Sandra Insa, Santi Dueña, Ricardo Candela, David Sastre, Sevak Asatrián, Álvaro Olivares, Paloma Márquez, Eduardo Sancho, Esther Sanchís, Vicente Picó, Erika Angulo, Alba Monfort, Ruben March Josep Ramón Solé (Windmill) Diretor do Projeto Arquiteto Técnico Mais informações Menos informações Descrição enviada pela equipe de projeto.

Se na ausência de cor residem valores antigos (significados comuns às culturas ocidentais e orientais, como liberdade e pureza) na arquitetura de Fran Silvestre, o branco também reflete uma poética mediterrânea. A geometria afiada é orientada em relação aos visuais da paisagem; com a sua ordem euclidiana, a construção sobrepõe-se às rochas e nelas encontra as suas raízes. Os volumes puros e nus elevam-se no ar, dançando intimamente com a luz do sol num espetáculo de sombras em movimento.

Pavilhão de Convidados / Fran Silvestre Arquitectos

55 Maria Masià, Estefanía Soriano, Fran Ayala, Pablo Camarasa, Sandra Insa, Santi Dueña, Ricardo Candela, David Sastre, Sevak Asatrián, Álvaro Olivares, Eduardo Sancho, Esther Sanchís, Vicente Picó, Ruben March, Jose Manuel Arnao, Gemma Aparici, Aida Pons, Sergio Llobregat, Rosa Juanes David Gallardo; Estructuras Singulares.

A luz do Mediterrâneo anima e sustenta esses edifícios: rigorosa e severa quando o sol se aproxima do zênite, quando as partes salientes se protegem da luz mais quente; delicada e leve ao pôr do sol, quando a luz horizontal muda a cor das paredes brancas. Existem muitos tipos de branco, mas o branco dessa arquitectura vive da luz, muda com ela e nela encontra as suas origens e razões.

Sobre este autor
Cita: Paolo De Marco. "Tipos de branco - a obra de Fran Silvestre" 16 Abr 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/915036/tipos-de-branco-a-obra-de-fran-silvestre> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.