Depois de 50 anos, Cuba participa da Trienal de Milão com as Escolas Nacionais de Arte

Depois de 50 anos, Cuba participa da Trienal de Milão com as Escolas Nacionais de Arte
Arquivo Jose Mosquera Lorenzo, 1964. Imagem © Vittorio Garatti
Arquivo Jose Mosquera Lorenzo, 1964. Imagem © Vittorio Garatti

50 anos depois de sua última participação, Cuba retorna à Trienal de Milão para a XXI Exposição Internacional intitulada "Natureza rompida: o desenho se baseia na sobrevivência humana".

Abordando a relação entre o homem e a natureza, o Pavilhão de Cuba evidencia a experiência de alguns exemplos não convencionais da arquitetura orgânica: as Escolas Nacionais de Arte da Havana, um desejo de Fidel Castro e Che Guevara de oferecer uma formação artística a todos os países em desenvolvimento.

Arquivo Jose Mosquera Lorenzo, 1964. Imagem © Vittorio Garatti
Arquivo Jose Mosquera Lorenzo, 1964. Imagem © Vittorio Garatti
Arquivo Jose Mosquera Lorenzo, 1964. Imagem © Vittorio Garatti
Arquivo Jose Mosquera Lorenzo, 1964. Imagem © Vittorio Garatti

O curador do pavilhão Jorge Fernández Torrez, em colaboração com um amplo grupo de trabalho, utilizou uma série de imagens e vídeos criados pelos estudantes e professores da ISA (Universidade das Artes) para contar a história dos edifícios. O produto vai além da iconografia clássica histórica e arquitetônica, documentando os resultados de um processo exemplar e ainda vivo de integração cultural.

Escola de Dança Moderna, projeto de Ricardo Porro. Imagem © Christian Zecchin
Escola de Dança Moderna, projeto de Ricardo Porro. Imagem © Christian Zecchin
Escola de Arte Plástica, projeto de Ricardo Porro. Imagem © Christian Zecchin
Escola de Arte Plástica, projeto de Ricardo Porro. Imagem © Christian Zecchin

Os cinco edifícios diferentes, projetados e construídos entre 1961 e 1965, foram desenvolvidos pelo arquiteto cubano Ricardo Porro em conjunto com a participação italiana de Roberto Gottardi e Vittorio Garanti. A contribuição foi decisiva para o desenvolvimento de um complexo que não só é original, mas também capaz de resistir à passagem do tempo. Neste sentido, a exposição da Trienal é a oportunidade de apresentar dois projetos italianos recentes, dirigidos à revitalização do complexo: um plano de conservação e gestão, além da restauração da Escola de Teatro de Roberto Gottardi.

Escola de Ballet com estudante, 2018. Imagem © Osmara Alberteris Canizares
Escola de Ballet com estudante, 2018. Imagem © Osmara Alberteris Canizares
Escola de Arte Plástica com estudante, 2018. Imagem © Osmara Alberteris Canizares
Escola de Arte Plástica com estudante, 2018. Imagem © Osmara Alberteris Canizares

O Pavilhão de Cuba na XXII Trienal de Milão foi encomendado pelo Ministério da Cultura de Cuba e o Conselho Nacional de Artes Plásticas, representado pela Comissionada Norma Rodríguez Derivet. O curador é Jorge Fernández Torres, diretor do Museu Nacional de Belas Artes de Cuba, com Christian Zecchin e Umberto Zanetti como co-curadores. A exposição foi patrocinada pela Embaixada de Cuba em Roma e o Consulado de Cuba em Milão, com a colaboração da Associação Cultural Cubeart na Itália.

Via Press Office: Map Design Communication 

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Dejtiar, Fabian. "Depois de 50 anos, Cuba participa da Trienal de Milão com as Escolas Nacionais de Arte" [Después de 50 años, Cuba participa en la Triennale di Milano con las Escuelas Nacionales de Arte] 24 Mar 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Daudén, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/913537/depois-de-50-anos-cuba-participa-da-trienal-de-milao-com-as-escolas-nacionais-de-arte> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.