O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. A engenharia por trás da impressionante cúpula geométrica do Louvre Abu Dhabi

A engenharia por trás da impressionante cúpula geométrica do Louvre Abu Dhabi

A engenharia por trás da impressionante cúpula geométrica do Louvre Abu Dhabi
A engenharia por trás da impressionante cúpula geométrica do Louvre Abu Dhabi, © Luc Boegly & Sergio Grazia
© Luc Boegly & Sergio Grazia

Ao entrar no novo Museu do Louvre de Abu Dhabi, o usuário é imediatamente recebido por uma inundação de luz criada pela impressionante rede que abrange os espaços interiores entre os edifícios. A intrincada cúpula geométrica lembra as tradicionais telas da arquitetura árabe e é crucial para alcançar o desejo do arquiteto Jean Nouvel por uma "chuva de luz". Mas como foi o projeto e a construção do elemento mais marcante do edifício e como ele funciona de forma estrutural? O escritório Ateliers Jean Nouvel trabalhou por mais de um ano em estreita colaboração com a BuroHappold Engineering para desenvolver um design que é uma obra-prima arquitetônica e estrutural. Conversamos com Andy Pottinger, diretor associado da BuroHappold, para entender a cúpula com mais profundidade.

© BuroHappold Engineering © BuroHappold Engineering © BuroHappold Engineering © BuroHappold Engineering + 13

© Luc Boegly & Sergio Grazia
© Luc Boegly & Sergio Grazia

Ao estabelecer um padrão adequado para a cúpula geométrica, uma preocupação vital era criar um arranjo evitando a aparência de um espaço-moldura tradicional. "Estudos iniciais estavam relacionados a abordagens geodésicas (com base em triângulos) e abordagens ortogonais (uma grade aproximadamente quadrada)", explica Pottinger. "Mas todos os projetos estudados entraram em confronto com o padrão de base arquitetônica de quatro triângulos em torno de um único quadrado". Depois de algumas iterações diferentes, nada ficou certo. Então, uma tarde, os designers começaram do zero e decidiram abraçar esse padrão arquitetônico. "Em vez de adicionar longas linhas retas, adicionamos mais quadrados e triângulos e o resultado é o que você pode ver acima do Museu hoje", diz Pottinger.

© BuroHappold Engineering
© BuroHappold Engineering
© BuroHappold Engineering
© BuroHappold Engineering

Cada uma das 8 camadas de revestimento na cúpula agora consiste dessas formas estrelares repetitivas. Cada camada, no entanto, é redimensionada e rotacionada para adicionar complexidade e percepção de aleatoriedade a partir de um padrão geometricamente lógico:

O Ateliers Jean Nouvel produzou mapas que mostram onde os níveis de luz superior e inferior eram desejados, e estes foram usados para criar mapas de luminância no nível da praça. Isso nos permitiu verificar uma porcentagem de transparência através do revestimento necessário e desenvolver uma ferramenta para variar automaticamente a largura dos elementos obtendo a transparência necessária. Nós fizemos isso ao lado do Ateliers Jean Nouvel para as 8 camadas de revestimento, cobrindo aproximadamente 200 mil metros quadrados.

© BuroHappold Engineering
© BuroHappold Engineering

No total, a cúpula é composta por 10.968 elementos individuais, 7.850 estrelas individuais, 8 camadas de revestimento e pesa mais de 7.000 toneladas, apoiada por duas camadas de aço ("consideramos a cúpula com 10 camadas", diz Pottinger). Para suportar tudo isso, quatro torres de apoio estão escondidas entre as várias estruturas de salas dentro do museu para alcançar uma aparência flutuante, o que era vital para a visão da cúpula:

Inicialmente, a cúpula tinha 5 suportes irregulares espaçados. As exigências estruturais criadas por este acordo de apoio nos empurraram para uma forma que teria linhas claras de força; mas evitar linhas claras de força foi uma parte fundamental do nosso projeto porque criaria a aparência de uma moldura espacial que apoia um sistema de revestimento. Foi desejada uma cobertura como peça de arte verdadeiramente integrada, por isso sugerimos uma redução dos apoios para quatro, desde que pudéssemos posicioná-los nos cantos de um quadrado perfeito.

© BuroHappold Engineering
© BuroHappold Engineering

A própria cúpula foi cuidadosamente projetada para ser auto-portante, evitando a necessidade de uma retenção lateral e empregando ainda uma estrutura triangular para evitar que ela se espalhe. Para garantir que cada um dos quatro suportes tenha recebido a mesma carga, a cúpula é realmente simétrica ao longo de um eixo. Tais padrões são difíceis, embora não impossíveis, de detectar desde abaixo no museu, algo que Pottinger identifica como um dos aspectos mais gratificantes do projeto:

"Em certos momentos no projeto, as camadas do revestimento não foram separadas como estão agora, mas sentimos que a separação foi uma decisão inspirada pelos arquitetos - recompensando o visitante que analisa suficientemente a cúpula e consegue começar a entender sua lógica".

© Luc Boegly & Sergio Grazia
© Luc Boegly & Sergio Grazia

Considerando o enorme tamanho e peso da cúpula, a construção física provou ser uma tarefa difícil. "Waagner Biro, com sede em Viena, fez um trabalho extraordinário", confirmou Pottinger - os trabalhadores formaram a cúpula em 85 componentes de "super-tamanho" que foram, então, levados para mais de 120 torres temporárias, cada uma diferente devido aos espaços irregulares abaixo. Uma vez que a montagem foi concluída, a cúpula inteira foi levantada por macacos hidráulicos sincronizados 600 milímetros verticalmente para ser assentada em seu lugar definitivo. 

© Luc Boegly & Sergio Grazia
© Luc Boegly & Sergio Grazia

E as maravilhas da engenharia da cúpula não param no final da construção. Para garantir que a estrutura possa ser mantida, a equipe de projeto desenvolveu várias estratégias de acesso. Uma passagem ao redor do perímetro da cúpula permite a entrada de uma extensa rede de caminhos internos. Além disso, existe uma malha de aço inoxidável acessível em toda a superfície inferior com ilhas de serviços colocadas estrategicamente que permitem o acesso a parte superior:

A base completa e a superfície superior da cúpula podem ser acessadas e limpas dessa maneira. Sentimos que o detalhamento preciso e considerado desses acessos e serviços confere à arquitetura da cúpula outro nível.

Louvre Abu Dhabi / Ateliers Jean Nouvel

Construído na 2017 na , Emirados Árabes Unidos. Imagens do Roland Halbe, Luc Boegly & Sergio Grazia, Mohamed Somji, Fatima Al Shamsi, Abu Dhabi Tourism & Culture Authority. Em todos os climas há exceções. Mais quente quando faz frio. Mais fresco nos trópicos. As pessoas, geralmente, não lidam bem ao choque térmico.

Critical Round-Up: The Louvre Abu Dhabi by Jean Nouvel

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Alya Abourezk
Autor
Cita: Abourezk, Alya. "A engenharia por trás da impressionante cúpula geométrica do Louvre Abu Dhabi" 19 Jan 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/886490/a-engenharia-por-tras-da-impressionante-cupula-geometrica-do-louvre-abu-dhabi> ISSN 0719-8906