Ampliar imagem | Tamanho original
Ao entrar no novo Museu do Louvre de Abu Dhabi, o usuário é imediatamente recebido por uma inundação de luz criada pela impressionante rede que abrange os espaços interiores entre os edifícios. A intrincada cúpula geométrica lembra as tradicionais telas da arquitetura árabe e é crucial para alcançar o desejo do arquiteto Jean Nouvel por uma "chuva de luz". Mas como foi o projeto e a construção do elemento mais marcante do edifício e como ele funciona de forma estrutural? O escritório Ateliers Jean Nouvel trabalhou por mais de um ano em estreita colaboração com a BuroHappold Engineering para desenvolver um design que é uma obra-prima arquitetônica e estrutural. Conversamos com Andy Pottinger, diretor associado da BuroHappold, para entender a cúpula com mais profundidade. Ao estabelecer um padrão adequado para a cúpula geométrica, uma preocupação vital era criar um arranjo evitando a aparência de um espaço-moldura tradicional. "Estudos iniciais estavam relacionados a abordagens geodésicas (com base em triângulos) e abordagens ortogonais (uma grade aproximadamente quadrada)", explica Pottinger. "Mas todos os projetos estudados entraram em confronto com o padrão de base arquitetônica de quatro triângulos em torno de um único quadrado". Depois de algumas iterações diferentes, nada ficou certo. Então, uma tarde, os designers começaram do zero e decidiram abraçar esse padrão arquitetônico. "Em vez de adicionar longas linhas retas, adicionamos mais quadrados e triângulos e o resultado é o que você pode ver acima do Museu hoje", diz Pottinger. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar