O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. O croquis como exercício criativo: Zaha Hadid

O croquis como exercício criativo: Zaha Hadid

O croquis como exercício criativo: Zaha Hadid

Ordrupgaard Museum Extension1  2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects Phaeno Science Centre 2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects Terminus Multimodal Hoenheim Nord1  2001. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects Rosenthal Center for Contempoary Art 2003 . Image Cortesía de Zaha Hadid Architects + 10

Um ano após a morte de Zaha Hadid, gostaríamos de recordar uma de suas marcas no início de sua carreira como arquiteta: seus croquis.
Algum tempo atrás fizemos uma publicação com uma coleção de suas principais pinturas como ferramenta de representação arquitetônica no processo criativo de suas obras. Desta vez, fizemos uma seleção de seus croquis mais emblemáticos como o exercício formal inicial de pensamento no processo de projeto.

Terminus Multimodal Hoenheim Nord1  2001. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Terminus Multimodal Hoenheim Nord1 2001. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Phaeno Science Centre 2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Phaeno Science Centre 2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects

Entende-se o desenho, à mão ou digital, como resultado do processo pessoal de pensar um projeto e marcar uma guia de desenvolvimento geral, mediante o uso de traços de diferentes características e intensidades. Podemos dizer que cada croqui é uma reflexão pessoal do método de pensamento de seu autor, um selo único não somente formalmente, mas também em sua abordagem teórica, mostrando as características importantes para o autor nas fases de concepção. Existem arquitetos que usam o croquis para especificar os detalhes e criar a partir disso, alguns marcam a tendência formal de uma obra através do desenho e, por exemplo, outros desenham o contexto para imaginar a localização específica de um projeto.

Rosenthal Center for Contempoary Art 2003 . Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Rosenthal Center for Contempoary Art 2003 . Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Rosenthal Center for Contempoary Art 2003 . Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Rosenthal Center for Contempoary Art 2003 . Image Cortesía de Zaha Hadid Architects

Os particulares e originais croquis de Zaha não tem nada a ver com visões concretas do que será um projeto. Muito pelo contrário, seus desenhos são profundamente influenciados por sua admiração pela 'abstração artística'. Sua beleza reside na capacidade de liberdade formal para explorar e experimentar maneiras de abordar o projeto. Seus desenhos são ensaios de formas, conceitos espaciais, composição, sistemas de construção, estrutura, relação com o contexto, entre outras coisas. São um convite para utilizar a liberdade que nos dá o desenho para explorar conceitos específicos de projeto arquitetônico.

Phaeno Science Centre 2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects
Phaeno Science Centre 2005. Image Cortesía de Zaha Hadid Architects

Sobre este autor
Cita: Santibañez, Danae. "O croquis como exercício criativo: Zaha Hadid" [Zaha Hadid y sus dibujos como ejercicio creativo] 31 Mar 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Helm, Joanna) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/868313/o-croquis-como-exercicio-criativo-zaha-hadid> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.