O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Como um aposentado de 88 anos, pioneiro em projetos solares, recebeu o Prêmio "Game Changers" 2017

Como um aposentado de 88 anos, pioneiro em projetos solares, recebeu o Prêmio "Game Changers" 2017

Como um aposentado de 88 anos, pioneiro em projetos solares, recebeu o Prêmio "Game Changers" 2017
Como um aposentado de 88 anos, pioneiro em projetos solares, recebeu o Prêmio "Game Changers" 2017 , A pesquisa de Knowles sobre as condições ambientais e as teorias sobre o zoneamento do envelope solar prefigurou as ferramentas paramétricas que os arquitetos e planejadores usam hoje. Este esquema para um projeto de loteamento de casas em L.A. demonstra como os desenvolvimentos densos - tanto baixos como altos - poderiam ainda proporcionar equidade em termos de luz solar natural. Cortesia de Ralph Knowles
A pesquisa de Knowles sobre as condições ambientais e as teorias sobre o zoneamento do envelope solar prefigurou as ferramentas paramétricas que os arquitetos e planejadores usam hoje. Este esquema para um projeto de loteamento de casas em L.A. demonstra como os desenvolvimentos densos - tanto baixos como altos - poderiam ainda proporcionar equidade em termos de luz solar natural. Cortesia de Ralph Knowles

Esse artigo foi originalmente publicado pela Revista Metropolis como parte de sua seção 2017 Game Changers. Você pode ler sobre todos os Game Changers 2017 aqui.

Conheci o arquiteto e professor Ralph Knowles em um dia quente de outono, mesmo para o sul da Califórnia. Ele me cumprimentou em mangas de camisa (sua camisa tinha uma estampa tropical de videiras e galhos) e me levou para um cadeira na varanda de seu condomínio. A construção -uma comunidade de aposentados- é bastante nova, mas há árvores de carvalho antigas na rua tranquila. Enquanto falamos sobre sua carreira, os carvalhos da Califórnia formam um cenário pungente. Por mais de cinco décadas, Knowles, 88, tem defendido uma arquitetura que se aproxime das forças e ritmos da natureza.

O arquiteto e professor Ralph Knowles em casa. Imagem © Brian Guido
O arquiteto e professor Ralph Knowles em casa. Imagem © Brian Guido

Ao longo das eleições de 2016, as alterações climáticas e o impacto ecológico da nossa insaciável procura de energia foram questões de políticas públicas que estavam sempre à margem e nunca abordadas explicitamente. Da mesma forma, os arquitetos têm evitado muitas vezes essas questões -abrangendo a sustentabilidade e os requisitos LEED conforme necessário, mas raramente enfrentando-as de frente. Esta relação incômoda entre energia e arquitetura data de décadas atrás. Knowles publicou seu primeiro livro em 1974, exatamente quando a economia global estava sofrendo uma crise energética. O petróleo e o óleo combustível eram escassos, levando não apenas às famosas linhas de gás, mas também à tensões políticas entre os Estados Unidos e as nações do Oriente Médio que ainda vemos hoje.

O texto de Energy and Form: An Ecological Approach to Urban Growth (Energia e Forma: Uma Abordagem Ecológica ao Crescimento Urbano) era parte tratado de conservação de energia e parte chamada à ação. Com base em estudos de arquitetura do povoado e análise da bacia hidrográfica do Vale do Owens na Califórnia, Knowles propôs um método sistemático de modelagem da arquitetura e do desenvolvimento urbano em resposta aos ritmos sazonais e climáticos. Na introdução do livro, ele escreve que "seu método é a dedução e repousa na premissa de que a sobrevivência humana depende da nossa vontade de dirigir conscientemente o crescimento urbano".

Lido hoje, Energy and Form é um predecessor incrivelmente presciente da análise paramétrica, que pode aproximar os impactos ambientais na forma de construção em resposta ao ganho solar, sombra ou ventos. Knowles, entretanto, traça a inspiração para sua pesquisa de envelope solar para quando era um estudante na  North Carolina State University nos anos 1950. (Ele era um aluno do arquiteto argentino Eduardo Catalano.)

E no prefácio de seu livro, ele credita a Buckminster Fuller, que lecionou na faculdade de design, como o primeiro emissor de uma advertência profética sobre o impacto da expansão urbana e da industrialização sobre os recursos da Terra. "Na época, nós o ouvimos apenas fracamente", escreve Knowles. Como Fuller, Knowles dedicou-se à pesquisa que abordaria as grandes questões energéticas, mesmo que a audiência não estivesse pronta para ouvir sua mensagem.

Ultimamente, muitas pessoas têm escutado. Em setembro passado, a Harvard Graduate School of Design (GSD) convocou uma conferência de dois dias intitulada “Heliomorphism.” (Heliomorfismo). O termo esotérico usado pela GSD descreve amplamente o uso de abordagens de projeto responsivas à utilização de energia solar na modelagem de cidades e edifícios. O evento inaugural do Escritório de Urbanização da escola, fundado pelo arquiteto e urbanista Charles Waldheim, utilizou a pesquisa de Knowles no zoneamento do envelope solar -uma designação legal que, se adotada como política, garantiria o acesso solar em áreas urbanas- como um ponto de partida. "A arquitetura que se adapta ao envelope solar nos permite olhar para toda a cidade", explica Knowles.

Waldheim vê igualdade de acesso à luz e ao ar como parte do contrato social das cidades e como um tema que merece atenção renovada. "O que me atrai sobre o assunto é que ele é arcaico e subcultivado nos últimos 25 anos, o que o torna maduro para apropriação", diz Waldheim. A pesquisa de Knowles, ele acrescenta, sugeriu (e ainda sugere) a possibilidade de compreender a construção individual de edifícios conscientes de energia e o planejamento urbano sustentável como um processo sintético. "Agora, temos uma condição de que quando falamos da cidade, acabamos em uma de duas questões - ou falamos de políticas públicas e política, ou cada projeto é uma singularidade", diz Waldheim. "[Heliomorfismo] nos permite lidar com questões de forma urbana coletiva de uma maneira diretamente ecológica."

<a href='http://officeforurbanization.org/'> O Escritório de Urbanização na Harvard GSD produziu um exercício de zoneamento ao longo das linhas de pesquisa de Knowles e aplicou-o em Manhattan. Imagem Cortesia de Charles Waldheim. Cortesia de Charles Waldheim
O Escritório de Urbanização na Harvard GSD produziu um exercício de zoneamento ao longo das linhas de pesquisa de Knowles e aplicou-o em Manhattan. Imagem Cortesia de Charles Waldheim. Cortesia de Charles Waldheim

Ao longo dos anos, a pesquisa de Knowles recebeu financiamento do National Endowment for the Arts e do Solar Energy Research Institute (lançado em 1974, agora o National Renewable Energy Laboratory), mas ele descobriu que os fundos para apoiar seus esforços desapareceram sob a presidência de Ronald Reagan. O interesse do mainstream no ambientalismo introduzido durante os anos 60 e 70, um momento do ativismo e da mudança da política, desvaneceu-se nos anos 80 quando a crise energética se abateu. Agora o problema está de volta na pauta. A conferência da GSD foi programada para coincidir com o aniversário da Resolução de Zoneamento de Nova York de 1916, que foi o primeiro regulamento de desenvolvimento da cidade em relação ao acesso à luz solar e ao ar. Cem anos mais tarde, o  Office for Urbanization de Waldheim espera aumentar a pesquisa de Knowles com parcerias públicas e privadas que proponham abordagens de carbono zero em escala global capazes de contrariar o que descreve como "urbanizações neoliberais corporativas e governamentais".

Embora Knowles não tenha assistido à conferência, ela contou com palestras magistrais de arquitetos como Thom Mayne e Jeanne Gang, ambos o creditam como uma influência. Em particular, o projeto de Gang para a Torre Solar Carve ao longo do High Line de Manhattan usou suas teorias de envelope solar para moldar o edifício. A arquitetura é "esculpida" para maximizar a luz do dia no interior do edifício de escritórios e para manter o acesso à luz solar e ver corredores ao longo do parque. Gang primeiramente leu sobre o trabalho de Knowles em 2000 ao preparar-se para uma conferência sobre arquitetura passiva e de baixa energia, e então visitou-o então na University of Southern California em Los Angeles no seguinte ano. "Ele generosamente me recebeu e me contou sobre o programa, mesmo que eu estivesse lá simplesmente para fazer perguntas e aprender mais sobre os estudos de envelope solar", recorda Gang.

Agora professor emérito na USC, Knowles ensinou na escola de arquitetura por mais de 40 anos e até serviu como reitor interino de 1973 a 1975. Mayne foi um de seus alunos. "[Knowles] incorporou em mim uma abertura -uma inquietude para explorar o potencial ilimitado da arquitetura, dando-me a confiança na capacidade da nossa disciplina de formar e dar vida aos fenômenos complexos, inter-relacionados, altamente diferenciados e duradouros que a formam", diz o prêmio Pritzker.

Na USC, Knowles foi pioneiro em um novo tipo de estúdio de projeto dentro da escola de arquitetura. Seus estúdios foram projetados como laboratórios de testes e, em uma era pré-CAD, focados em pesquisa prática. Ele e os alunos construíram equipamentos para simular o movimento do sol através de uma estrutura e projetaram experimentos para modelar a dinâmica do fluxo do vento e da água. Energy and Form está cheio de fotografias de projetos de estudantes feitos de varas de madeira e blocos que foram gerados através de testes. A metodologia de Knowles fez ele receber a Medalha de Investigação da AIA em 1974 e continua com o Programa de Pós-graduação em Ciência da construção.

Aplicado em escala urbana, o trabalho justifica o acesso e a equidade que podem afetar diretamente as políticas públicas. Ele folheia uma cópia de um livro posterior, Sun Rhythm Form (1981), e aponta para um diagrama que mostra o arranjo de unidades multifamiliares em um terreno. "Estávamos empurrando para a maior densidade e uma gama de tipos de habitação", lembra ele, e reconhece a necessidade continuada de uma diversidade de tipos de habitação. "O formulário tem suas próprias implicações sociais". O ponto é especialmente relevante em mercados imobiliários apertados, como Los Angeles ou San Francisco, onde um aumento nos desenvolvimentos urbanos de urbanização pode ameaçar o acesso à luz solar e torres de apartamentos crescentes lançando grandes sombras.

Um estudo para um desenvolvimento de uso misto ilustra como o envelope solar (acima) determina tanto a forma do desenvolvimento quanto a sua articulação (abaixo). A configuração garante que cada unidade tem pelo menos quatro horas de exposição solar direta, bem como ventilação cruzada. Cortesia de Ralph Knowles
Um estudo para um desenvolvimento de uso misto ilustra como o envelope solar (acima) determina tanto a forma do desenvolvimento quanto a sua articulação (abaixo). A configuração garante que cada unidade tem pelo menos quatro horas de exposição solar direta, bem como ventilação cruzada. Cortesia de Ralph Knowles

É este impacto social de sua pesquisa que mais ressoa com os praticantes contemporâneos. "Pareceu-me que, enquanto muitos na época estavam preocupados com a tecnologia do aproveitamento da energia solar, aqui estava alguém que considerava o impacto na sociedade e como a luz solar poderia ser considerada um condutor chave para a forma urbana e zoneamento", diz Gang.

Knowles parece genuinamente surpreso e tocado pelo novo interesse em seu trabalho. Enquanto folheamos seus livros juntos ao redor da mesa da varanda, posso ver recortes de artigos -alguns amarelados, alguns novos- enfiados nas páginas. "Isso indica que eles têm fé na energia solar", ele diz sobre Waldheim e outros que estão revivendo o interesse em seu trabalho, mas também adverte: "Nós ainda temos um longo caminho a percorrer." Sua longa carreira trabalhando em projetar com a natureza ensinou-lhe a ter perspectiva. Quando terminamos nossa conversa, ele cita sua esposa, Mer: "As sementes que você planta no chão levam muito tempo para crescer."

Este artigo é um de 5 sobre o prêmio Game Changers 2017, da Revista Metropolis. Você pode ler sobre os 4 outros Game Changers no site, incluindo artigos sobre  The Architecture Lobby, Jerry Helling, ReUrbano, e WORKac.

Cita: Zeiger, Mimi. "Como um aposentado de 88 anos, pioneiro em projetos solares, recebeu o Prêmio "Game Changers" 2017 " [How a Retired 88-Year-Old Solar Design Pioneer Became one of 2017's "Game Changers"] 30 Mar 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/868153/como-um-aposentado-de-88-anos-pioneiro-em-projetos-solares-recebeu-o-premio-game-changers-2017> ISSN 0719-8906