O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. "A arrogância do espaço": o espaço urbano subutilizado dos estacionamentos

"A arrogância do espaço": o espaço urbano subutilizado dos estacionamentos

"A arrogância do espaço": o espaço urbano subutilizado dos estacionamentos
"A arrogância do espaço": o espaço urbano subutilizado dos estacionamentos, © Mikael Colville-Andersen via Flickr
© Mikael Colville-Andersen via Flickr

"A arrogância do espaço" é um termo criado pelo especialista em mobilidade urbana e fundador do blog CopenhagenizeMikael Colville-Andersen, para nomear a distribuição desigual dos espaços públicos dedicados aos  ciclistas e pedestres em comparação aos automóveis. 

A partir de uma série de fotografias feitas há algum tempo de certas ruas de Calgary (Canadá), Paris (França) e Tóquio (Japão), Colville-Andersen fez uma comparação que mostra a quantidade de espaço destinado aos pedestres e ciclistas em cada uma, como se vê na imagem a seguir.

© Mikael Colville-Andersen via Flickr
© Mikael Colville-Andersen via Flickr

No entanto, não são apenas os espaços de circulação que este termo define, mas também outras áreas das cidades, como, por exemplo, os estacionamentos para automóveis. 

A primeira avaliação deste tipo de lugar feita pelo especialista foi realizada na comuna de Frederiksberg e em Copenhague, cidade conhecida por sua cultura ciclista e considerada a mais amigável do mundo para as bicicletas, segundo o Ranking Copenhaguenize 2015. 

Embora muitos possam pensar que o espaço urbano na capital dinamarquesa está distribuído de modo igualitário entre os diferentes modais de transporte, os resultados demonstraram que a realidade não é bem assim (embora em outras cidades a distribuição seja, em geral, muito mais desigual)

Esta afirmação é sustentada pelo fato de ainda haver espaços destinados aos automóveis, que, segundo a tendência de mobilidade sustentável dos habitantes de Copenhague -- dos quais 52% usam diariamente a bicicleta para ir ao trabalho, 22% tem um carro e apenas 10% o utiliza diariamente -- estão subutilizados.

© Mikael Colville-Andersen via Flickr
© Mikael Colville-Andersen via Flickr

Com efeito, Colville-Andersen obteve que, se fosse somada a área de todos os estacionamentos para automóveis  que há na cidade e na comuna, a dimensão total chegaria a 1,6 km², como se vê na primeira imagem deste artigo.

Além disso, se fossem consideradas também as áreas de acesso dos veículos e uma distância entre eles, a superfície total chegaria a 3,23 km², que poderiam ser usados para outras finalidades dentro da cidade, como centros culturais, parques urbanos, moradias etc. 

Cita: Gaete, Constanza Martínez. ""A arrogância do espaço": o espaço urbano subutilizado dos estacionamentos" ['La arrogancia del espacio': el espacio urbano subutilizado en estacionamientos para autos] 21 Abr 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/785855/a-arrogancia-do-espaco-o-espaco-urbano-subutilizado-dos-estacionamentos> ISSN 0719-8906