O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Juízados E Tribunais
  4. Clássicos da Arquitetura: Chicago Federal Center / Mies van der Rohe

Clássicos da Arquitetura: Chicago Federal Center / Mies van der Rohe

Clássicos da Arquitetura: Chicago Federal Center / Mies van der Rohe
Clássicos da Arquitetura: Chicago Federal Center / Mies van der Rohe, © Garrett Rock
© Garrett Rock

O Chicago Federal Center, projetado por Ludwig Mies van der Rohe e finalizado em 1974, é composto por três edifícios dispostos ao redor e definindo a Chicago Federal Plaza. No lado leste da rua South Dearborn implanta-se o Tribunal de Justiça Everett M. Dirksen, de 30 andares. No lado oeste estão o Edifício John C. Kluczynski de 42 pavimentos e a Agência dos Correios, térrea, que definem a praça.

Cortesia de Samuel Ludwig Cortesia de Samuel Ludwig Cortesia de Samuel Ludwig Cortesia de Samuel Ludwig + 11

Cortesia de Samuel Ludwig
Cortesia de Samuel Ludwig

O complexo foi concluído em 1974, cinco anos após a morte de Mies. Ele unifica dois temas que o arquiteto repetiu ao longo de sua carreira: os dois blocos em altura, que aprofundou ideias sugeridas no Edifício Seagram, em Nova York; e o grande espaço aberto do edifício dos Correios, semelhante a outros projetos de gabarito baixo, como o S. R. Crown Hall, nas proximidades.

Cortesia de Samuel Ludwig
Cortesia de Samuel Ludwig

O projeto tem suas raízes em um plano de 1950 do Governo dos EUA para atualizar os serviços federais em todo o país. Mies recebeu a própria comissão em 1959. Uma das condições do projeto era que a antiga edificação – que ocupava o bloco onde o Edifício Federal Kluczynski e a Agência de Correios atualmente implantam-se – teria que permanecer em operação até que o tribunal pudesse ser transferido ao novo prédio do outro lado da rua.

Cortesia de Samuel Ludwig
Cortesia de Samuel Ludwig

A área disponível para o novo tribunal, combinada com suas necessidades de espaço, fixaram o Tribunal Dirksen em 30 pavimentos, também altamente influenciado pela modulação estrutural de 8,5 metros que Mies utilizou em todos os três edifícios. Para o restante do complexo, porém, Mies desenvolveu uma série de projetos em potencial - incluindo um onde o Edifício Federal e os correios foram combinados em um único edifício, e outro onde um edifício de 30 andares espelhava o tribunal, com a agência de correios entre eles - antes de finalmente se decidir sobre o arranjo atual.

Cortesia de Samuel Ludwig
Cortesia de Samuel Ludwig

No livro 'Chicago: In and Around the Loop, Walking Tours of Architecture and History', Gerard Wolfe chama o Federal Center de "a expressão máxima da segunda escola arquitetônica de Chicago". Este estilo foi um dos que Mies tentou canonizar durante seus vinte anos como diretor da Escola de Arquitetura IIT, fazendo uso da geometria retilínea rígida, detalhamentos minimalistas e pés-direitos duplos no térreo procurando reduzir as barreiras entre interior e exterior. Os montantes verticais em perfil I, uma técnica que Mies empregou no Edifício Seagram, combinado com tinta preta e cortina de vidro bronze são elementos expressivos chave.

Cortesia de Samuel Ludwig
Cortesia de Samuel Ludwig

No Guia AIA de Chicago, Franz Schulze aponta que o Federal Center de Chicago foi criticado pela maneira que aborda o "abstrato e o não alusivo, mais que uma arquitetura representativa". De fato, não exibe a grandeza que é comum em edifícios públicos, entre eles o edifício em estilo Beaux Arts que substituiu. No entanto, Schulze trata de sua defesa, escrevendo que "a devoção inflexível de Mies aos princípios, juntamente com sua sensibilidade alardeada à proporção e ao detalhe, e, neste caso, à escala organizacional, combinam-se para dar ao complexo uma presença urbana monumental." Claramente essas críticas estilísticas não se mantém firmes quando confrontadas com uma obra-prima de Mies; nesse tour de edificações modernistas, a pompa e o simbolismo dos outros edifícios cívicos parecem supérfluos, substituindo com um projeto simples, ainda que exemplar.

Cortesia de Samuel Ludwig
Cortesia de Samuel Ludwig

O complexo recebeu a escultura de Alexander Calder, 'Flamingo', após sua conclusão em 1974. Essa estrutura com cerca de 16 metros, sinuosa, vermelha escarlate, oferece um belo contraponto aos edifícios lineares e austeros de Mies. O Chicago Federal Center oferece um espaço cívico crucial para a cidade – um exemplo do extraordinário legado arquitetônico que Mies van der Rohe deixou para a cidade de Chicago.

Ver a galeria completa

Sobre este escritório
Cita: Stott, Rory. "Clássicos da Arquitetura: Chicago Federal Center / Mies van der Rohe" [AD Classics: Chicago Federal Center / Mies van der Rohe] 18 Abr 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/785659/classicos-da-arquitetura-chicago-federal-center-mies-van-der-rohe> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.