O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. China assume posição para acabar com sua "arquitetura estranha"

China assume posição para acabar com sua "arquitetura estranha"

China assume posição para acabar com sua "arquitetura estranha"
China assume posição para acabar com sua "arquitetura estranha", CCTV by OMA. Image © OMA
CCTV by OMA. Image © OMA

A China se tornou nos últimos anos o lar dos ícones arquitetônicos mais estranhos do século XXI. Hangzhou tem uma réplica da Torre Eiffel como parte de um empreendimento imobiliário e o World Financial Center de Xangai é frequentemente descrito como o maior abridor de garrafas do mundo. No entanto, projetos deste tipo poderão, em breve, ser anulados por uma medida tomada pelo Conselho Estatal e pelo Comitê Central do Partido Comunista, de acordo com o New York Times.

A medida impede a construção de qualquer arquitetura considerada "superdimensionada, xenocêntrica, estranha e desprovida de tradição cultural". Em seu lugar, deverão ser projetados edifícios "adequados, econômicos, sustentáveis e agradáveis ao olhar."

Shanghai Skyline © flickr user januski83, licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/'> CC BY 2.0</a>
Shanghai Skyline © flickr user januski83, licensed under CC BY 2.0

A nova diretriz também impõe o fim das comunidades residenciais muradas. Estas medidas foram divulgadas após o governo chinês ter se reunido para discutir questões relacionadas ao rápido crescimento urbano do país. Atualmente, mais de 700 milhões de chineses vivem em cidades. 

O conjunto de normativas segue a ideia de um discurso de quase duas horas proferido pelo presidente da China, Xi Jinping, em 2014, em que ele pede o fim destes "edifícios estranhos", particularmente na capital Pequim. Visto como um "parque de diversões para as estrelas da arquitetura" -- com edifícios como o CCTV do OMA, conhecido pelos moradores locais como "calças grandes"-- o país não financiará mais este tipo de edifício icônico quando se tratar de projetos públicos. 

"Para projetos residenciais ou comerciais privados, ainda há espaço para inovação", comentou Wang Kai, vice-presidente da Academia Chinesa de Planejamento e Desenho Urbanno, ao New York Times. 

Why China's President Says "No More Weird Buildings"

Via New York Times

Sobre este autor
Kaley Overstreet
Autor
Cita: Overstreet, Kaley. "China assume posição para acabar com sua "arquitetura estranha"" [China Takes Steps to Stop its "Weird Architecture"] 19 Mar 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/783548/china-assume-posicao-para-acabar-com-sua-arquitetura-estranha> ISSN 0719-8906
Ler comentários