O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Desafiando as regras de um simulador de cidades onde não há "game over"

Desafiando as regras de um simulador de cidades onde não há "game over"

Desafiando as regras de um simulador de cidades onde não há "game over"
Desafiando as regras de um simulador de cidades onde não há "game over", © Finn Williams
© Finn Williams

Como parte da série de artigos Guardian Cities, o arquiteto Finn Williams utiliza o jogo Cities: Skyline Simulator para questionar se "os jogos baseados no crescimento são compatíveis com uma estratégia pós-crescimento" - conduzindo sua resposta para um "sonoro não". O jogo, que foi projetado para "perceber a emoção e dificuldades de criar e manter uma cidade real", permite que os jogadores lidem com questões de infraestrutura, problemas habitacionais e orçamentos apertados em uma escala urbana.

Não há “game over” em Cities: Skylines, apenas cerca de 400 cidadãos agitados em volta dos restos de minha cidade. Distritos inteiros foram abandonados, serviços públicos foram desativados, a taxa de desemprego explodiu e o orçamento foi prejudicado por dívidas da magnitude do débito grego. Também não há democracia, ou eu teria sido expulso da prefeitura muito antes das luzes se apagarem. "Para onde foi todo mundo? #ghosttown” anuncia meu feed de notícias. Tentei quebrar as regras do jogo e acabei com uma cidade quebrada.

Leia o artigo completo aqui.

10 Things The "Cities: Skylines" Video Game Taught Us About Modern Urbanism

Sobre este autor
James Taylor-Foster
Autor
Cita: Taylor-Foster, James. "Desafiando as regras de um simulador de cidades onde não há "game over"" [Challenging the Rules of a City Simulator in Which There is No "Game Over"] 16 Ago 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/771815/desafiando-as-regras-de-um-simulador-de-cidades-onde-nao-ha-game-over> ISSN 0719-8906