O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Vida natural na cidade: Como o Zaryadye Park de Diller Scofidio + Renfro pode melhorar Moscou

Vida natural na cidade: Como o Zaryadye Park de Diller Scofidio + Renfro pode melhorar Moscou

  • 21:00 - 26 Fevereiro, 2015
  • por Liza Premiyak
  • Traduzido por Romullo Baratto
Vida natural na cidade: Como o Zaryadye Park de Diller Scofidio + Renfro pode melhorar Moscou
Vida natural na cidade: Como o Zaryadye Park de Diller Scofidio + Renfro pode melhorar Moscou, Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

No final de 2013, o escritório Diller Scofidio + Renfro venceu o concurso internacional para projetar o Zaryadye Park, primeiro parque construído em Moscou nos últimos 50 anos. O projeto é o carro-chefe de uma série de propostas que visam melhorar os espaços verdes da cidade, incluindo a renovação do Gorky Park e dos planos recentes para o Rio Moscou. Este artigo, publicado originalmente pelo The Calvert Journal como parte da série " How to Fix Moscow", examina como a "vida natural" urbana de DS+R afetará a cidade.

Em uma entrevista de 2010, o crítico e historiador Grigory Revzin se queixou de que os moscovitas que quisessem "caminhar em parques e aproveitar a cidade" teriam que "sair às ruas" antes que qualquer coisa fosse feita.  Na esperança de que arquitetos respondessem ao problema, uma das sugestões de Revzin era um parque que substituísse o Hotel Rossiya, cuja vegetação do terreno havia crescido demais desde que este fora abandonado em 2007. Essa área selvagem no centro da cidade era, de fato, um presságio do que estava por vir:  Zaryadye Park, o primeiro parque construído em Moscou nos últimos 50 anos, cujo concurso foi vencido pelo escritório americano Diller Scofidio+Renfro em novembro de 2013.

Cortesia de Zaryadye Park Cortesia de Zaryadye Park Cortesia de Zaryadye Park Cortesia de Zaryadye Park + 9

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

Uma ideia popular nas primeiras etapas do parque era que ele pudesse ser composto por vegetação nativa de todas as partes da Rússia. Diller Scofidio+Renfro levou essa ideia ainda mais longe, propondo que a flora nativa fosse incluída, mas como parte de quatro microclimas artificiais que mimetizam as diferentes paisagens do país: o estepe, a floresta, o pântano e a tundra. O princípio por trás disso é similar ao do Park Russia, parque temático proposto no sul de Moscou, que pretende representar todas as regiões do país em um único espaço. Os microclimas de Zaryadye serão mantidos em temperaturas constantes durante todo o ano através de tecnologias de resfriamento e aquecimento, fazendo da "vida natural" da Rússia tanto uma atração como uma exposição. 

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

Diller Scofidio+Renfro pretende encontrar o equilíbrio entre vida selvagem e vida urbana, criando uma periferia no centro de Moscou. Isso é apropriado para a área de Zaryadye que, localizada na orla do rio em um dos distritos mais antigos de Moscou, a 300 metros da Praça Vermelha e do Kremlin, é um subúrbio da cidade antiga que se localiza hoje no centro da metrópole. O termo "urbanismo selvagem", usado na proposta de Diller Scofidio+Renfro, é descrito pelo escritório como "uma oportunidade de deixar a cidade e ao mesmo tempo se aproximar dela". O Zaryadye Park não é o primeiro projeto do escritório a explorar a interseção entre natureza e cidade. Diller Scofidio+Renfro é responsável pelo High Line de Nova Iorque, um parque linear de 2,32 quilômetros de extensão construído sobre uma ferrovia abandonada.

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

A ideia romântica de vida selvagem, segundo o historiador ambiental Roderick Nash, se originou nas cidades onde as pessoas experienciavam a nostalgia da época em que a "vida humana era intimamente ligada à natureza." De modo similar, Diller Scofidio+Renfro está interessado em reconciliar a vida urbana com a natureza. Como resultado, o projeto para o parque é completamente livre de caminhos definidos, assim as pessoas e a vegetação se envolvem e os pavilhões são criados a partir de dobras na paisagem.

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

Durante os anos de Brezhnev, "selvagem" costumava ser um termo empregado negativamente àqueles que abandonavam as férias pagas pelo estado nas montanhas ou no Mar Negro para realizar atividades próprias, como acampar, caçar, pescar, remar ou tomar sol. Estes eram desencorajados por não serem "socialmente úteis", o que significava que não apresentavam as virtudes proletárias que fortaleciam o corpo e o caráter moral do veranista soviético.

A proximidade com a natureza foi, contudo, uma das metas do planejamento urbano soviético dos anos 1920, quando as consequências da industrialização começaram a ser vistas como um problema. Para permitir o desenvolvimento de parques urbanos e áreas verdes, uma nova legislação outorgou que "nenhuma nova habitação deveria ser construída a mais de 600 metros de um parque". Em seu livro de 1930 intitulado Sotsgorod, Nikolay Milyutin propôs mesclar inteiramente cidade e o campo em uma cidade linear.

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

A cidade linear foi concebida durante um período em que havia uma divisão crescente entre a cidade e o campo na URSS, e foi em parte uma reação a Lenin, citado em Sotsgorod, que pedia pela "eliminação da desolação rural, seu isolamento do resto do mundo, sua vida natural, assim como a aglomeração não natural das enormes massas nas grandes cidades." Embora a cidade linear possa ter sido uma tentativa de reduzir o isolamento rural, se ela tivesse sido realizada, teria potencializado o coletivismo ao descentralizar o poder, dando ao estado controle total sobre a terra e a produção.

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

Não faz tanto tempo que "selvagem" era considerado uma mancha na Rússia. Após 20 anos, esse rótulo ainda faz lembrar o período de economia instável e do fracasso da perestroika nos anos aós o colapso da União Soviética. Apesar do fato das plantas poderem crescer livremente, a ideia de Diller Scofidio+Renfro de vida selvagem é algo que não é apenas cultivado, mas administrado e controlado. O selvagem domado, ao alcance do Kremlin e da administração estatal, é uma indicação poderosamente conservadora no cenário político atual. 

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

A ideia de jardins ativos o ano todo foi originalmente proposta para o Gorky Park, que passou por uma renovação multimilionária em 2011. Embora o jardim de inverno nunca tenha sido construído, o Gorky Park abriu um espaço para as pessoas se encontrarem e protestarem. Quando o Zaryadye for concluído, ambos parques formarão uma faixa verde de sete quilômetros com apenas algumas vias os separando.

Cortesia de Zaryadye Park
Cortesia de Zaryadye Park

Há esperança de que os moradores reclamem esses espaços, assim como os stilyagi - uma subcultura que surgiu na União Soviética, semelhante aos Teddy Boys do Reino Unido - fizeram nos anos 1950. Os stilyagi estavam preocupados não em encontrar espaços alternativos para dançar e cantar músicas americanas ilegais, mas em reapropriar espaços urbanos importantes como o Gorky Park, designados espaços de aculturação soviética.

Para os manifestantes de hoje, reclamar o espaço poderia simplesmente significar usar os parques do modo como eles foram pensados para serem usados. Após as eleições de 2011, manifestantes anti-governo participaram do que foi chamado "passeios de protesto", a ênfase em gulyaniye, que significa caminhar ou, em alguns casos, se divertir e festar. Durante os passeios, que continuaram até 2013, pessoas "saíram às ruas", recordando as palavras de Revzin. Parques, que afinal são projetados para as pessoas caminharem e desfrutarem, são igualmente apropriados para esse tipo de atividade; especialmente Zaryadye, onde as pessoas serão livres para caminhar espontaneamente em meio à natureza.

Para mais artigos e entrevistas da série "How to Fix Moscow" do Calvert Journal, clique aqui.

Sobre este autor
Liza Premiyak
Autor
Cita: Liza Premiyak. "Vida natural na cidade: Como o Zaryadye Park de Diller Scofidio + Renfro pode melhorar Moscou" [A Wilderness in the City: How Diller Scofidio + Renfro's Zaryadye Park Could Help Fix Moscow ] 26 Fev 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/762737/um-deserto-na-cidade-como-o-zaryadye-park-de-diller-scofidio-plus-renfro-pode-melhorar-moscou> ISSN 0719-8906