O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Cinema e Arquitetura: “Blade Runner”

Cinema e Arquitetura: “Blade Runner”

Cinema e Arquitetura: “Blade Runner”
Cinema e Arquitetura: “Blade Runner”, Cartaz
Cartaz

Blade Runner, do diretor Ridley Scott completou esta semana 30 anos, sem seres replicantes e sem as colônias espaciais antecipadas na trama futurista deste reconhecido longa-metragem, uma das obras-primas da ficção científica dos anos 8o quando o mundo vivia um boom tecnológico e Ridley Scott resolveu mostrar como seria o mundo quando a criatura se revoltasse contra o criador.

Cenas do filme

O filme de  Scott foi baseado no livro de Philip K. Dick e estreou nos Estados Unidos dia 25 de junho de 1982, protagonizado por Harrison Ford, Sean Young, Edward James Olms e Daryl Hannah, entre outros.

Cenas do filme

Blade Runner  é citado como o primeiro filme da história a discutir o aquecimento global. Na trama, a cidade norte-americana de Los Angeles (2019) aparece completamente diferente por causa das transformações ambientais,  a metrópole tornou-se uma cidade sinistra, repleta de arranha-céus decadentes, corroídos por uma incessante chuva ácida e assolada pela superpopulação.

Cenas do filme

Neste cenário cyberpunk, vive o detetive Deckard Cain ou Blade Runner, interpretado por Harrison Ford,  que precisa realizar um último trabalho: aposentar (destruir) quatro androides - com aspecto humano, chamados de replicantes, que se rebelaram após tomarem consciência de si mesmos –  desertores que fugiram após uma rebelião. Esses robôs,  faziam parte de uma colônia espacial e retornaram à Terra com a intenção de encontrar seu criador e, após serem tratados como delinquentes, demonstram ter mais humanidade que seus fabricantes.

Cenas do filme

Os visual futurista-retrô é um dos aspectos mais marcantes de Blade Runner. O longa foi inspirado nos filmes noir da década de 50, o que lhe rendeu duas indicações ao Oscar: Melhor Direção de Arte e Efeitos Visuais. Seu estilo serviu como inspiração para muitas outras obras, como Johnny Mnemonic e Robocop. Uma curiosidade é que o apartamento de Deckard  é inspirado na casa Ennis Brown de Frank Lloyd Wright, projeto que realmente aparece em algumas cenas do filme.

Cenas do filme

A trilha sonora composta pelo grego Vangelis, marcou o enredo que também retrata o amor contraditório entre o caçador Deckard e a andróide Rachel. O papel que consagrou a atriz Sean Young.

Cena do filme

Com medo que os espectadores não entendessem o final do filme, os produtores de Blade Runner convenceram o diretor Ridley Scott a criar um final diferente. Com um clima feliz e romântico. Aquilo incomodou tanto a Scott que em 1992, ao comemorar os dez anos do filme, ele lançou uma edição especial onde o encerramento é um mistério e o público fica em dúvida do que pode ter acontecido com os personagens. Um final menos popular, mas dessa vez do jeito de Scott.

Cenas do filme

O autor: Philip Kindred Dick

Autor do livro que deu origem ao filme, Philip Kindred Dick nasceu em 16 de dezembro de 1928, em Chicago, Illinois, e faleceu em 2 de março de 1982, vítima de problemas no coração. Ele escreveu 36 romances e mais de cem contos, alguns deles obras-primas, como O Homem do Castelo Alto, que mostra o que aconteceria se os aliados fossem derrotados na Segunda Guerra Mundial.

Cena do filme

Apesar de Philip K. Dick ter visto apenas os 20 minutos inicias do longa-metragem antes de sua morte, ele ficou extremamente impressionado e, segundo Paul Sammon, teria dito: “Era o meu próprio mundo. Capturaram-no perfeitamente“. No entanto, nem Ridley Scott nem o roteirista David Webb Peoples leram o romance completo.

 As obras de Dick já foram levadas mais de uma vez para o cinema, como em Screamers – Assassinos Cibernéticos, um filme B com Peter Weller (Robocop) e O Vingador do Futuro, com Schwarzenegger.

Cenas do filme

Tanto os textos de Dick quanto Blade Runner influenciaram o cinema, em O Show de Truman - a cidade é baseada no conto Time out of Joint - e Matrix.Blade Runner é um dos filmes mais influentes já feitos e agora, 30 anos depois, uma continuação está sendo programada pelo próprio Ridley Scott.

É verdade que ela não deve trazer Deckard de volta, mas continuará a trama na Los Angeles futurista e decadente do século 21.

Cenas do filme

VEJA O TRAILER A SEGUIR:

 

FICHA TÉCNICA:

Título em português: Blade Runner – O Caçador de Andróides

Título Original: Blade Runner

Ano: 1982

Duração: 117 min.

Origem: Estados Unidos

Direção: Ridley Scott

Roteiro: Hampton Fancher, David Peoples e Roland Kibbee

Trilha Sonora: Vangelis

Fotografia: Sacha Vierny

Elenco: Harrison Ford, Rutger Hauer, Sean Young, Edward James Olmos, Daryl Hannah.

Sobre este autor
Joanna Helm
Autor
Cita: Joanna Helm. "Cinema e Arquitetura: “Blade Runner”" 29 Jun 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/56766/cinema-e-arquitetura-blade-runner> ISSN 0719-8906