O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Pampulha: Beleza pioneira e intimista de Niemeyer / Paul Clemence

Pampulha: Beleza pioneira e intimista de Niemeyer / Paul Clemence

Pampulha: Beleza pioneira e intimista de Niemeyer / Paul Clemence
Pampulha: Beleza pioneira e intimista de Niemeyer / Paul Clemence, © Paul Clemence
© Paul Clemence

Brasília foi o projeto que deu a arquitetura moderna brasileira uma projeção internacional em uma escala até então não vista. E, claro, consequentemente ao arquiteto de seus principais edifícios, Oscar Niemeyer. Mas antes de Brasília, houve Pampulha, o complexo arquitetônico à beira da lagoa de mesmo nome, ao norte de Belo Horizonte. Foi ali que a famosa curva criou força e partiu em sua longa e bela trajetória.

© Paul Clemence

Encomendado pelo então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek (que mais tarde, já como presidente, encomendaria também Brasília), o projeto tinha como objetivo o desenvolvimento do novo bairro que crescia ao redor da recém-construída Lagoa de Pampulha. Um terreno virgem, livre de referências históricas e com vista para o futuro: a oportunidade perfeita para Oscar por em prática suas ideias de renovação dos paradigmas que se estabeleciam limitando a arquitetura moderna.

© Paul Clemence
© Paul Clemence

Agora então era a hora das linhas soltas, da planta livre, da amplidão possível graças ao concreto armado, das curvas, dos materiais tradicionais reinterpretados, enfim, de uma nova maneira de se aliar a forma a função, sem que essa última sacrifique a primeira e vice-versa. Um programa relativamente simples (um casino, um salão de baile, um restaurante, uma igreja e um iate clube), permitiu ao arquiteto criar com liberdade. As formas esculturais se adicionaram também painéis e murais feitos por Paulo Werneck e Candido Portinari, numa perfeita integração de arte e arquitetura.

© Paul Clemence

Com uma escala mais familiar que Brasília, em Pampulha as formas de Niemeyer permitem uma maior interação com o individuo: aqui se conecta à obra num nível mais direto e íntimo, ao contrario da reverência exigida pelos edifícios da capital. Até mesmo a relação entre cheios e vazios aqui é mais gentil, estabelecendo um diálogo com o contexto que convida e acolhe ao invés de se impor como monumento.

© Paul Clemence

O conjunto é de uma coerência sublime, onde cada parte, mesmo tendo caráter próprio, está em sintonia ao todo, formando um poema arquitetônico, onde cada edificação flui naturalmente à próxima; cada uma é um exercício de formas e luz, criando a tal surpresa que o arquiteto define como elemento fundamental da beleza.

© Paul Clemence
© Paul Clemence

Sobre este autor
Igor Fracalossi
Autor
Cita: Igor Fracalossi. "Pampulha: Beleza pioneira e intimista de Niemeyer / Paul Clemence" 25 Jan 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/23011/pampulha-beleza-pioneira-e-intimista-de-niemeyer-paul-clemence> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.