O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Barcelona no caminho para baixar em 30% a circulação de carros

Barcelona no caminho para baixar em 30% a circulação de carros

Barcelona no caminho para baixar em 30% a circulação de carros
Barcelona no caminho para baixar em 30% a circulação de carros, © Flickr © Almusaiti
© Flickr © Almusaiti

Cerca de meio milhão de euros. Isto é o Barcelona deverá pagar à Comissão Europeia por não cumprir a normativa para a qualidade o ar. Sendo que este ano 70% da contaminação da cidade foi gerada pelo tráfego de automóveis, as medidas para reverter esta situação foram consideradas urgentes pelas autoridades.

Nos últimos meses, a cidade de Barcelona tem trabalhado na elaboração do novo Plano de Mobilidade Urbana (PMU) 2013-2018. Um de seus objetivos mais ousados é a redução – em cinco anos – de 30% da circulação de automóveis particulares. Para atingi-lo, as medidas não apostam tanto nas proibições, mas sim nos incentivos ao uso do transporte público e nas facilidades para pedestres e ciclistas. Em outras palavras, o PMU busca aumentar a eficiência de uma mobilidade urbana que, por sua vez, contribua com a segurança e com a melhoria da qualidade do meio ambiente.

Para o desenvolvimento de iniciativas como esta, o Município conta com o Pacto pela Mobilidade, criado em 1998, composto por diversos grupos de trabalho (representantes da administração local, de associações e de agentes públicos) que tem a tarefa de analisar os diferentes cenários estabelecidos no diagnóstico e elaborar propostas concretas baseadas em consenso.

Como a primeira fase de diagnóstico já foi finalizada, em setembro espera-se que o Pacto pela Mobilidade analise as diretrizes sugeridas pelo Município. Logo que se chegue a um consenso, será realizada a avaliação ambiental para determinar os possíveis efeitos dessas medidas.

Para desenvolver o Plano de Mobilidade Urbana, tomaram-se como base os índices do ano de 2011. Naquele ano, os veículos privados motorizados concentravam 26,7% dos deslocamentos durante um dia em Barcelona. O objetivo fixado para 2018 é que passem a representar 30,4% a menos, ou seja, 18,6%. Por outro lado, as viagens feitas a pé devem aumentar de 31,9% para 35,4%; as viagens por transporte público, de 39,9% para 43%; e por bicicleta, de 1,5% para 3%.

As medidas propostas segundo o tipo de transporte

1) No caso do automóvel, pretende-se fomentar o uso compartilhado, seja através do car sharing (usuários que usam o mesmo carro mas em horários distintos) ou do car pooling (veículos compartilhados por pessoas distintas ao mesmo tempo). Foi também proposta a extensão das vias exclusivas tanto para ônibus quanto para veículos com vários passageiros, ou para os considerados ecológicos.

Outras das medidas que buscam incentivar meios de transporte alternativos ao carro são: pacificar as ruas, cumprir parâmetros normativos de qualidade ambiental, aplicar novas tecnologias que forneçam informação em tempo real sobre a situação de tráfego e estacionamento, reduzir as vítimas do tráfego e aumentar o espaço destinado aos pedestres.

2) Quanto ao transporte público, o grande desafio é a consolidação da rede de ônibus de TMB instalada recentemente, no final de 2012. Outra ideia do Município é o cartão para transporte público T-Mobilitat. O interessante é que o preço da tarifa se ajusta à quantidade de deslocamentos feitos. Ou seja, quanto mais utilizado o cartão for, mais barata a passagem se torna.

3) Quanto aos pedestres, o plano aposta na ampliação das calçadas e a alteração do decreto-lei que valoriza aqueles que andam à pé. Também se pretende atuar nos pontos em que há falta de segurança na rua e criar uma rede de itinerários a pé.

4) Por fim, para as bicicletas pretende-se melhorar a rede de ciclovias, as áreas de tráfego lento e os pontos onde ocorrem mais acidentes. Propõe-se também aumentar os estacionamentos nas ruas, adequar o transporte público ao trânsito das bicicletas e melhorar a eficácia do Bicing, o sistema público de bicicletas de Barcelona.

© Flickr © Giika
© Flickr © Giika

Por Francisca Codoceo, via Plataforma Urbana. Tradução Naiane Marcon, ArchDaily Brasil.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Barcelona no caminho para baixar em 30% a circulação de carros" 14 Ago 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/134169/barcelona-no-caminho-para-baixar-em-30-percent-a-circulacao-de-carros> ISSN 0719-8906