1. ArchDaily
  2. Yayoi Kusama

Yayoi Kusama: O mais recente de arquitetura e notícia

Arquitetos e artistas japoneses celebram Olimpíadas com série de pavilhões em Tóquio

Acompanhando os Jogos Olímpicos em andamento, o Pavilhão Tóquio 2021 convidou arquitetos e artistas japoneses, incluindo Kazuyo Sejima, Sou Fujimoto, Junya Ishigami e Yayoi Kusama, para imaginar nove estruturas temporárias a serem instaladas em diversos locais ao redor do Estádio Nacional, projetado por Kengo Kuma. A iniciativa mostra intervenções experimentais na paisagem urbana que ilustram uma visão lúdica do espaço público. Também participam do projeto Terunobu Fujimori, Akihisa Hirata, Teppei Fujiwara, além dos artistas Makoto Aida e Daito Manabe + Rhizomatiks.

Kokage-gumo de Junya Ishigami. Imagem© Shuji GotoPavilhão da nuvem de Sou Fujimoto. Imagem © Shuji GotoCastelo de Tóquio / Makoto Aida. Imagem © ToLoLo studioTEATRO DO JARDIM DE RUA / Teppei Fujiwara. Imagem © ToLoLo studio+ 17

"Dots Obsession": Instalação de Yayoi Kusama na Casa de Vidro de Philip Johnson

A artista e escritora Yayoi Kusama criou uma instalação na Casa de Vidro em comemoração ao 110° aniversário de Philip Johnson e ao 10° aniversário de abertura da famosa casa ao público.

Até o dia 26 desse mês, Dots Obsession – Alive, Seeking for Eternal Hope estará à mostra, cobrindo a envoltória da Casa de Vidro com um padrão de bolinhas. "Os visitantes que forem à casa nesse período terão a experiência única de, simultaneamente, ver o mundo através dos olhos de Philip Johnson e Yayoi Kusama.”

© Matthew Placek© Matthew Placek© Matthew Placek© Matthew Placek+ 12

Arte e Arquitetura: O espaço infinito de Yayoi Kusama

Com um estilo inconfundível, a exposição retrospectiva da obra de Yayoi Kusama: Obsesión Infinita, curada por Philip Larratt-Smith e Frances Morris, já percorreu a América do Sul passando por México, Brasil, Argentina e encontra-se atualmente no Chile.

A artista japonesa começou a interessar-se pela arte desde muito cedo, sendo influenciada pela pop art e o minimalismo, tendo criado seu próprio estilo que baseia-se em sua personalidade obsessiva. A obra torna-se interessante quando a obsessão transforma-se em espaço, tornando sua obra plana, num primeiro momento, em algo tridimensional. Seu trabalho, sempre minucioso e repetitivo, busca alcançar o espaço infinito e sugere uma reflexão sobre os limites no lugar que habitamos. São esses mesmos ou são impostos pela sociedade? Existe realmente um espaço infinito?

Cortesia de Corpartes© Begoña Uribe© Begoña Uribe© Begoña Uribe+ 21