1. ArchDaily
  2. Juan Herreros

Juan Herreros: O mais recente de arquitetura e notícia

Building Views

A janela minimalista conheceu um notável sucesso nas últimas duas décadas, continuando e enriquecendo o legado de um dos maiores ícones da Arquitectura Moderna — a janela horizontal e os envidraçados de correr. Partindo da experiência internacional da Jofebar — uma empresa com 30 anos nos sectores da serralharia, do vidro estrutural e das janelas minimalistas —, este livro oferece diferentes perspectivas sobre a janela e um panorama abrangente da construção e arquitectura contemporâneas. Entre os autores contam-se arquitectos, críticos, fotógrafos, escritores, empresários e académicos, que propõem um conjunto rico e articulado de imagens e contributos originais.

Panorama da arquitetura na Colômbia por arquitetos internacionais

O crescimento das instituições públicas, universidades e o setor privado na Colômbia criou a necessidade de conceber novas arquiteturas capazes de abrigar programas cada vez mais complexos, assumindo o papel da disciplina como o principal agente nos processos de renovação urbana e um fator necessário para posicionar o país no panorama global.

Na última década Colômbia se converteu no epicentro de importantes projetos realizados por arquitetos internacionais de alto nível como Richard Meier, Steven Holl, Rafael de la Hoz e Richard Rogers. Através de propostas urbanas distantes da retícula de origem espanhola tradicional na América Latina e com novas estéticas próprias de uma paisagem referencial contemporânea, a incidência de arquitetos internacionais começou a suscitar a importância de abordar a complexidade da disciplina como um assunto de primeira importância na construção das cidades.

A seguir, apresentamos o estado de 10 obras de arquitetos internacionais na Colômbia.

ATRIO / RSHP + Giancarlo Mazzanti . Image © RSHPPlan Maestro Centro Administrativo Nacional / OMA + Gomez Castro Arquitectos. Image © OMACentro Internacional de Convenciones ÁGORA BOGOTÁ / Juan Herreros + Daniel Bermudez . Image © Bermudez + Herreros Centro Cívico Universidad de Los Andes / Cristián Undurraga + Konrad Brunner . Image Cortesía de Cristián Undurraga + Konrad Brunner+ 42

Equipes do México e Colômbia obtêm prêmios máximos no Holcim Awards América Latina

Há alguns dias foram anunciados em Medellín os 12 projetos ganhadores do Holcim Awards 2014 para América Latina. Como todos os anos, a Fundação Holcim premiou o desenvolvimento de respostas multidisciplinares diante dos desafios que enfrentam o desenho e a construção sustentável. Um parque público que está localizado sobre uma série de reservatórios na Colômbia, um centro de madeira em meio a selva tropical na Costa Rica e uma escola no México, ganharam, respectivamente, ouro, prata e bronze.

Um júri de especialistas internacionais, liderados por Bruno Stagno (Costa Rica), selecionou os ganhadores com base em alguns critérios de construção sustentável, enfatizando a arquitetura de qualidade, seu nível de aplicabilidade em outros locais e seu desempenho meio ambiental, social e econômico. O projeto que ganhou o prêmio máximo consiste na construção de um parque público para Medellín, cujo desenvolvimento relaciona aspectos sociais com requerimentos técnicos.

Veja a lista completa dos ganhadores latino-americanos e os vídeos dos projetos mais importantes, a seguir. 

OURO: Unidades de Vida Articulada, UVA (Colômbia) / Mario Camargo e Luis Tombé. Imagem Cortesia da Fundação HolcimBRONZE: Escola Pedagógica (México) / Julio Amezcua e Francisco Pardo. Imagem Cortesia da Fundação HolcimPRATA: Plataforma Arboreal (Costa Rica) / Román Cordero e Izbeth Mendoza. Imagem Cortesia de Fundação da HolcimPRATA: Plataforma Arboreal (Costa Rica) / Román Cordero e Izbeth Mendoza. Imagem Cortesia de Fundação da Holcim+ 45

Proposta para 260 unidades habitacionais em Casablanca, Marrocos, por Herreros Arquitectos

O escritório Herreros Arquitectos compartilhou conosco um de seus mais recentes projetos de uso misto para Casablanca, Marrocos. Resultado de uma série de variáveis urbanas, espaciais, formais e de sustentabilidade, o projeto - que inclui habitações, comércios e um espaço desportivo - se caracteriza por apresentar uma fachada permeável que responde diretamente às variáveis climáticas e gera espaços abertos ligados a cada unidade habitacional; essa fachada representa um padrão decorativo tradicional reinterpretado em traços geométricos contemporâneos. O projeto venceu um concurso internacional promovido pela prefeitura de Casablanca e foi apresentado no pavilhão do Marrocos na Bienal de Veneza 2014.

Novo urbanismo de transformação e reciclagem: Projeto Madrid Centro

O Projeto Estratégico para o Centro de Madrid realizado pela iniciativa da Prefeitura da Capital constituiu a oportunidade de ensaiar um novo enfoque urbanístico capaz de afrontar os desafios derivados da globalização, mudanças climáticas e transformações. A estrutura do Projeto Madrid Centro é organizada como sintaxe inovadora de conceitos e políticas urbanísticas capazes de reinventar/reinterpretar a cidade conforme princípios de responsabilidade social, cultural e ambiental.
Madrid evoluiu desde macrocefalia centralizadora à perda de peso relativo a respeito do entorno metropolitano. Na última década, a cidade seguiu o caminho do modelo urbano anglo-saxão: crescente tendência à suburbanização metropolitana, primeiro das famílias e em segundo momento das instituições e atividades econômicas. Este processo é particularmente preocupante quando se refere às atividades mais inovadoras. O alojamento no centro manifesta uma heterogeneidade marcada. Convivem processos de modernização e de entrincheiramento de grandes bolsões de deterioração estrutural. Em síntese, pode-se afirmar que a “bolha” imobiliária experimentada durante a última década se manifestou no Centro numa polarização dos processos de “gentrificação” (atração de rendas altas suburbanas a arredores de qualidade reabilitada) e de “guetização” (consolidação de grandes bolsões de deterioração residencial vinculadas à imigração, particularmente aquela de caráter irregular).
Em relação com o espaço público e paisagem é detectado um processo de banalização e perda de identidade associado à degradação do meio ambiente urbano gerado pela preeminência do automóvel.