1. ArchDaily
  2. Eficiência

Eficiência: O mais recente de arquitetura e notícia

Como economizar espaço nas cozinhas: móveis eficientes e transformáveis

Na última década, casas pequenas e micro-apartamentos ganharam imensa popularidade como opções acessíveis e sustentáveis para a vida moderna. Com essa arquitetura compacta, o design de móveis com consciência espacial também se torna cada vez mais relevante. Uma das áreas mais críticas para economizar espaço é a cozinha, onde a multiplicidade de funções e a necessidade de armazenamento podem dificultar o uso eficiente do espaço. Abaixo, descrevemos vários exemplos de projetos de móveis que economizam espaço para fazer o melhor uso de uma pequena cozinha.

Courtesy of HettichCourtesy of HettichCourtesy of HettichCourtesy of Hettich+ 20

Saberes construtivos indígenas revelam soluções para edificações contemporâneas

O estigma de arquitetura rudimentar somado aos ideais de tecnologia enquanto high tech relegam os saberes construtivos indígenas a um imaginário pré-histórico. Esse padrão, o qual aponta para uma direção inequívoca do progresso, revela a chamada colonialidade do saber, conceito do sociólogo peruano Aníbal Quijano que escancara o lado oculto da modernidade: produzir hierarquias entre povos, o que mantém a América Latina, em especial seus povos originários, como subalterna. Em outras palavras, tendemos a pensar que o conhecimento que representa o futuro é produzido em outras terras, localizadas no Norte Global.

As tecnologias construtivas indígenas garantiram ao Centro Sebrae de Sustentabilidade o prêmio de edificação em uso mais sustentável da América Latina em 2018. Foto: Centro Sebrae de Sustentabilidade/Wander LimaA estrutura da construção dentro do Ekôa Park, em Morretes, é composta por bambu em feixes e treliças, materiais abundantes na região. Foto: Tomaz LotufoBeiral das moradias Xerente. O detalhe arquitetônico será preservado e valorizado no projeto do Centro de Fortalecimento da Cultura Xerente, que foi desenvolvido com a participação da comunidade. Foto: Tomaz LotufoApesar das paredes em vidro, o edifício tem beirais que mantém a temperatura interna, inspirado nas construções Yawalapit que são exemplares na arquitetura bioclimática. Foto: Centro Sebrae de Sustentabilidade/Wander Lima+ 5

Efeito Borboleta: 4 dicas que permitem que o projeto arquitetônico ajude a combater problemas globais

Em um mundo majoritariamente urbano, que constantemente precisa lidar com questões complexas como geração de resíduos sólidos, desabastecimento de água, desastres naturais, poluição atmosférica, e mesmo com a disseminação de doenças, é impossível ignorar o impacto das atividades humanas no meio ambiente. A mudança climática é dos maiores desafios do nosso tempo e torna-se urgente buscar formas de, ao menos, desacelerar esse processo dramático. Para contribuir efetivamente nisso, nossos hábitos de produção, consumo e construção terão de ser modificados, ou a degradação do meio ambiente e mudanças climáticas continuarão diminuindo a qualidade e a duração de nossa vida e das gerações futuras.

Mesmo parecendo inatingíveis e distantes, as diversas questões de ineficiências e desperdícios estão muito mais próximos do que podemos imaginar e presentes nos edifícios que usamos no cotidiano. Como arquitetos, essa questão é ainda mais amplificada, pois lidamos com decisões projetuais e especificação de materiais diariamente. Em outras palavras, nossas decisões realmente têm um impacto em nível global. Como podemos usar o 'efeito borboleta' para um futuro saudável para o nosso mundo?

O que esperar dos interiores do futuro

Em 2018, a ONU divulgou um artigo afirmando que 55% da população mundial já vivia em áreas urbanas, prevendo que em 2050 esse percentual chegará a 68%. Essa tendência à maior urbanização traz consigo várias implicações em relação à degradação ambiental e à desigualdade social. De acordo com a National Geographic, o crescimento urbano aumenta a poluição do ar, põe em perigo as populações de animais, promove a perda de cobertura urbana de árvores e aumenta a probabilidade de catástrofes ambientais, como inundações repentinas. Esses riscos à saúde e fenômenos catastróficos podem ter maior probabilidade de afetar as populações mais pobres, pois as cidades maiores geralmente demonstram taxas mais altas de desigualdade econômica e o crescimento descontrolado tende a produzir distribuições desiguais de espaço, serviços e oportunidades.

Para mitigar esses efeitos negativos da urbanização, arquitetos vêm priorizando cada vez mais a sustentabilidade e a maximização do espaço disponível - permitindo que mais pessoas ocupem menos espaço com uma área menor.

Courtesy of SeuraBatipin Flat / studioWOK. Image © Federico VillaCasa da Escrita / João Mendes Ribeiro. Image © do mal o menosStudio 45 / Marston Architects. Image © Katherine Lu+ 13

Medidas de eficiência para edificações podem ajudar o país a cumprir metas de sustentabilidade

Pensar em metas climáticas remete geralmente à busca por soluções no transporte das grandes cidades ou na queima de carvão nas indústrias, por exemplo. Mas resultados muito importantes no processo de combate ao aquecimento global podem vir de uma área ainda pouco explorada: a eficiência em edificações. A relevância deste setor se comprova em números. De acordo com dados do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), as construções respondem por 30% das emissões globais de CO2 induzidas por seres humanos. Sendo a redução de gases de efeito estufa (GEE) a principal meta de tratados internacionais, como o Acordo de Paris, medidas que promovam a sustentabilidade em edificações podem ter um peso muito importante para o Brasil cumprir suas metas.

Abertas as inscrições para o CONEFEC: 1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios

Estão abertas as inscrições para o CONEFEC- 1° Congresso Nacional de Eficiência em Edifícios. O Congresso foi criado pela crença de que podemos desafiar o pessimismo atual e transformar o mercado da construção civil com práticas mais eficientes, viáveis, sustentáveis e inovadoras.

Núcleo Senai de Sustentabilidade / Arqbox

Cortesia de ARQBOXCortesia de ARQBOXCortesia de ARQBOXCortesia de ARQBOX+ 29

  • Arquitetos: Arqbox
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  180
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2013
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Ecotelhado

Descrição enviada pela equipe de projeto. Partindo da iniciativa do SENAI, de desenvolver ações ambientalmente corretas, economicamente viáveis e socialmente justas, o Studio Arqbox Arquitetos Associados criou um edifício onde as indústrias e a comunidade podem vivenciar tecnologias sustentáveis aplicadas à construção civil, energia e meio ambiente.

Casas solares do SDE2012 produzem o dobro da energia que consomem

A sustentabilidade é um tema que se tornou recorrente na arquitetura hoje em dia. A consciência sobre o cuidado do planeta e a eficiência energética tem nos levado a utilizar novas alternativas de energia sustentáveis, como por exemplo a geotérmica e a energia eólica.

Neste contexto foi criado o Solar Decathlon Europe, uma competição internacional de estudantes onde estes são incentivados a projetar e construir modelos de casas eficientes em escala real "que consumam a menor quantidade de recursos naturais e produzam o mínimo de resíduos durante seu ciclo de vida. A ênfase está em reduzir o consumo de energia, cuja obtenção deve ser exclusivamente a partir do sol."

A seguir, os vídeos das propostas vencedoras do concurso.