1. ArchDaily
  2. Agricultura Urbana

Agricultura Urbana: O mais recente de arquitetura e notícia

Canadá investe em agricultura urbana para superar adversidades da pandemia

Victória é uma cidade canadense famosa por seus jardins de flores. O clima favorece o cultivo de diferentes tipos de flores e a cidade é conhecida como a capital florida do Canadá, ou a “cidade jardim”. Mas a pandemia de coronavírus mudou um pouco este cenário. A equipe de jardinagem da prefeitura priorizou o plantio de mudas de vegetais que estão sendo distribuídas gratuitamente para a população, uma vez que o interesse das pessoas em cultivar o próprio alimento cresceu consideravelmente neste momento.

Uma cidade onde as pessoas plantam sua própria comida

Les Avanchets é uma cidade na Suíça onde a maioria das pessoas cultivam os seus próprios alimentos em hortas caseiras. Além do cultivo, a troca de alimentos também é muito comum: quem tem cenouras sobrando troca por couves ou limão e assim todos garante uma alimentação saudável e variada, sem agrotóxicos.

Assista a esta série de debates sobre agricultura e arquitetura publicada pela Trienal de Lisboa

A Trienal de Arquitetura de Lisboa divulgou em seu canal no Vimeo a série de debates Talk, Talk, Talk realizada no âmbito de sua edição de sua 5ª edição, que teve curadoria geral de Éric Lapierre. Dividida em cinco grandes exposições, a Trienal abordou em uma delas a relação entre agricultura e arquitetura, tema destes debates aqui mostrados.

Framlab propõe um sistema modular de fazendas urbanas para Nova Iorque

Concebido pelo Framlab, um estúdio de arquitetura e design com sede em Bergen (Noruega) e Nova Iorque, o Glasir é um sistema modular de agricultura urbana. A estrutura comunitária funcionaria através de um sistema aeropônico para a produção de legumes e vegetais em plena centro da cidade de Nova Iorque.

Cortesia de FramlabCortesia de FramlabCortesia de FramlabCortesia de Framlab+ 20

Como incorporar jardins e hortas em projetos residenciais

Os jardins internos podem contribuir com importantes benefícios para a vida doméstica, variando da beleza estética à melhoria da saúde e da produtividade. Pesquisas mostraram que plantas nos interiores das edificações ajudam a eliminar os poluentes do ar, os chamados de compostos orgânicos voláteis (COV), liberados de colas, móveis, roupas e solventes, conhecidos por causar doenças. Eles também aumentam as percepções subjetivas de concentração e satisfação, bem como medidas objetivas de produtividade. Jardins internos podem até reduzir o uso de energia e os custos devido à menor necessidade de circulação de ar. Esses benefícios complementam as óbvias vantagens estéticas de um jardim bem projetado, tornando o jardim interno um recurso residencial atraente em várias frentes.

Courtesy of TAA DESIGN© BK© Rafael GamoHydroponic gardening. Image © Needpix user naidokdin+ 42

Como os holandeses usam a arquitetura para alimentar o mundo

A Holanda é o segundo maior exportador mundial de produtos agrícolas. Isso é notável quando se considera que o único país que a ultrapassa são os Estados Unidos, 237 vezes maior em área terrestre. No entanto, a Holanda exportou quase US $ 100 bilhões em produtos agrícolas apenas em 2017, bem como US $ 10 bilhões em produtos relacionados com a agricultura. O segredo do sucesso da Holanda está no uso da inovação arquitetônica para reimaginar como uma paisagem agrícola pode ser.

© Tom Hegen© Tom Hegen© Tom Hegen© Tom Hegen+ 9

Fazendas produzem alimentos no topo de edifícios de Nova Iorque

Mais de 36 toneladas de vegetais orgânicos são cultivados em plantações que ficam nos topos de edifícios de Nova Iorque, todos os anos. Mais do que alimentar as pessoas, os tetos verdes também impedem que muitos poluentes cheguem aos rios da cidade.

Terreno usado para acumular lixo vira horta urbana em Curitiba

A agricultura urbana vem sendo vista por algumas organizações e comunidades como uma alternativa sustentável que além de dar uso a porções de terra desocupadas, promove o engajamento social e reduz a distância da semente ao prato, já que os alimentos são produzidos na própria cidade, muitas vezes no próprio bairro ou quadra onde vive o consumidor. No Brasil, Curitiba apresenta um exemplo interessante, em que um terreno vacante de 300 metros quadrados, onde por quatro décadas se amontoou lixo, foi convertido em uma horta urbana em pouco mais de dez meses.

Como as cidades podem ajudar e ser ajudadas pelas abelhas?

A produção de alimentos depende diretamente das abelhas, e seu desaparecimento deve gerar efeitos catastróficos à humanidade. Por toda internet circulam textos alarmantes de como esses pequenos insetos estão morrendo. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 75% dos cultivos destinados à alimentação humana no mundo dependem das abelhas. Por exemplo, um morango suculento e bem formado só é possível se dezenas de abelhas passem pela flor na época certa e o polinizem. Sem elas, ele pareceria mais como uma uva passa.

Projeto transforma antigo aqueduto em parque linear no Cairo

A dupla de arquitetos de Dubai, Islam El Mashtooly e Mouaz Abouzaid, em parceira com Steven Velegrinis, Drew Gilbert e Abdelrahman Magdy, está apresentando “LifeLines”, um projeto de desenvolvimento urbano sustentável para a cidade de Cairo, no Egito. A equipe internacional de arquitetos, pensando o futuro da cidade egípcia, defende a ideia de reaproximar a cidade com seu passado através do resgate de uma série de infraestruturas históricas, como um aqueduto que atravessa o centro da cidade. A água seria o principal elemento catalizador do desenvolvimento urbano, econômico e social e sustentável da capital.

© Islam El Mashtooly & Mouaz Abouzaid© Islam El Mashtooly & Mouaz Abouzaid© Islam El Mashtooly & Mouaz Abouzaid© Islam El Mashtooly & Mouaz Abouzaid+ 11

IKEA e Tom Dixon exploram soluções sustentáveis e acessíveis para a agricultura urbana

Tom Dixon e a gigante IKEA desenvolveram um experimento em agricultura urbana a ser exibida no Chelsea Flower Show em Londres. Intitulado Gardening Will Save The World , o projeto explora o contraste do natural com o high-tech, oferecendo ideias alternativas e formas mais sustentáveis para o cultivo de alimentos.

Vincent Callebaut propõe fazenda urbana na cobertura da Notre-Dame

A Vincent Callebaut Architectures revelou imagens de sua homenagem à Catedral de Notre-Dame após o incêndio que danificou gravemente a estrutura histórica. Um projeto transcendente que gera um símbolo de um futuro resiliente e ecológico, inspirado pela biomimética e uma ética comum para uma relação simbiótica mais justa entre os seres humanos e a natureza.

Edifício-paisagem: mercado de alimentos do MVRDV começa a ser construído em Taiwan

O MVRDV inovou em um mercado atacadista de frutas e vegetais em Tainan, Taiwan. Definido por um telhado verde acessível e com terraços, o mercado ao ar livre servirá como um importante centro na cadeia de fornecimento de Taiwan e um destino para reuniões, socialização e observação da paisagem circundante.

Chamado de “Mercado de Frutas e Vegetais de Tainan Xinhua”, o projeto do MVRDV transforma um aspecto muitas vezes prosaico da indústria de alimentos em uma experiência pública com os alimentos e a natureza. Localizado em uma posição estratégica entre a cidade e as montanhas, com boas conexões com transportes públicos, o edifício fica em um ponto conveniente para os comerciantes, compradores e visitantes.

O projeto compreende uma estrutura aberta simples com tetos altos e ondulados que permitem a ventilação natural. Imagem © MVRDVO projeto honra o ambiente circundante. Imagem © MVRDVO mercado a céu aberto será também um importante ponto de encontro. Imagem © MVRDVO mercado de frutas e vegetais de Tainan Xinhua eleva uma parte prosaica da cadeia de fornecimento a um local onde o público pode experimentar alimentos. Imagem © MVRDV+ 4

Studio NAB propõe fazenda vertical flutuante para cidades do futuro

O Studio NAB divulgou detalhes de seu projeto intitulado Superfarm, uma estrutura vertical de seis pavimentos dedicada à agricultura urbana que “concentra sua produção na cultura de alimentos com alto valor nutricional”. O projeto é voltado a culturas de alta produtividade, como modo de revigorar economias locais.

O projeto é uma resposta às projeções de que até 2050, 80% da população mundial viverá em centros urbanos, exigindo uma área de terra agrícola 20% maior do o tamanho do território brasileiro. Ao deslocar os sistemas agrícolas para dentro de casa, a Superfarm representa uma “transição ecológica” resiliente, sensível ao ser humano e tecnologicamente avançada.

© Studio NAB© Studio NAB© Studio NAB© Studio NAB+ 13

As tendências da arquitetura em 2019

Este é o momento no qual nos projetamos ao futuro para definir as metas e focos de nossa carreira ao longo do ano que começa. Com o objetivo de ajudar os arquitetos que consultam o ArchDaily diariamente, realizamos a seguinte lista com as ideias que mais ecoaram durante 2018 e que, portanto, serão os temas que devem seguir desenvolvendo-se durante 2019.

Apenas no ano passado, mais de 130 milhões de usuários descobriram no ArchDaily novas referências, materiais e ferramentas que permitem aprimorar o desenvolvimento da arquitetura e melhorar a qualidade de vida de nossas cidades e entornos construídos. Quando nossos usuários começam a coincidir em suas buscas de informação ou demonstram maior interesse por um tema em relação a outros, estes tópicos passam a ser uma tendência.

Semaphore: uma utopia ecológica proposta por Vincent Callebaut

Em seu mais recente projeto de arquitetura, a Vincent Callebaut Architectures desenvolveu uma espécie de utopia ecológica, um edifício de 8.225 metros quadrados destinado a abrigar a sede da Soprema na cidade de Estrasburgo, na França. O edifício, chamado de Semaphore, é descrito pelos arquitetos como um “amplo espaço verde e flexível para o trabalho em equipe”, voltado especialmente ao bem-estar dos funcionários e à agricultura urbana.

Através de sua arquitetura eco-futurista, os arquitetos buscaram inspiração na biomimética com o principal objetivo de transformar o edifício do Semaphore em um ícone da arquitetura eco-futurista, além de servir como uma vitrine para a empresa e toda a sua linha de produtos de isolamento, impermeabilização e tecnologias voltadas à sustentabilidade na construção civil. O projeto desenvolvido pela equipe de Vincent Callebaut será um protótipo ecológico da cidade verde do futuro a medida que busca encontrar o equilíbrio perfeito entre o homem e a natureza.

Cortesia de Vincent Callebaut ArchitecturesCortesia de Vincent Callebaut ArchitecturesCortesia de Vincent Callebaut ArchitecturesCortesia de Vincent Callebaut Architectures+ 23

IKEA e Tom Dixon firmam parceria para desenvolver produtos voltados à agricultura urbana

A IKEA em colaboração com Tom Dixon firmaram uma frutífera parceria para repensar o futuro da agricultura urbana, “transformando nossas casas em fazendas do século XXI”. Em sua participação conjunta no próximo Chelsea Flower Show, a feira de paisagismo mais popular do Reino Unido, a equipe compartilhará com a comunidade internacional soluções inovadoras que poderão ser utilizadas para cultivar plantas e vegetais em sua casa e jardim”.

O conceito que aproximou Tom Dixon da IKEA é a ideia de celebrar o cultivo de alimentos como um elemento fundamental da vida cotidiana, algo que poderá inspirar um estilo de vida mais saudável e sustentável. Considerando a economia de recursos que esta atividade poderá ocasionar, reduzindo o gasto com combustível para transporte de alimentos, o desperdício de água e alimentos em si, a equipe fará uso dos princípios de design democrático da IKEA para “promover a agricultura e o consumo sustentável e acessível em nossas casas e comunidades urbanas”.