Pagina inicial

Conheça a história por trás da nova identidade da nossa marca

Saiba mais

O custo da mudança climática: quem realmente está protegido pelos esforços de mitigação urbana?

O custo da mudança climática: quem realmente está protegido pelos esforços de mitigação urbana?

O impacto que a crise climática teve no planeta na última década é uma influência crítica de como os arquitetos e urbanistas projetam as cidades do futuro. É claro que, tanto em nível individual quanto corporativo, é importante agir e proteger a Terra antes que os impactos negativos mudem nossos ambientes familiares para sempre - e o tempo esteja se esgotando rapidamente. Quando se trata de criar formas para salvar nossas cidades do “the next big one”, seja um furacão, enchente, nevasca ou incêndio, a maneira como projetamos a infraestrutura preventiva negligencia um número significativo de pessoas. A mudança climática não afeta apenas os lugares mais ricos do mundo, na verdade, tem efeitos maiores sobre os mais pobres.

via Met Office
via Met Office

Além dos danos físicos que a mudança climática cria, ela também tem impactos sociais e econômicos duradouros que muitas vezes são esquecidos. Por exemplo, o aumento do nível do mar, que ameaça diretamente mais de 90 cidades e vilas em todo o mundo, e tem um impacto significativo nos padrões de migração e realocação de pessoas para cidades mais interiores, onde são forçadas a se adaptar completamente a um novo modo de vida, muitas vezes abandonando seus negócios e habilidades vocacionais especializadas. Em áreas onde as temperaturas estão subindo em taxas mais rápidas, a produtividade das colheitas diminui, uma vez que os trabalhadores precisam de um alívio do calor extremo. Isso faz com que os preços básicos dos produtos frescos aumentem e as cadeias de abastecimento diminuam, resultando em alimentos mais caros e mais difíceis de encontrar.

Um estudo realizado pelo Mercy Corps mostrou que três em cada quatro pessoas no mundo que vivem abaixo do nível de pobreza dependem de recursos naturais e agrícolas para sobreviver. Se os fenômenos meteorológicos cada vez mais drásticos e voláteis do mundo continuarem a acontecer, na taxa que historicamente têm acontecido, essas pessoas serão as que sofrerão o impacto mais severo - não os ricos dos centros econômicos urbanos. O impacto social causado pela mudança climática é frequentemente referido como “lacuna climática”, e pesquisas internacionais mostram que os mais pobres e as pessoas de cor serão os primeiros a sentir os efeitos irreversíveis. Em um relatório divulgado pela USC sobre o assunto, o ambiente construído tem um impacto significativo em como somos capazes de lidar com uma série de efeitos climáticos. Há uma forte correlação entre as superfícies de concreto e os materiais de construção que refletem o calor, os níveis de pobreza da comunidade e a cobertura arbórea presente em qualquer área. Os dados sugerem que há uma carga desproporcional de exposição às ilhas de calor em comunidades de baixa renda em comparação com as populações de alta renda nas cidades e subúrbios ricos. Essencialmente, quanto mais perto você vive da linha de pobreza, é mais provável que você lide injustamente com os impactos das mudanças climáticas.

via Citizens Climate Lobby
via Citizens Climate Lobby

Além disso, o Conselho de Defesa de Recursos Naturais (NRDC) estima que, nos próximos 80 anos, o custo do transporte de água potável para estados sem litoral e em aquecimento aumentará de US $ 200 bilhões anuais para quase um trilhão de dólares. O custo da energia para transportar essa água aumentará em $ 140 bilhões de dólares se as temperaturas alcançarem dados históricos. Famílias de baixa renda já gastam uma proporção maior de sua renda em alimentos e água, e essa lacuna só deve crescer a menos que a infraestrutura nacional receba o mesmo tipo de atenção e investimentos financeiros. Muito do que resolvemos como arquitetos, designers e planejadores concentra-se fortemente nos impactos das mudanças climáticas em nossas cidades. E embora se espere que as populações das cidades cresçam nos próximos 50 anos, também devemos considerar aqueles que vivem além de nosso alcance imediato e aqueles que compartilham comunidades conosco, mas estão economicamente em desvantagem. Damos um passo na direção certa para ajudar a mitigar mudanças, assumindo a responsabilidade sobre nós mesmos por meio de promessas de construir melhor e mais ambientalmente consciente, mas se não nos lembrarmos para quem estamos construindo, então, a quem estamos ajudando nas grandes cidades nos últimos tempos anos?

Moradores de Muara Baru, uma das áreas de naufrágio mais rápido em Jacarta, vivem abaixo do nível do mar, protegidos apenas por uma parede de concreto. Imagem © Tim Shepherd on Unsplash
Moradores de Muara Baru, uma das áreas de naufrágio mais rápido em Jacarta, vivem abaixo do nível do mar, protegidos apenas por uma parede de concreto. Imagem © Tim Shepherd on Unsplash

Muito do que resolvemos como arquitetos, designers e urbanistas concentra-se fortemente nos impactos das mudanças climáticas em nossas cidades. E, embora se espere que as populações das cidades cresçam nos próximos 50 anos, também devemos considerar aqueles que vivem além de nosso alcance imediato e aqueles que compartilham comunidades conosco, mas estão economicamente em desvantagem. Demos um passo na direção certa para ajudar a mitigar mudanças, assumindo a responsabilidade sobre nós mesmos por meio de promessas de construir melhor e mais ambientalmente consciente, mas se não nos lembrarmos para quem estamos construindo, então, a quem estamos ajudando?

Este artigo é parte do Tópico do ArchDaily: Equidade. Mensalmente, exploramos um tema específico através de artigos, entrevistas, notícias e projetos. Saiba mais sobre os tópicos mensais. Como sempre, o ArchDaily está aberto a contribuições de nossos leitores; se você quiser enviar um artigo ou projeto, entre em contato.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Overstreet, Kaley. "O custo da mudança climática: quem realmente está protegido pelos esforços de mitigação urbana?" [The Cost of Climate Change: Who is Really Protected by Urban Mitigation Efforts?] 24 Out 2021. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/969488/o-custo-da-mudanca-climatica-quem-realmente-esta-protegido-pelos-esforcos-de-mitigacao-urbana> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.