“Nosso objetivo é recuperar a natureza nos lugares onde ela desapareceu”: Joan Batlle Blay, do Batlleiroig

“Nosso objetivo é recuperar a natureza nos lugares onde ela desapareceu”: Joan Batlle Blay, do Batlleiroig

Batlleiroig é um escritório de arquitetura sediado na cidade de Barcelona, cujo extenso de portfólio abrange projetos urbanos, paisagismo, edificações e design de interiores. Conversamos com Joan Batlle Blay, Arquiteto e paisagista, sócio do escritório, sobre as inovações e desafios em sua obra. Ele aponta que, “Em nosso escritório consideramos que P + D (pesquisa e desenvolvimento) é a principal ferramenta para inovar e transformar nosso método de trabalho em uma crença absoluta para o planeta.” Veja a entrevista na íntegra a seguir:

Eduardo Souza (ArchDaily): A variedade de materiais, sistemas construtivos e escala de seus projetos é notável na obra do escritório. O que define os materiais e métodos usados em cada um deles?

Joan Batlle Blay (Batlleiroig): Cada projeto tem seus próprios desafios e seu próprio local, é difícil dar uma resposta generalizada. A nossa forma de trabalhar segue uma metodologia de análise do território onde se encontra o projeto e do programa que se solicita, portanto, cada projeto é único e acreditamos que assim deve ser.

Durante a análise fazemos uma leitura dos ecossistemas próximos, da paisagem natural ou antropizada e da cultura humana que define o lugar. Assim, passamos a detectar paletas de materiais, cores e / ou texturas, mas acima de tudo, entendemos a quem devemos respeitar: a natureza. Além disso, os clientes esperam esse trabalho de nós; eles querem que entendamos o território e respondamos aos problemas levantados.

Trabalhamos para que os nossos projetos sejam um equilíbrio entre o que o local e o cliente pedem, nunca sobrepomos um ao outro e assim nos sentimos confortáveis.

Can Bada Park in Badalona. Image © Jordi Surroca
Can Bada Park in Badalona. Image © Jordi Surroca

ES: Como funciona a sua abordagem ao projeto de espaço público em grande escala? Qual a importância do trabalho multidisciplinar neste sentido?

JBB: A análise do terreno é importante, seja qual for a escala do projeto. O território nunca é uma página em branco. Se analisado, dará respostas às questões levantadas. Às vezes, a resposta ou solução para um projeto, por mais complicado que pareça, está na natureza ou na agricultura.

Um exemplo é a recuperação paisagística do Aterro de Resíduos Controlados de Garraf, no Parque Natural de Garraf, um projeto de Batlleiroig. O projeto de restauração não quis imitar a natureza que existia anteriormente, também era impossível fazê-lo com mais de 100 metros de entulho por baixo. O objetivo era criar campos agrícolas com Leguminosae (comumente conhecidas como leguminosas, ervilhas ou família do feijão) que forneciam hidrogênio e vacas e ovelhas que ajudavam a criar vida em um solo que estava morto. Esses campos têm seus terraços, encostas, canais de água e suas lagoas de retenção para irrigação. Assim, foi possível trazer de volta a vida a um local repleto de plástico e metano para que finalmente se tornasse parte do Parque Natural como se fosse uma antiga área agrícola.

Landscape restoration of the Garraf Controlled Waste Landfill, 2014. Image © Joan Batlle
Landscape restoration of the Garraf Controlled Waste Landfill, 2014. Image © Joan Batlle

Em projetos mais urbanos onde a natureza desapareceu, o objetivo pode ser resgatar essa natureza e dar-lhe um papel protagonista que nos ajude a criar um espaço saudável e confortável. Um exemplo é a cobertura da Ronda de Dalt em Barcelona.

Green coverage of the Ronda de Dalt in Barcelona. Image © Baku Akazawa
Green coverage of the Ronda de Dalt in Barcelona. Image © Baku Akazawa

No nosso atelier, gostamos de dizer que somos transversais e temos conhecimentos nas mais diversas áreas, mas também é verdade que somos especialistas em várias disciplinas. Acreditamos que hoje os arquitetos ou paisagistas devem ser especialistas, mas sem perder a transversalidade que nos definiu no início do século XX. Batlleiroig constrói e baseia seu sucesso na retenção de talentos e no treinamento contínuo. Somos arquitetos, paisagistas, urbanistas, engenheiros civis, agrônomos, ambientalistas e entre toda essa formação, cada um tem suas motivações e especialidades. Isso nos torna quem somos.

ES: Que tipo de preocupação você tem em relação à origem dos materiais, seus impactos, o gerenciamento de resíduos na obra, etc? Na sua opinião, o que a indústria da construção deve aprender e melhorar?

JBB: A construção é uma das fontes mais importantes de emissões de CO2 para a atmosfera e a escolha dos materiais desempenha um papel muito importante. Durante o processo de análise do local, sempre buscamos materiais locais ou existentes no ambiente para trabalhar. No final, chegamos à conclusão de que a melhor ferramenta é a natureza, a vegetação, e essa é sempre a nossa principal aliada.

Landscape design of the Toulouse Exhibition and Convention Centre (MEETT). Image © Batlleiroig
Landscape design of the Toulouse Exhibition and Convention Centre (MEETT). Image © Batlleiroig

Todos os projetistas devem tentar reduzir os materiais que envolvem altas emissões de CO2 em sua extração ou transporte. Em nossos projetos, procuramos escolher materiais com poucos processos de fabricação e, acima de tudo, procuramos utilizar a quantidade mínima de material. Para isso, estamos constantemente inovando para que cada projeto responda aos seus problemas sem impor um peso ao planeta.

ES: No caso do projeto Recuperació de les Antigues Guixeres d'Igualada, o que se destaca é o piso que parece retroiluminado. Você pode falar mais sobre essa solução? E sobre novidades em outros projetos urbanos desenvolvidos pelo escritório.

JBB: A composição do concreto do Caminho Cênico ao longo do antigo projeto de minas de gesso de Igualada inclui agregado luminescente. Este material capta energia solar durante o dia e a devolve à noite na forma de energia luminescente. Não é luz, mas cria um efeito luminoso sutil que pode guiar o caminho durante as primeiras horas da noite, aumentando o tempo de uso do caminho.

Scenic Path along Igualada's old gypsum mines. Image © Batlleiroig
Scenic Path along Igualada's old gypsum mines. Image © Batlleiroig

Cada novo projeto deve herdar o conhecimento adquirido nos anteriores, resolvê-lo da forma mais eficiente e aceitar novos desafios; chegando mais longe. Cada desafio que chega ao Batlleiroig é enfrentado da mesma perspectiva: fornecer uma solução honesta para as necessidades do nosso cliente. No entanto, esta solução também deve ser ambiciosa em termos de eficiência, excelência construtiva e inovação tecnológica. Cada solução para cada desafio que enfrentamos é única e deve superar o anterior; O departamento de P + D da Batlleiroig está dentro de cada um de nós e a inovação faz parte do DNA do escritório desde o primeiro dia.

Outro exemplo é o Caminho da Floresta no Cimento Metropolitano Roques Blanques (El Papiol). Aprendendo com castores que constroem seus abrigos com troncos de árvores, galhos e solo, como pequenas represas ao longo das margens dos rios. A parede Krainer é composta por uma malha de troncos de árvores e bio-rolos de coco. É um sistema de retenção ecológico que pode ser um espaço adequado para enterrar as cinzas. Esse conjunto biodegradável tem vida útil prevista de 30 anos (uma geração) até que volte ao estado da floresta original, para ser usado como espaço de luto e visita por parentes em lembrança de seu falecido.

Forest path in the Roques Blanques Cementery, El Papiol. Image © Batlleiroig
Forest path in the Roques Blanques Cementery, El Papiol. Image © Batlleiroig

ES: Qual é o seu ponto de vista sobre a crise climática? Que tipo de arquitetura devemos pensar no futuro para a sustentabilidade real, para além do discurso?

JBB: A mudança climática já era nossa principal preocupação antes do vírus entrar em cena e assim deve continuar.

A crise climática deve ser combatida com esperança, convicção e a certeza de que lutamos por nosso planeta. Essa esperança tem que estar presente no nosso dia a dia, nas decisões que tomamos. Deve nos ajudar a decidir e explicar nossas ações. Porém, sem entusiasmo é fácil cair no “status quo” e não fazer nenhuma mudança. Inovar é a chave para avançar e evoluir melhorando o planeta e crescendo econômica e socialmente.

Acreditamos que não existe nenhum tipo de arquitetura para o futuro, pensamos que temos que apresentar soluções que respeitem o planeta caso a caso. Devemos respeitar e entender o que é necessário em cada lugar e dar uma resposta adequada pensando na emergência climática.

Eix de la Via. Park over railway coverage infrastructure in Vilafranca del Penedès. Image © Joan Batlle
Eix de la Via. Park over railway coverage infrastructure in Vilafranca del Penedès. Image © Joan Batlle

Cuidar, melhorar ou criar ecossistemas naturais é responsabilidade de todos e qualquer pessoa pode influenciá-los. A vontade de inovar deve estar dentro de todos nós. Devemos perder o medo de tentar coisas novas. Devemos sentir adrenalina em nosso corpo quando propomos novas ações para melhorar o planeta. É nossa obrigação sair de nossa zona de conforto para evoluir. Devemos sonhar em inovar. O futuro exige que inovemos, pesquisemos e nos desenvolvamos se quisermos crescer como empresas, tanto social quanto economicamente. O planeta precisa de nós, nós precisamos do planeta. Devemos nos adaptar às mudanças, devemos entender a emergência climática, mas acima de tudo devemos manter a esperança de inovar, enfim, mudar tudo.

Sobre este autor
Cita: Souza, Eduardo. "“Nosso objetivo é recuperar a natureza nos lugares onde ela desapareceu”: Joan Batlle Blay, do Batlleiroig" [“Our Goal is to Recover Nature in Those Places Where it has Disappeared”: Joan Batlle, from Batlleiroig] 25 Set 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/968007/nosso-objetivo-e-recuperar-a-natureza-nos-lugares-onde-ela-desapareceu-joan-batlle-blay-do-batlleiroig> ISSN 0719-8906

Mais entrevistas em nossoCanal de YouTube

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.