6 Sítios tombados pela UNESCO restaurados virtualmente

6 Sítios tombados pela UNESCO restaurados virtualmente

© Budget Direct© Budget Direct© Budget Direct© Budget Direct+ 7

Apesar do reconhecimento pela UNESCO de locais específicos do patrimônio mundial, alguns estão em constante perigo de desaparecer devido a fenômenos naturais como terremotos, e fenômenos humanos como a urbanização. Por definição, estes marcos são relevantes na história da humanidade e têm características que refletem os valores mais humanos de várias civilizações. No entanto, muitos deles não foram experienciados pessoalmente por uma grande parte da população.

É por isso que Budget Direct realizou um projeto para reconstruir de forma virtual seis locais declarados patrimônio mundial pela UNESCO, que atualmente se encontram em ruínas. A equipe decidiu dar vida a uma série de lugares considerados patrimônio cultural qualificados pela UNESCO como "em perigo", desde a cidade fortificada de Hatra no Iraque até as ruínas recentemente destruídas de Palmyra na Síria, e colaborou com a arquiteta Jelena Popovic durante a fase de pesquisa deste projeto.

Hatra

Localização: Al-Jazīrah - Iraq
Ano de construção: século III ou II a. C.
Por se tratar de uma grande cidade fortificada sob a influência do Império Parthian e capital do primeiro reino árabe, Hatra resistiu às invasões dos romanos em 116 e 198 d.C. graças as suas muralhas reforçadas por torres. Foi fundada no século III ou II a.C., sob o reino Seleucid. Devido a sua posição estratégica ao longo das rotas comerciais das caravanas, a cidade prosperou e tornou-se um importante centro religioso.

Leptis Magna

Localização: Distrito de Khoms - Libia 
Ano de construção: 7 ° c. a.C
Leptis ou Lepcis Magna, também conhecida por outros nomes na antiguidade, era uma cidade proeminente do Império Cartaginês e da Líbia Romana na boca do Wadi Lebdam, no Mediterrâneo. Foi uma das mais belas cidades do Império Romano graças a seus imponentes monumentos públicos, porto, mercado, armazéns, lojas e bairros residenciais.

Palmyra

Localização: Tadmur, Província de Homs, Síria (Google maps)
Ano de construção: 3º milênio a.C
Este é um oásis no deserto sírio, a nordeste de Damasco, que contém as ruínas monumentais de uma grande cidade que foi um dos mais importantes centros culturais do mundo antigo. Do primeiro ao segundo século, a arte e a arquitetura de Palmyra combinaram as técnicas greco-romanas com as tradições locais e a influência persa.

Fortificações Portobelo-San Lorenzo

Localização: Província de Colón - Distrito de Cristóbal, Panamá
Año de construção: Séculos XVII e XVIII.
Estes fortes panamenhos na costa do Caribe fazem parte do sistema de defesa construído pela Coroa Espanhola para proteger o comércio transatlântico. Existem vários locais de fortificação ao redor da Baía de Portobelo, chamados de fortificações de San Fernando: Lower Battery, Upper Battery e Hilltop Stronghold; Forte da bateria de San Jerónimo; Fortificações de Santiago: Castillo de Santiago de la Gloria, Battery e Hilltop Stronghold; a antiga fortaleza de Santiago; ruínas de Fort Farnase; La Trinchera; a bateria de Buenaventura; e San Cristóbal.

Nan Madol

Localização: Ilha Temwen, Estados Federados da Micronésia
Ano de construção: Século VIII ou IX
Trata-se de uma série de mais de 100 pequenas ilhas ao longo da costa sudeste de Pohnpei que foram construídas com paredes de rochas basálticas e corais. Estas ilhotas são o lar dos restos de palácios de pedra, templos, túmulos e domínios residenciais construídos entre 1200 e 1500 CE. Eles representam o centro cerimonial da dinastia Saudeleur, um período vibrante na cultura das ilhas do Pacífico. O local também foi inscrito na Lista do Patrimônio Mundial em Perigo devido a ameaças, em particular a sedimentação de cursos d'água que está contribuindo para o crescimento descontrolado dos manguezais e minando os edifícios existentes.

Antiga cidade de Jerusalém e suas muralhas

Localização: Jerusalén, Israel
Ano de construção: 1535
Em 1535, quando Jerusalém fazia parte do Império Otomano, o Sultão Suleiman I ordenou a reconstrução das muralhas em ruínas. O trabalho levou cerca de quatro anos, entre 1537 e 1541. O comprimento das paredes é de 4,018 metros (2.4966 milhas), sua altura média é de 12 metros (39,37 pés) e a espessura média é de 2,5 metros (8,2 pés). As paredes contêm 34 torres de vigia e sete portões principais abertos ao tráfego, com dois portões menores reabertos por arqueólogos.

Para mais informações visite a página Budget Direct.

Traduzido por Julia Dauden.

Sobre este autor
Cita: Arellano, Mónica. "6 Sítios tombados pela UNESCO restaurados virtualmente" 03 Ago 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/944635/6-sitios-tombados-pela-unesco-restaurados-virtualmente> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.