Demolições: através dos olhos de um artista

Demolições: através dos olhos de um artista

Recentemente, vi uma obra de arte pública no principal distrito cultural de Dubai - Alserkal Avenue: era uma instalação de um coletivo de artistas - METASITU, que transformou um armazém anteriormente conhecido como Nadi Al Quoz, em uma ruína do século XXI. O trabalho intitulado: "estávamos construindo castelos de areia_mas o vento os levou para longe" - foi inspirado nas demolições perenes que se tornaram parte integrante do placemaking contemporâneo em todo o mundo. Por meio deste trabalho, o METASITU reflete sobre os processos extrativos de construção de cidades, contextualizando-os dentro de diferentes cronogramas humanos e ecológicos. A visão a longo prazo dos artistas era desconstruir o edifício e devolver seus materiais constituintes ao seu 'estado original'. No final deste ano, eles planejam desconstruir ainda mais a instalação criando um ambiente paisagístico público.

© Ismail Noor© Ismail Noor© Ismail Noor© Ismail Noor+ 7

© Ismail Noor
© Ismail Noor

Para criar a instalação, grandes faixas da fachada da edificação Nadi Al Quoz foram cuidadosamente demolidas e substituídas por sacos de areia empilhados para cobrir a seção demolida da parede. Dentro do armazém, grandes valas foram escavadas aleatoriamente na laje de concreto, expondo o terreno natural sobre o qual a edificação foi construída. Montes maciços de concreto pulverizado do piso demolido estavam em um canto do armazém, enquanto montes de terra do solo escavado estavam em outro. Por todo a edificação, arbustos frescos e pequenas árvores foram fixadas no chão para criar uma ilusão de vegetação ativa. E a única parede interna da edificação possuía uma abertura cuidadosamente cortada que emoldurava a vista de uma extensa camada de areia fina. Para mim, espiando por essa abertura, abriu-se uma janela de devaneios da infância - boas lembranças de brincadeiras onde canteiros de obras abandonados costumavam ser apropriados temporariamente por nós quando crianças - um ponto de encontro para nossas brincadeiras diárias.

© Ismail Noor
© Ismail Noor

Apesar de minhas reservas pessoais sobre esse tipo de expressão artística, especialmente uma que explora um assunto delicado como a demolição, a instalação apresentou um raro momento de laissez-faire criativo, desprovido de cisma social ou qualquer outra preocupação além da face artística desta obra de arte. No mundo real, a demolição continua sendo um tópico muito divisivo, especialmente quando é forçada (eu escrevi sobre isso no passado). Demolições são eventos profundamente emotivos, muitas vezes dando origem às emoções gêmeas de angústia e nostalgia, ocasionadas por lembranças, até então criadas nos espaços demolidos, e a percepção de que esses momentos provavelmente nunca serão encenados novamente. No entanto, além de seu mérito artístico, a instalação destaca a transitoriedade espacial que se tornou marca registrada de nossas cidades em constante evolução. Desmistifica as narrativas espaciais existentes de cidades de vanguarda como Dubai, que representa uma arquitetura e um urbanismo dentre os mais sofisticados do mundo e também demonstra a natureza efêmera das megacidades contemporâneas e a realidade latente de que elas podem acabar em um aterro algum dia ou se tornar ruínas desgastadas pelo tempo, sempre que nosso voo de fantasias nos levar a outro lugar.

© Ismail Noor
© Ismail Noor

METASITU, como cita o site do estúdio, é um coletivo que explora a maneira como nos relacionamos com o território por meio do tempo e das disciplinas. Fundado em 2014, o trabalho do METASITU concentrou-se amplamente no encolhimento de cidades no leste da Ucrânia e no Extremo Oriente russo; em grande parte através de seu projeto em andamento 'The Degrowth Institute', onde eles exploram maneiras de incorporar noções de decrescimento em obras-primas urbanas. Mais recentemente, eles pesquisaram sobre os espaços desocupados nas torres de escritórios em Dubai e os processos de ruína. Sua prática incorpora pedagogias não hierárquicas, intervenções arquitetônicas, experimentos sociais e vídeo.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Agbo, Mathias. "Demolições: através dos olhos de um artista" [Demolitions: Through the Eyes of an Artist] 30 Abr 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/938330/demolicoes-atraves-dos-olhos-de-um-artista> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.