Os maiores projetos de paisagismo de 2019

Os maiores projetos de paisagismo de 2019

Este ano mostrou como a arquitetura paisagística está ajudando a definir a vida pública. Nas duas primeiras décadas do século XXI, os arquitetos paisagistas criaram planos vibrantes de resiliência, projetos de reabilitação e novos parques urbanos. À medida que esses vinte anos terminam, 2019 incorpora muitas ideias e tendências maiores que continuarão a influenciar a próxima década no paisagismo.

Jardim de Esculturas Hirshhorn Sculpture Garden, Washington, D.C.. Imagem © Ted BoothMusic Center Plaza, Los Angeles, CA. Imagem © Tim Street-PorterInnisfree, Milbrook, NY. Imagem Cortesia de  Innisfree FoundationThe rehabilitated Peavey Plaza, Minneapolis, MN. Imagem © Elizabeth Felicella+ 9

Explorando os empreendimentos mais notáveis com Charles A. Birnbaum, Presidente e CEO da Cultural Landscape Foundation (CFL), este ano mostrou muitos momentos memoráveis, em escalas diversas. Cada vez mais, obras de arquitetura paisagística são amplamente reconhecidas como equipamentos públicos vitais e elementos essenciais na revitalização econômica e organização de espaços. Como afirma a CLF, talvez o maior desafio para o legado compartilhado de paisagens culturais venha das mudanças climáticas.

Salesforce Transit Center & Park

Cortesia de PWP Landscape Architecture
Cortesia de PWP Landscape Architecture

Atualmente, São Francisco é um ramo de atividade após a abertura do Salesforce Transit Center & Park pela PWP Landscape Architecture e Pelli Clarke Pelli Architects. Situado 21 metros acima do nível da rua, no topo de uma estação ferroviária de alta velocidade e centro de trânsito, este sinuoso parque de 5,4 acres "já funciona como uma vila verde", de acordo com o San Francisco Chronicle, , e é um catalisador para o desenvolvimento de um novo bairro .

Revitalização Peavey Plaza 

The rehabilitated Peavey Plaza, Minneapolis, MN. Imagem © Elizabeth Felicella
The rehabilitated Peavey Plaza, Minneapolis, MN. Imagem © Elizabeth Felicella

Igualmente significante foi a revitalização de regiões que foram sensíveis e inovadoras em igual medida, graças à pesquisa minuciosa dos projetistas. O Peavey Plaza, projetado por M. Paul Friedberg, de Minneapolis, acabou de emergir de uma revitalização liderada pela Coen + Partners que viu a restauração de suas fontes modernistas icônicas e adições sensíveis para atender à acessibilidade e outros requisitos. A praça, listada no Registro Nacional de Lugares Históricos, é revivida.

Los Angeles Music Center Plaza

Music Center Plaza, Los Angeles, CA. Imagem © Tim Street-Porter
Music Center Plaza, Los Angeles, CA. Imagem © Tim Street-Porter

Em Los Angeles, o Rios Clementi Hale Studios fez alterações cuidadosas na praça do Music Center, que incluem um elegante pavimento geométrico. O Los Angeles Times observa: “O redesenho é menos uma releitura e mais uma intervenção cirúrgica cuidadosa. O objetivo é tornar o Music Center mais flexível e funcional”. Como destaca o RCH, a aspiração pela renovação do Music Center Plaza era transformar a área central de circulação em um verdadeiro local de apresentações ao ar livre, capaz de apoiar uma variedade de novas artes ainda não sonhadas.

Obama Presidential Center

Obama Presidential Center. Cortesia de  The Obama Foundation
Obama Presidential Center. Cortesia de The Obama Foundation

O Obama Presidential Center, de Tod Williams Billie Tsien Architects e Interactive Design, propôs cerca de vinte acres no histórico Jackson Park, projetado por Frederick Law Olmsted, em Chicago. O terreno está localizado na extremidade oeste do parque, ao longo da South Stony Island. O projeto arquitetônico do Centro inclui estruturas por toda parte, com a inserção de uma torre de 71 metros de altura e vários edifícios menores no parque. O TCLF é um consultor oficial das revisões do nível federal sobre a localização do Centro Presidencial de Obama e disse que: “Embora o processo de aprovações locais cuidadosamente orquestrado tenha sido permitido por autoridades municipais flexíveis, ainda existem revisões em nível federal em andamento para este trabalho nacionalmente significativo de arquitetura paisagística listado no Registro Nacional de Lugares Históricos. ”

James Rose Residence & Innisfree

Innisfree, Milbrook, NY. Imagem Cortesia de  Innisfree Foundation
Innisfree, Milbrook, NY. Imagem Cortesia de Innisfree Foundation

Este também foi um ano para o reconhecimento de inovadores. A residência de James Rose em Nova Jersey, agora um centro de pesquisa e design arquitetônico, foi listada no Registro Nacional de Lugares Históricos. A integração de salas internas e externas, juntamente com o esfumaçamento dos limites entre as formas construídas e as naturais, reflete a influência do design japonês no trabalho de Rose. A 140 quilômetros ao norte de Nova York está a magnum opus de Lester Collins, Innisfree, uma obra-prima da influência oriental em uma paisagem distintamente americana, que também foi listada no Registro Nacional este ano.

Documentários e Reconhecimento

Robson Square, Vancouver, Canadá. Imagem © Charles A. Birnbaum
Robson Square, Vancouver, Canadá. Imagem © Charles A. Birnbaum

Dois documentários forneceram informações valiosas sobre mulheres pioneiras. The Life and Gardens of Beatrix Farrand , do cineasta Karyl Evans, concentra-se na designer de Dumbarton Oaks, em Washington, DC, e em outros locais influentes, e a única mulher fundadora da Sociedade Americana de Arquitetos Paisagistas. Outro documentário, City Dreamers , de Joseph Hillel, narra a vida e as carreiras dos designers do pós-guerra Phyllis Lambert, Blanche Lemco van Ginkel, Denise Scott Brown e Cornelia Hahn Oberlander, que foi apelidada de “grande dama da arquitetura da paisagem” pelo New York. Times.

Walter Hood

Walter Hood. Cortesia de John D. & Catherine T. MacArthur Foundation
Walter Hood. Cortesia de John D. & Catherine T. MacArthur Foundation

Em 25 de setembro, Walter Hood se tornou o segundo arquiteto paisagista (após Kate Orff) a receber uma concessão de “gênio” da Macarthur. Menos de duas semanas depois, Hood recebeu o Prêmio Dorothy e Lillian Gish, concedido anualmente a um "artista altamente talentoso de qualquer disciplina que ultrapassou os limites de uma forma de arte, contribuiu para a mudança social e abriu o caminho para a próxima geração".

Museu Hirshhorn e Jardim das Esculturas

Jardim de Esculturas Hirshhorn Sculpture Garden, Washington, D.C.. Imagem © Ted Booth
Jardim de Esculturas Hirshhorn Sculpture Garden, Washington, D.C.. Imagem © Ted Booth

O jardim de esculturas de Lester Collins, no Museu Hirshhorn e no Jardim de Esculturas, em Washington, DC, está agora ameaçado. O terreno original de 1974, projetado pelo arquiteto Gordon Bunshaft, recebeu críticas severas - o New York Times o chamou de "poço de cascalho". Por outro lado, o redesenho do Collins 1977-80, com sua sequência de salas ao ar livre, foi considerado um "acolhedor" parque urbano ”e um“ parque de artes [que] serve a escultura ”. Uma proposta de reformulação do jardim de esculturas pelo mundialmente famoso artista Hiroshi Sugimoto está sendo examinada de perto.

Sobre este autor
Cita: Baldwin, Eric. "Os maiores projetos de paisagismo de 2019" [2019’s Biggest Developments in Landscape Architecture] 31 Dez 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/930234/os-maiores-projetos-de-paisagismo-de-2019> ISSN 0719-8906
Ler comentários

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.