O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Elementos chave de Paisagismo: planos, clareiras e disposição de árvores

Elementos chave de Paisagismo: planos, clareiras e disposição de árvores

Elementos chave de Paisagismo: planos, clareiras e disposição de árvores
Elementos chave de Paisagismo: planos, clareiras e disposição de árvores, © Matheus Pereira
© Matheus Pereira

Assim como os elementos arquitetônicos que compõe e conformam o espaço construído – piso, paredes e teto, os elementos vegetais também são capazes de conformar espaços livres em áreas de grande, média e pequena escala, de parques a jardins residenciais, atuando como estruturadores espaciais. Segundo Benedito Abbud, “O paisagismo é a única expressão artística em que participam os cinco sentidos do ser humano. Enquanto a arquitetura, a pintura, a escultura e as demais artes plásticas usam e abusam apenas da visão, o paisagismo envolve também o olfato, a audição, o paladar e o tato, o que proporciona uma rica vivência sensorial, ao somar as mais diversas e completas experiências perceptivas. Quanto mais um jardim consegue aguçar todos os sentidos, melhor cumpre seu papel”. [1]

De maneira prática, faremos alguns posts mostrando a conceituação e utilização dos componentes vegetais – árvores, arbustos, grama e forrações nos espaços livres. Neste artigo abordaremos os planos, maciços vegetais e a disposição de árvores.

Planos

Planos de piso, verticais e cobertura. Image © Matheus Pereira
Planos de piso, verticais e cobertura. Image © Matheus Pereira

Assim como os elementos construtivos, vegetações são capazes de propiciar condicionantes equivalentes. Árvores podem ser associadas a pilares e suas copas às coberturas; arbustos tendem a estabelecer a função de guarda-corpo; diferentes tipos de grama e forrações como delimitação de pisos, etc., ou seja, tendem a criar planos horizontais (piso e cobertura) e verticais (paredes).

Clareiras e maciços vegetais

Maciços vegetais e clareiras. Image © Matheus Pereira
Maciços vegetais e clareiras. Image © Matheus Pereira

Junto aos maciços vegetais, responsáveis por garantir sombra e barreiras a possíveis inconvenientes do ambiente, é essencial a disposição de áreas livres, tecnicamente intituladas de clareiras. São nesses espaços onde são desenvolvidas as atividades pelos usuários (jogos, prática de esportes, piqueniques, entre outros).

É notório que dada conformação pode assegurar problemas térmicos pela incidência solar. Porém, algumas soluções podem ser adotadas, como o emprego de áreas molhadas (pequenos lagos ou espelhos d’água) ou ainda, conformar os maciços vegetais considerando a predominância dos ventos, de modo a intensificar o cruzamento destes.

Alinhamento e disposição das árvores

Um dos pontos-chave dos projetos paisagísticos diz respeito à disposição dos elementos vegetais, sobretudo as árvores, e a criação de áreas destinadas a diferentes atividades. Apresentemos a seguir alguns modelos padrões.

Alinhamento vegetal alinahdo. Image © Matheus Pereira
Alinhamento vegetal alinahdo. Image © Matheus Pereira

Se empregadas linearmente, árvores de mesma altura ou espécie tendem a criar planos verticais, assim como uma sucessão de pilares ou também como paredes. Porém, caso se opte por espécies com copas maiores, esta conformação permitirá planos de teto pela organização regrada. O uso de mais de um tipo de espécie ou árvores de alturas diferentes, tende a criar variações na percepção do espaço e quebra à possível monotonia ou linearidade do olhar.

Alinhamento vegetal triangulado e curvo. Image © Matheus Pereira
Alinhamento vegetal triangulado e curvo. Image © Matheus Pereira

Se posicionadas triangularmente, indica-se a implantação de modo a criar um triangulo com 60 graus de vértice. Esta conformação permite rigor, mas também propicia maiores barreiras visuais laterais pela massa dos troncos e copas, muito utilizada no perímetro de parques urbanos, deflagrando uma barreira acústica natural.

Curvaturas e a criação de linhas serpenteadas pela disposição de cada uma das árvores em conjunto tende a criar a ideia de movimento. Este modelo é frequentemente utilizado nas bordas de superfícies hídricas ou na criação de áreas de interesse.

Alinhamento vegetal em Zig Zag. Image © Matheus Pereira
Alinhamento vegetal em Zig Zag. Image © Matheus Pereira

O alinhamento em zigue zague segue os princípios do modelo triangulado, disposto num ângulo de 60 graus, porém, transmite a ideia de movimento e cria núcleos onde podem ser dispostos mobiliários e equipamento dedicados à prática de atividades e convívio.

Alinhamento de maciço vegetal regrado e aleatório. Image © Matheus Pereira
Alinhamento de maciço vegetal regrado e aleatório. Image © Matheus Pereira

Atente-se a nunca dispor as árvores aleatoriamente, pois poderá acarretar problemas durante as obras e ainda, na intenção final do projeto. Maciços também devem seguir um controle quanto à disposição de cada um dos troncos.

No próximo artigo dessa série abordaremos a conformação de marcos visuais e eixos; e as distintas escalas de projeto.

Notas:
[1] ABBUD, 2006, p.15

Referências Bibliográficas
ABBUD, Benedito. Criando Paisagens – guia de Trabalho em Arquitetura paisagística. São Paulo: Editora Senac, 2006.

Cita: Matheus Pereira. "Elementos chave de Paisagismo: planos, clareiras e disposição de árvores" 23 Fev 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/889576/elementos-chave-de-paisagismo-planos-clareiras-e-disposicao-de-arvores> ISSN 0719-8906
Ler comentários