O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. 9 Projetos inovadores que exploram as profundezas do mar e a vastidão do espaço

9 Projetos inovadores que exploram as profundezas do mar e a vastidão do espaço

  • 15:00 - 7 Fevereiro, 2018
  • por
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
9 Projetos inovadores que exploram as profundezas do mar e a vastidão do espaço
9 Projetos inovadores que exploram as profundezas do mar e a vastidão do espaço, Platinum City, Primeira Cidade Pós-Humana / Sean Thomas Allen; Reino Unido. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Platinum City, Primeira Cidade Pós-Humana / Sean Thomas Allen; Reino Unido. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Nove projetos visionários focados na vida em lugares inexplorados do mar e do espaço sideral foram anunciados como vencedores da competição Jacques Rougerie de 2017.

Fundada em 2011, a competição visa promover a criatividade dos jovens arquitetos, desafiando-os a concluir "projetos inovadores, audaciosos e promissores" que imaginem novos métodos de desenvolvimento sustentável dentro dos domínios do mar e do espaço sideral.

As apresentações arquitetônicas foram concedidas este ano dentro de três categorias: Inovação e Arquitetura para o Mar, Inovação e Arquitetura para o Espaço, e Arquitetura e Aumento do Nível do Mar. Nessas categorias, os projetos foram selecionados em três disciplinas: o grande prêmio geral, o prêmio "Foco" e o Coup de Coeur.

Confira os projetos vencedores abaixo.

SOLAR SPORE, Um fotobiorreator de algas no espaço /  Pierre-Jacques Truyman, Alexandre Brassart, Sylve Truyman; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation Refúgio: Plataforma Habitável de Sal Marinho / Lambert David, França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation BIOLUM_REEF : um recife habitável sustentável / Olivier Bocquet, Lisa Tanet, Laurence Casalot, François Desruelles, Christian Tamburini; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation Currents for Currents, Azul é o novo verde / Deo Alrashid T. Alam, Robert Andrew P. Galano, Pierre Michael Monjardin; Filipinas. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation + 10

Inovação e Arquitetura para o Mar

Grande Prêmio

Currents for Currents, Azul é o novo verde / Deo Alrashid T. Alam, Robert Andrew P. Galano, Pierre Michael Monjardin; Filipinas

Currents for Currents, Azul é o novo verde / Deo Alrashid T. Alam, Robert Andrew P. Galano, Pierre Michael Monjardin; Filipinas. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Currents for Currents, Azul é o novo verde / Deo Alrashid T. Alam, Robert Andrew P. Galano, Pierre Michael Monjardin; Filipinas. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Com o "azul como o novo verde" como filosofia de design, o "Currents for Currents" é uma solução de habitação tanto para as comunidades costeiras vulneráveis quanto para as severas calamidades naturais e a falta de infraestrutura de energia confiável nessas áreas distantes. Com a resiliência como uma das principais preocupações, as estruturas foram projetadas com a maior flexibilidade possível para se adaptarem às condições sempre em mudança do mar. O coração do projeto, no entanto, reside na forma como foi projetado para usar o contexto do mar e sua vantagem operacional. As casas são alimentadas por energia da maré e energia solar colhidas pela tecnologia incorporada nas próprias unidades, tornando a comunidade inteira completamente auto-suficiente.

Prêmio Foco: "Portos do Futuro"

Estação de Energia Flutuante Efêmera & Estação de Carregamento de Bateria de Metal Líquido / Dimo Ivanov; Bulgária

Estação de Energia Flutuante Efêmera & Estação de Carregamento de Bateria de Metal Líquido / Dimo Ivanov; Bulgária. Imagem Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Estação de Energia Flutuante Efêmera & Estação de Carregamento de Bateria de Metal Líquido / Dimo Ivanov; Bulgária. Imagem Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Inspirado pela ideia do professor Donald Sadoway de uma bateria de metal líquido de tamanho gigante, Ephemere Highrise propõe uma estação de carregamento de bateria. A equipe do professor Sadoway - Ambri pretende desenvolver uma bateria gigante que se encaixa em um recipiente de transporte de 12 metros. E isso tem uma capacidade de identificação de dois megawatts-horas. Isso é energia suficiente para atender às necessidades elétricas diárias de 200 famílias.

Coup de Coeur

BIOLUM_REEF : um recife habitável sustentável / Olivier Bocquet, Lisa Tanet, Laurence Casalot, François Desruelles, Christian Tamburini; França

BIOLUM_REEF : um recife habitável sustentável / Olivier Bocquet, Lisa Tanet, Laurence Casalot, François Desruelles, Christian Tamburini; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
BIOLUM_REEF : um recife habitável sustentável / Olivier Bocquet, Lisa Tanet, Laurence Casalot, François Desruelles, Christian Tamburini; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

O arquipélago de Frioul está localizado no Parque Nacional de Calanques. Ele marca o epicentro geográfico de Marselha, a capital global da vida submarina. O frágil ecossistema desta cadeia insular está exposto a numerosos riscos - vários resíduos, erradicação de prados de ervas marinhas, erosão costeira, poluição ... BIOLUM_REEF F é uma resposta biomimética com um triplo objetivo: 1 / promover o desenvolvimento da biodiversidade marinha através de um recife artificial. 2 / criar três habitats semi-submersos e autônomos dentro do recife. 3 / propor um ciclo eco-virtuoso "sem energia" e em que os resíduos são os recursos.

Inovação e Arquitetura Para o Espaço

Grande Prêmio

Platinum City, Primeira Cidade Pós-Humana / Sean Thomas Allen; Reino Unido

Platinum City, Primeira Cidade Pós-Humana / Sean Thomas Allen; Reino Unido. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Platinum City, Primeira Cidade Pós-Humana / Sean Thomas Allen; Reino Unido. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Nascido no advento da primeira indústria pós-humana do mundo da mineração de asteroides, ergueu-se orgulhosamente sobre a superfície do asteroide de Rosetta, localizado nas profundezas de uma magnífica cratera, aos pés das Montanhas Putoran de 1.700 metros de altura, a Platinum City! Uma cidade industrial emergente que incorpora personagens biomecânicos dentro de seu tecido urbano, a Platinum City existe em algum lugar entre um jardim bem conservado e uma máquina bem oleada.

A "Cidade de Platina" é um posto avançado de mineração no espaço exterior na superfície do asteroide Rosetta de grau Ore na órbita lunar em torno da nossa lua. A primeira colônia espacial pós-humana autônoma do mundo é uma cidade conhecida como um computador orgânico, com suas arquiteturas de asteroides grandiosas e englobadas em tecnologias crescidas ao longo do tempo e ancoradas ao rico asteroide Rosetta de platina por uma vasta rede de biomecânica.

Prêmio Foco: “Satélites de Energia Solar”

Crônica Marciana: Estratégia informada para a urbanização de Marte / Dylan Collins; França

Crônica marciana: estratégia informada para a urbanização de Marte / Dylan Collins; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Crônica marciana: estratégia informada para a urbanização de Marte / Dylan Collins; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Meu projeto visa explorar uma estratégia que utiliza restrições ambientais marcianas para o desenvolvimento de uma sociedade científica. Todos os elementos para a produção de materiais de construção podem ser encontrados no solo e no ar do planeta. O principal desafio é, portanto, a produção de energia. Diz-se que Marte é um planeta congelado, com temperaturas atingindo até 120 ° C. Isso é verdade, mas é uma visão que vê o copo como meio vazio. No lugar certo e na hora certa, Marte pode ser clemente, com temperaturas que chegam até 30 °C. Uma estratégia nômade, que consiste em seguir o curso cíclico do sol durante o ano aproveita as estações em Marte para maximizar a exposição solar e manter uma temperatura média anual de 16,4 °C e uma eficiência energética solar de 557 W / m2.

Coup de Coeur

SOLAR SPORE, Um fotobiorreator de algas no espaço /  Pierre-Jacques Truyman, Alexandre Brassart, Sylve Truyman; França

SOLAR SPORE, Um fotobiorreator de algas no espaço /  Pierre-Jacques Truyman, Alexandre Brassart, Sylve Truyman; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
SOLAR SPORE, Um fotobiorreator de algas no espaço / Pierre-Jacques Truyman, Alexandre Brassart, Sylve Truyman; França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Inspirado pelos fotobiorreatores de algas que funcionam na França, nos Estados Unidos ou nas fachadas das casas em Hamburgo, criamos uma estação de energia solar que usa microalgas para produzir energia elétrica, oxigênio e hidrogênio. Lançada a partir de um foguete, esta arquitetura bio-morfológica abre-se no espaço como uma flor enquanto atinge sua órbita.

Arquitetura e Elevação do Nível do Mar

Grande Prêmio

Utopia traduzida: um arquipélago tuvaluano em Aotearoa  / Nova Zelândia / Elizabeth Yarina; EUA

Utopia traduzida: um arquipélago tuvaluano em Aotearoa / Nova Zelândia / Elizabeth Yarina; EUA. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Utopia traduzida: um arquipélago tuvaluano em Aotearoa / Nova Zelândia / Elizabeth Yarina; EUA. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Este projeto propõe uma visão utópica para um arquipélago tuvaluano em Auckland, Nova Zelândia. Em vez de substituir os recifes - cujo futuro, enquanto ameaçado, permanece incerto - esse arquipélago alternativo prevê uma rede semi-autônoma adicional para que as culturas e os meios de subsistência tuvaluanos floresçam.

Prêmio Foco: "O Litoral Africano"

Tofinu: viver "no caminho da água" na costa do Benin / Kemi Amede, Don Do; Benin, França, Austrália

Tofinu: viver "no caminho da água" na costa do Benin / Kemi Amede, Don Do;  Benin, France, Austrália. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Tofinu: viver "no caminho da água" na costa do Benin / Kemi Amede, Don Do; Benin, France, Austrália. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

O Benim do Sul é uma área de zonas úmidas tropicais, com pântanos, lagoas e terrenos paralelos ao litoral. No início do século XIX, o assentamento humano foi organizado em torno de vilas de pescadores tradicionais com casas abandonadas no lago. As pessoas viveram organicamente em harmonia com a natureza, estruturadas por família, hierarquia social e religião. Geralmente, o mar era visto como um lugar mais selvagem, e nada era construído permanentemente perto da costa.

O projeto Tofinu busca estabelecer uma grade ou estrutura de partida como um guia para as formas tradicionais e modos de vida a serem restabelecidos, não como uma estrutura rígida e permanente, mas como uma cultura inicial que irá evoluir ao longo de 100 anos.

Coup de Coeur

Refúgio: Plataforma Habitável de Sal Marinho / Lambert David, França

Refúgio: Plataforma Habitável de Sal Marinho / Lambert David, França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation
Refúgio: Plataforma Habitável de Sal Marinho / Lambert David, França. Imagem Cortesia de Jacques Rougerie Foundation

Em um país inundado de água salgada, os bangladeshianos criam um novo terreno extraindo o sal da água do mar, penetrando na maior parte do país. Capazes de reconfigurar as técnicas de dessalinização da água do mar (já utilizadas hoje no Oriente Médio), eles transformam a salmoura (obtida através da eletrodiálise) em um material de construção. O cloreto de sódio presente na água passa de um estado líquido desordenado para um material rígido ordenado. Deste modo, o sal, uma vez responsável pela transformação biótica do Bangladesh e pelo desaparecimento de um solo bom, está sendo usado no desenvolvimento de uma natureza artificial, híbrida de elementos arquitetônicos e rochas de sal. Um novo terreno de refúgio toma forma acima da água do mar, por aglomeração de sal cristalino.

Saiba mais sobre os projetos vencedores deste ano aqui, e confira o banco de dados completo de todos os projetos passados e presentes aqui.

Via Jacques Rougerie Foundation

Ver a galeria completa

Cita: Lynch, Patrick. "9 Projetos inovadores que exploram as profundezas do mar e a vastidão do espaço" [9 Innovative Projects Tackling the Unexplored Realms of Sea and Space Win Jacques Rougerie Competition] 07 Fev 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/888453/9-projetos-inovadores-que-exploram-as-profundezas-do-mar-e-a-vastidao-do-espaco> ISSN 0719-8906