O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Instalações Temporárias
  4. Portugal
  5. COR Arquitectos
  6. 2017
  7. Coleção de Serralves: 1960-1980 / COR Arquitectos

Coleção de Serralves: 1960-1980 / COR Arquitectos

  • 14:00 - 25 Maio, 2017
Coleção de Serralves: 1960-1980 / COR Arquitectos
Coleção de Serralves: 1960-1980 / COR Arquitectos, © atelier XYZ
© atelier XYZ
  • Arquitetos

  • Localização

    Museu Serralves, R. Dom João de Castro 210, 4150-417 Porto, Portugal
  • Equipe

    Roberto Cremascoli , Edison Okumura, Marta Rodrigues
  • Área

    880.0 m2
  • Ano do projeto

    2017
  • Fotografias

© atelier XYZ © atelier XYZ © atelier XYZ © atelier XYZ + 49

  • Cliente

    Museu de Arte Contemporânea de Serralves
  • Curadores da exposição

    Suzanne Cotter, João Ribas, Ricardo Nicolau
© atelier XYZ
© atelier XYZ

Coleção de Serralves: 1960-1980 reúne obras de artistas portugueses e estrangeiros da Coleção do Museu de Serralves. Esta nova mostra, que marca o início de uma série que dará visibilidade permanente à Coleção de Serralves, privilegia as décadas de 1960 e 1970 como fundamentais para a nossa compreensão da arte contemporânea e para o desenvolvimento da Coleção desde a criação da Fundação de Serralves em 1989. Os trabalhos apresentados refletem a diversidade da produção artística, indo desde os primórdios do pós-minimalismo e da arte conceptual e suas expressões em Portugal e em diferentes partes do mundo até à experimentação com a abstração, a representação figurativa, a performance e o uso de novos meios.1

© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ

Quando a diretora do museu, Suzanne Cotter, nos convidou para desenhar a exposição sobre a coleção, desafiou-nos a encontrar uma solução inteligente para mostrar ao grande público os tesouros do museu. Tínhamos uma sequência definida pelos três curadores (Cotter, Ribas, Nicolau), uma narrativa construída e uma história para contar, porque há sempre uma história para contar, feita de heróis. Tínhamos as salas do museu desenhado por Álvaro Siza, espaços fortemente humanizados. Tínhamos a paisagem, lá fora, cá dentro. Uma característica constante da direção do museu, desde a chegada de Suzanna Cotter, foi a de manter as janelas com vista para o jardim como parte integrante de cada exposição, assim como foi pensado pelo autor do museu.

© atelier XYZ
© atelier XYZ
Croqui
Croqui
© atelier XYZ
© atelier XYZ

O público é conduzido pela paisagem que entra de repente nas salas em forma de cores que sobem pelas paredes até aos tetos do museu. São as cores do jardim. As sete cores ritmam as salas como separadores de grupos narrativos, criando âmbitos definidos onde os expositores flutuam no espaço para tentar não contaminar a relação entre as obras, entre os artistas. Ajudam as repentinas mudanças de escala entre obras e espaço, entre o visitante e o museu.

© atelier XYZ
© atelier XYZ
Croqui
Croqui
© atelier XYZ
© atelier XYZ

É a partir dos anos sessenta, e a seguir nos setenta, que a consciência social e ambiental dos artistas se mistura com as práticas e com as técnicas de representação. De Arte Povera até Body Art - as peças de Etel Adnan, Helena Almeida, Richard Artschwager, John Baldessari, Lothar Baumgarten; René Mel Bochner, Fernando Calhau, Alberto Carneiro, Merce Cunningham, Marlene Dumas, Hans-Peter Feldmann, David Goldblatt, Dan Graham, Giorgio Griffa, Richard Hamilton, Jannis Kounellis, Fernando Lanhas, Álvaro Lapa, Marwan, Cildo Meireles, Ana Mendieta, Robert Morris, Antoni Muntadas, Bruce Nauman, Silke Otto-Knapp, Nam June Paik, Charlotte Posenenske, Yvonne Rainer, Paula Rego, Gerhard Richter, Joaquim Rodrigo, Martha Rosler, Dieter Roth, Ed Ruscha, Julião Sarmento, Nikias Skapinakis, Robert Smithson, Ângelo de Sousa, Ana Vieira, Pires Vieira, Franz Erhard Walther, Hannah Wilke, Lynette Yiadom-Boakye (entre outros) - vibram entre os espaços de cor.

© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ

Há salas grandes, quartos que parecem wunderkamera.

Foi a maneira que encontramos para surpreender e mostrar os tesouros da coleção.

© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ
© atelier XYZ

Há muitos anos, num passeio pelo Porto com Pierluigi Nicolin e Giovanna Borasi, Pierluigi incumbiu-me de uma missão: colorare Siza!

Nunca mais pensei naquilo, mas aconteceu.

Ainda vai acontecer.

© atelier XYZ
© atelier XYZ

1 nota dos curadores.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato.
Sobre este escritório
COR Arquitectos
Escritório
Cita: "Coleção de Serralves: 1960-1980 / COR Arquitectos" 25 Mai 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/872191/colecao-de-serralves-1960-1980-cor-arquitectos> ISSN 0719-8906