O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. Por que o Instagram deveria fazer parte do processo de projeto de todo arquiteto

Por que o Instagram deveria fazer parte do processo de projeto de todo arquiteto

Por que o Instagram deveria fazer parte do processo de projeto de todo arquiteto

#officeofadrianphiffer_torontoisland

A post shared by Office Of Adrian Phiffer (@officeofadrianphiffer) on

O Instagram é um aplicativo. O Instagram mostra imagens. O Instagram já é parte de nossa linguagem. O Instagram tem 600 milhões de usuários. Números são muito importantes. Hoje em dia, eles são uma expressão exata do que é ou não é; a propósito, quantos seguidores você tem? O Instagram é o grande equalizador.

Eu não acho que o Instagram trate de notícias. O Instagram trata de influência. É nesse exato momento que a antiga ordem é alterada; o momento em que o recém-formado muda a prática estabelecida. Instagram é espaço. Você já viu @archiveofaffinities? É melhor do que qualquer biblioteca da escola. É o espaço para passar o seu tempo mais importante. É um spa.

O Instagram é superficial. Isso é um elogio. Sua superficialidade é bela. É essa leveza que vem ao julgar tudo apenas visualmente. O Instagram está cortando imagens. Ah! Instagram é síntese. Instagram é arte. Instagram é um assunto oportuno. É o momento em que você percebe que não é original. Ou ainda pior, é o momento em que você percebe que há alguém melhor do que você.

Instagram é design de alta velocidade.

Instagram é como pensar. Trata-se de pensar em imagens. É Aby Warburg em formato quadrado. Uma breve cartilha: Warburg é um iconógrafo. Em seu "Mnemosyne Atlas" (1929), várias imagens simbólicas, principalmente relacionadas a um tópico específico da Renascença, são justapostas e colocadas em uma seqüência, a fim de construir uma compreensão visual do assunto. É muito importante notar que a compreensão do assunto é imediata. Essa dimensão oportuna é crucial, pois desloca momentaneamente outras formas de racionalização. O brilho de Warburg era que ele estava construindo um contraponto ao pensamento platônico tradicional que considera a imagem como o oposto do conhecimento. Parece-me que o Instagram trata de conhecimento.

Instagram é fácil, quando você não se importa.

Eu recomendo que meus alunos tenham uma conta no Instagram. Instagram requer compromisso. Haverá um momento em que o Instagram se tornará parte do processo de design de cada arquiteto. Este momento dura um pouco mais de um segundo. Após esse segundo, alguns deles são desonestos. Alguns deles decidem olhar apenas para a frente.

Instagram é apenas uma revogação temporária das polaridades da mente.

Instagram é abertura para o mundo. Para um arquiteto, trata-se do público. Eu amo @officialnormanfoster. O arquiteto que construiu metade do mundo contemporâneo é humano. Olhar sua vida diária e ver que ele usa calças de ciclismo feitas com algum material tecnológico me deixa mais confiante.

Eu não o sigo.

O que eu quero dizer é que Instagram trata de rendição. Quão inteligente é o OMA? Hoje em dia, seu site exibe principalmente imagens de seus edifícios como se tivessem sido postadas pelos "usuários" dos edifícios através do Instagram. Como melhor mostrar sua arquitetura do que através dos olhos do público? Não sou ingênuo. A ideia não é perfeita e com certeza há uma curadoria, mas implica uma clara atitude para a relação entre arquiteto e usuário. Em breve, todo mundo vai fazer isso.

Então, por que o Instagram deve ser parte do processo de projeto de todos os arquitetos?

Para mim, o Instagram é um projeto. Parece um projeto de construção. Eu insisto todos os dias. Isso me força a uma posição absolutamente irritante; me torno mau. Uso Instagram apenas para olhar para trás. Para mim, é a nova versão do site ultra-clean. É o meio pelo qual eu abro janelas no meu processo de projeto.

Eu tento ser honesto.

Fim.

PS: Joshua Rothman, escrevendo para o The New Yorker, descreve o romance autobiográfico “My Struggle”, de Karl Ove Knausgaard, assim:

"O romance imagina uma espécie de liberdade final - uma liberdade espiritual baseada na abertura radical. É expansivo e impessoal, mas ainda assim, humano; é concreto, anti-ideológico e, acima de tudo, emocional. Além, ao lado, ou talvez dentro da busca de conhecer a si mesmo, há uma busca para conhecer o universo."

Comecei a usar o Instagram na mesma época em que comecei a ler Knausgaard.

O site do OMA mostra fotografias de Instagram feitas por usuários de seus edifícios. Imagem<a href='http://oma.eu'>via OMA</a>
O site do OMA mostra fotografias de Instagram feitas por usuários de seus edifícios. Imagemvia OMA

This gentle brutalism

A post shared by Office Of Adrian Phiffer (@officeofadrianphiffer) on

#officeofadrianphiffer_liget

A post shared by Office Of Adrian Phiffer (@officeofadrianphiffer) on

An exploration w/ @theflatsideofdesign #miesvanderrohe #berlinmuseum #digital #collage

A post shared by Office Of Adrian Phiffer (@officeofadrianphiffer) on

Image of a model made out of soap #officeofadrianphiffer_sibiu #architecture #architecturephotography #architecturemodel #soap #image

A post shared by Office Of Adrian Phiffer (@officeofadrianphiffer) on

Adrian Phiffer é fundador do Office of Adrian Phiffer e leciona na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Toronto.

Sobre este autor
Cita: Phiffer, Adrian. "Por que o Instagram deveria fazer parte do processo de projeto de todo arquiteto" [Why Instagram Should Be a Part of Every Architect's Design Process] 22 Mai 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/871664/por-que-o-instagram-deveria-fazer-parte-do-processo-de-projeto-de-todo-arquiteto> ISSN 0719-8906
Ler comentários

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.