O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Espaço De Exibições
  4. França
  5. Le Corbusier
  6. 1959
  7. Clássicos da Arquitetura: Maison du Bresil / Le Corbusier

Clássicos da Arquitetura: Maison du Bresil / Le Corbusier

Clássicos da Arquitetura: Maison du Bresil / Le Corbusier
© Samuel Ludwig
© Samuel Ludwig

Pensada como um microcosmo da vida e cultura brasileiras, Maison du Bresil é um exemplo significativo dos projetos residenciais de alta densidade de Le Corbusier. Inaugurada em 1959, é uma das vinte e três residências internacionais da Cité Internationale Universitaire de Paris, localizada no coração da capital francesa. Como "Casa do Brasil", o edifício funciona como residência para acadêmicos, estudantes, professores e artistas brasileiros, e como um centro para a cultura brasileira, fornecendo espaços de exposição e arquivos. Nomeadamente, o edifício tem proporcionado residência a famosos brasileiros, como o renomado jornalista Barroso Zózimo do Amaral.

© Samuel Ludwig © Samuel Ludwig © Samuel Ludwig © Samuel Ludwig + 8

O governo brasileiro, sob a presidência de Juscelino Kubitschek na época, encomendou o prédio em 1952 para fornecer uma residência para estudantes brasileiros de pós-graduação em Paris e para promover as relações entre a França e o Brasil. Para projetar o edifício, selecionaram Lucio Costa, famoso por seu trabalho de projeto urbano em Brasília. Após completar os esboços iniciais, Costa aproximou-se de Le Corbusier, com quem havia colaborado nos planos de Brasília, para auxiliar no processo de projeto e vistoriar a obra. Rapidamente, Corbusier fez mudanças significativas no desenho original da Costa para o edifício. Embora as principais formas do edifício permaneceram as mesmas, as mudanças foram suficientes para afastar Costa do projeto, que acabaria por ter seu nome removido do projeto.

© Samuel Ludwig
© Samuel Ludwig

O edifício, como o Pavilhão Suíço de Corbusier (1932), é um volume de concreto de cinco pavimentos sobre pilotis, também de concreto. Abaixo deste volume encontra-se um primeiro andar irregular que abriga espaços administrativos na ala oeste e espaços comunitários, como a biblioteca, o teatro, o espaço de exposição e o espaço de encontro, a leste. As duas alas são unidas sob o edifício por uma passagem curvilínea que atua internamente como um espaço intermediário, e externamente como um limite para as arcadas ao ar livre.

© Samuel Ludwig
© Samuel Ludwig

O grande volume acima, que abriga os espaços residenciais, é estabelecido com dormitórios na ala oeste e cozinhas comunitárias, escadas e outras instalações no leste. Como tal, as fachadas leste e oeste diferem de acordo com suas respectivas funções interiores. A fachada leste conta com grandes extensões de vidro no meio para permitir a luz e abertura nas cozinhas comunais, e pequenas janelas quadradas de cada lado para permitir que a luz entre nas escadas. As varandas pintadas com cores policromadas compõem toda a fachada oeste, muito parecidas com as da Unite d'Habitation (1952). Estas varandas, ao contrário de varandas mais típicas que sobressaem da face do edifício, na verdade definem a face do edifício, já que são contínuas tanto na vertical como na horizontal. As cores primárias pintadas nos interiores do balcão oferecem a variação da repetição total, dando à composição da fachada um caráter rítmico. As cores também estão presentes em todo o primeiro andar, mais proeminente em amarelo, que ajudam a definir o caráter dos volumes.

© Samuel Ludwig
© Samuel Ludwig

O concreto todo é tratado com "betón brut" (concreto aparente), um estilo utilizado por Corbusier frequentemente, para o qual as fôrmas da concretagem permanecem enraizados na superfície. O concreto, como resultado, é áspero e não tratado e retém muito do padrão de grão da madeira que o formou. Este processo torna aparente a construção do edifício e a mão de obra, revelando as matérias-primas e processos formativos que constituem o edifício.

© Samuel Ludwig
© Samuel Ludwig

Em 1985, o edifício foi adicionado ao inventário de monumentos históricos franceses. E em 1997, foi fechado para grandes renovações em um esforço para recuperar o seu brilho original.

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: C., Jonathan. "Clássicos da Arquitetura: Maison du Bresil / Le Corbusier" 12 Mai 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/871125/classicos-da-arquitetura-maison-du-bresil-le-corbusier> ISSN 0719-8906