O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Monumentos vivos do Vidigal como patrimônio do Rio de Janeiro

Monumentos vivos do Vidigal como patrimônio do Rio de Janeiro

Monumentos vivos do Vidigal como patrimônio do Rio de Janeiro
Monumentos vivos do Vidigal como patrimônio do Rio de Janeiro, © Henrique Madeira
© Henrique Madeira

Desenvolvidos por moradores do Vidigal, os projetos Telhado Orgânico Medicinal e Galeria Viva já se tornaram referência para a comunidade do morro carioca. Com o intuito de valorizar estas iniciativas, o vereador Reimont apresentou o Projeto de Lei nº 1.583/2016, que declara como patrimônio cultural urbano de natureza imaterial da cidade do Rio de Janeiro, o espaço.

O Telhado Medicinal, como foi batizada a cobertura do ponto das kombis, na Pracinha do Vidigal, é repleto de plantas verdes cultivadas de maneira orgânica. Ele foi totalmente elaborado e executado com apoio popular, sem investimento público. O objetivo da cooperação solidária entre vizinhos e amigos do Vidigal foi incentivá-los a repensarem e mudarem seus hábitos alimentares. Outro benefício é a recomposição da área verde, que tem sido destruída por causa do desmatamento.

Após a criação do "telhado vivo", comerciantes do Vidigal financiaram a Galeria Viva, cujo objetivo é fortalecer a integração dos moradores através de uma criação comum que todos possam aproveitar. Artistas foram convidados a pintar a história do Vidigal em um muro de grafite de 50 metros da Escola Stela Maris na comunidade.

Cortesia de Guto Graciano e Graça dos Prazeres
Cortesia de Guto Graciano e Graça dos Prazeres

O vereador Reimont explica que a Constituição Federal, em seu artigo 216, prevê o reconhecimento dos bens culturais imateriais como patrimônio a ser preservado pelo Estado em parceria com a sociedade.

Ele ressalta que esses bens se caracterizam pelas práticas e domínios da vida social apropriados por indivíduos e grupos sociais como importantes elementos de sua identidade. "São transmitidos de geração a geração e, constantemente, recriados pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, sua interação com a natureza e sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade", conclui.

A matéria recebeu parecer pela constitucionalidade da Comissão de Justiça e Redação e ainda aguarda análise das demais comissões pertinentes. 

Via camara.rj.gov.br

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Monumentos vivos do Vidigal como patrimônio do Rio de Janeiro" 20 Dez 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/801799/monumentos-vivos-do-vidigal-como-patrimonio-do-rio-de-janeiro> ISSN 0719-8906