O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. 10 Festivais tradicionais ao redor do mundo: um bom motivo para conhecer novas arquiteturas

10 Festivais tradicionais ao redor do mundo: um bom motivo para conhecer novas arquiteturas

10 Festivais tradicionais ao redor do mundo: um bom motivo para conhecer novas arquiteturas

Convivemos cotidianamente com nossas cidades através de atos corriqueiros, seja para transitar, buscar um espaço de contemplação, almoçar numa praça ou até mesmo se exercitar. No entanto, uma das formas mais excepcionais de experimentar diferentes vocações do espaço urbano são os festivais tradicionais, enraizados em suas culturas locais apresentadas através de diferentes indumentárias, culinárias, danças e outras manifestações artísticas.

Através destas festas percebe-se a ocupação e reivindicação do espaço público urbano, nas quais as ações culturais brindam novas formas de se apropriar da cidade - num momento que as ruas deixam de ser apenas um lugar de trânsito e se tornam um espaço de lazer e permanência, tomadas por uma diferente atmosfera. 

Novas culturas se constroem a partir de novas práticas. Através de viagens os arquitetos conseguem aumentar seu repertório e ganhar novos olhares para seus projetos. Por isso, buscamos alguns festivais tradicionais espalhados pelo mundo para que estes sirvam como uma boa desculpa para desvendar novos modos de pensar a cidade e, de quebra, conhecer grandes obras arquitetônicas.

 A seguir, conheça dez festivais incríveis para visitar numa próxima viagem.   

Festival Internacional de Gelo de Harbin

05 de Janeiro / Harbin, China 

By Shanghai killer whale (Own work) [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons
By Shanghai killer whale (Own work) [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

A China abriga o maior festival de gelo do mundo, sedeado em Harbin, durante o inverno chinês você pode se deparar com as maiores esculturas - e até mesmo arquiteturas - feitas de gelo do planeta.

Aproveite a visita para conhecer a incrível Ópera de Harbin e o Museu de Esculturas de Madeira da China, ambos projetos do MAD Architects

© Hufton+Crow. ImageÓpera de Harbin / MAD Architects
© Hufton+Crow. ImageÓpera de Harbin / MAD Architects

Carnaval

28 de Fevereiro / Brasil

By Foto:Antônio Cruz/ABr (Agência Brasil [1]) [CC BY 3.0 br (http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/deed.en)], via Wikimedia Commons
By Foto:Antônio Cruz/ABr (Agência Brasil [1]) [CC BY 3.0 br (http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/br/deed.en)], via Wikimedia Commons

O carnaval tem sua origem na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C., a festa de “carnis levale” marcava o “adeus à carne” e a partir dela se fazia um grande período de abstinência e jejum – a quaresma. Desde aquela época as festividades ocorriam de modo extravagante, dois milênios se passaram e pode-se dizer que o maior carnaval do mundo atravessou o oceano e ganhou ainda mais força em terras brasileiras.  

As celebrações do carnaval são as mais distintas possíveis, dos desfiles das escolas de samba internacionalmente famosos, passando por festas em clubes e - os mais interessantes para aqueles que buscam viver o espaço urbano - cortejo de blocos nas ruas.

Cada cidade possui um carnaval único, recomendamos aqui cinco: Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Ouro Preto e São Paulo.  

© Centro de Documentação e Pesquisa do MAM. ImageMuseu de Arte Moderna do Rio de Janeiro / Affonso Eduardo Reidy
© Centro de Documentação e Pesquisa do MAM. ImageMuseu de Arte Moderna do Rio de Janeiro / Affonso Eduardo Reidy

Mardi Gras

28 de Fevereiro New Orleans, EUA 

By Team at Carnaval.com Studios [CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons
By Team at Carnaval.com Studios [CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons

Falando em Carnaval, não podemos esquecer do “Mardi Gras”, que significa “terça-feira gorda” em francês, refletindo a prática de comer muitos alimentos ricos e gordurosos antes do jejum durante a quaresma. A festa mais tradicional ocorre em New Orleans, levando diversas cores e muita diversão para as ruas da cidade.

Além de festejar, você terá a oportunidade de ver como a cidade se reconstituiu após o furacão Katrina, compreendendo o papel da arquitetura e do urbanismo nesta reconstrução. Uma boa dica é conhecer os projetos ecológicos realizados pelo Make it Right.

© Iwan Baan. ImageThe Float House / Morphosis, Make It Right.
© Iwan Baan. ImageThe Float House / Morphosis, Make It Right.

Holi

13 de março / Índia 

By Jitenderasingh (Own work) [CC BY-SA 4.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], via Wikimedia Commons
By Jitenderasingh (Own work) [CC BY-SA 4.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], via Wikimedia Commons

Também conhecido como o Festival das Cores, Holi comemora a chegada primavera na Índia. Entre bebidas, comidas e muita música, neste festival as cores ganham protagonismo: as pessoas atiram pós coloridos e tintas umas nas outras. Apesar do tom de festa, este é um importante evento na cultura hindu pois é o momento que celebra a lenda de Radha e Krishna, a qual relata o prazer que Krishna sentia ao colorir Radha e Gopis. Holi Hai! 

Se você estiver viajando pela Índia, não perca a chance de conhecer Chandigarh, planejada por ninguém menos que Le Corbusier.

© Fernanda Antonio. ImagePalácio da Assembléia. Le Corbusier.
© Fernanda Antonio. ImagePalácio da Assembléia. Le Corbusier.

Fallas

19 de março – Valência, Espanha 

By Rafa Esteve (Own work) [CC BY-SA 4.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], via Wikimedia Commons
By Rafa Esteve (Own work) [CC BY-SA 4.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], via Wikimedia Commons

A festa nasceu de uma queima de restos de oficinas de carpintaria em Valência, na Espanha. Com criatividade, os valencianos transformaram esta queima num enorme evento que ocupa toda a cidade com grandes peças de madeira, as “Fallas” - que apresentam uma grande sátira política, traços de sua cultura e história local - que serão queimadas no último dia de festa – o dia de la cremà -, que também é o dia de São José – 19 de março.

O festival começa alguns dias antes, mas tem como datas imperdíveis o dia 14 quando ocorre la plantà, o dia 17 com uma bela oferenda de flores e a grande nit del foc (noite do fogo) no dia 18, onde ocorre um espetáculo inesquecível de fogos de artifício no Rio Turia – onde também está a Cidade das Artes, polêmico projeto de Santiago Calatrava.

Diego Delso [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons
Diego Delso [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Festival de Lama de Boryeong 

Julho / Boryeong, Coreia do Sul

By Stinkie Pinkie (originally posted to Flickr as Mud Fest 2008) [CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons
By Stinkie Pinkie (originally posted to Flickr as Mud Fest 2008) [CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons

O Festival de Lama acontece anualmente na cidade de Boryeong durante o verão, atraindo mais de dois milhões de visitantes para a cidade. O evento começou como propaganda para os cosméticos que levavam a lama de Boryeong, rica em minerais e matéria-prima, como ingrediente de suas fórmulas.

A diversão parece garantida e além de melhorar sua pele, você pode aproveitar para conhecer Seul que está 200 km ao norte de Boryeong para se deparar com incríveis edifícios e paisagem urbanas.

© Fernando Guerra | FG+SG. ImagePaisagem transparente por UnSangDong Architects
© Fernando Guerra | FG+SG. ImagePaisagem transparente por UnSangDong Architects

Oktoberfest

Setembro e Outubro / Munique, Alemanha 

By Aschuff (Own work) [GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html), CC-BY-SA-3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/) or CC BY-SA 2.5-2.0-1.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5-2.0-1.0)], via Wikimedia Commons
By Aschuff (Own work) [GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html), CC-BY-SA-3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/) or CC BY-SA 2.5-2.0-1.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5-2.0-1.0)], via Wikimedia Commons

Provavelmente você já ouviu falar na Oktoberfest, o maior festival de cerveja do mundo. Criado pelo rei bávaro Ludwig I para celebrar seu casamento em 1810, atualmente recebe aproximadamente seis milhões de visitantes por ano. A festa também celebra tradições germânicas e se tornou internacional, acontecendo em diversas cidades do mundo. Sua segunda maior edição ocorre em Blumenau, no Brasil, com um público médio de 700 mil pessoas por ano.

Visitar Munique é ter a chance de conhecer algumas das poucas obras concebidas por Freio Otto, vencedor do Prêmio Pritzker em 2015, o Parque Olímpico.

Estádio Olímpico de Munique / Frei Otto & Gunther Behnisch. Image © Victor Delaqua
Estádio Olímpico de Munique / Frei Otto & Gunther Behnisch. Image © Victor Delaqua

Nuit Blanche

Fim do verão (por volta de Outubro) / Paris, França (e muitas outras cidades) 

By Yann Caradec from Paris, France [CC BY-SA 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)], via Wikimedia Commons
By Yann Caradec from Paris, France [CC BY-SA 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)], via Wikimedia Commons

O principal mote deste evento é trazer a criação artística contemporânea aos cidadãos e convidar todos a virar a noite imersos num intercâmbio de experiências.  

A “Noite em Branco” é uma iniciativa cultural parisiense que foi criada em 2002. Seu grande êxito fez com que várias outras cidades adotassem o evento e o adaptassem para seus contextos locais. Bruxelas, Madrid, Riga, Roma, são algumas dessas cidades. O evento chegou na América Latina pela primeira vez em São Paulo, com o nome de “Virada Cultural”, e depois já aconteceu em Lima, La Paz e Bogotá. Certamente é um evento imperdível em qualquer um desses lugares, mas aqui recomendamos o que ocorre na cidade originária: Paris. Em 2017 a direção artística será realizada por Charlotte Laubard.

Em todas as cidades os eventos são gratuitos e permitem que os cidadãos experimentem e ocupem espaços urbanos durante toda a madrugada junto da vanguarda artística. 

Centro Georges Pompidou / Renzo Piano + Richard Rogers. Image © Victor Delaqua
Centro Georges Pompidou / Renzo Piano + Richard Rogers. Image © Victor Delaqua

Dia de los Muertos

02 de Novembro / México 

By Thetambourinekid (Own work) [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons
By Thetambourinekid (Own work) [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Celebrar a vida dos ancestrais é algo presente na cultura mexicana há mais de três mil anos, suas antigas civilizações já faziam isso muito antes de se tornar um tema hollywoodiano. O Dia dos Mortos foi considerado como Obra Mestra do Patrimônio Oral e Intangível da Humanidade pela UNESCO

O dia 02 de novembro se tornou um dia festivo pois, como dizem, é quando os mortos têm permissão divina para visitar seus parentes e amigos. E como bons anfitriões, mexicanos enfeitam suas casas com flores, velas e incensos, festejam esta visita com comidas, música e os doces preferidos deles. Nas ruas existem desfiles de pessoas que se fantasiam com máscaras de caveiras, vestem roupas com esqueletos pintados ou se fantasiam de morte. Este também é um grande momento para trazer à tona uma das personagens da cultura popular mexicana: a Calavera Catrina.

Se você estiver no México, entre tantas outras dicas, não perca a chance de conhecer obras do grande arquiteto mexicano Luis Barrágan, um dos mais recentes projetos concluídos por Tadao Ando, ou ir mais a fundo no surrealismo visitando Las Pozas

Las Pozas. Image © Victor Delaqua
Las Pozas. Image © Victor Delaqua

FESTIMA: Festival Internacional de Máscaras e Artes

2018 / Dédougou, Burkina Faso

O uso das máscaras era uma cultura que corria o risco de ser esquecida em Burkina Faso, por isso o Asama resolveu criar o FESTIMA: um evento que busca valorizar a tradição das máscaras na África, fomentando sua expressão através de danças, desfiles, reflexões temáticas e troca de ideias sobre como salvaguardar este costume, exposições e um mercado de máscaras. O festival ocorre apenas nos anos pares, portanto, sua 21ª edição ocorrerá apenas em 2018. 

Quer um outro belíssimo motivo para visitar Burkina Faso? Lá você terá a oportunidade de visitar as obras de Francis Keré e ver como uma boa arquitetura influencia o dia-a-dia de uma comunidade.

© Siméon Duchoud. ImageEscola Primária em Gando / Kéré Architecture
© Siméon Duchoud. ImageEscola Primária em Gando / Kéré Architecture

De fato, as ruas também foram feitas para dançar. 

Cita: Victor Delaqua. "10 Festivais tradicionais ao redor do mundo: um bom motivo para conhecer novas arquiteturas" 09 Jan 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/801156/10-festivais-tradicionais-ao-redor-do-mundo-um-bom-motivo-para-conhecer-novas-arquiteturas> ISSN 0719-8906