O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Termas de Vals de Peter Zumthor pelas lentes de Fernando Guerra

Termas de Vals de Peter Zumthor pelas lentes de Fernando Guerra

Termas de Vals de Peter Zumthor pelas lentes de Fernando Guerra

Apresentamos uma incrível sessão de fotos de Fernando Guerra (Últimas Reportagens) do projeto das Termas de Vals, um dos mais icônicos do arquiteto vencedor do Pritzker de 2009, Peter Zumthor.

Construído entre 1993 e 1996, o equipamento faz parte do complexo hoteleiro de Vals, sobre uma fonte de águas termais, e serve aos hóspedes do hotel, à comunidade local e a visitantes diários, em busca das propriedades curativas e relaxantes das águas quentes.

O projeto do edifício partiu a partir de uma restrição do Conselho da obra, formado por lideranças locais e técnicos, que proibiu a construção de uma edificação em altura que pudesse prejudicar as vistas dos hóspedes ao vale. Isso conformou uma das principais características do edifício, que com apenas uma fachada e metade da edificação enterrada no morro, mescla-se com a topografia do vale, sobretudo por conta de sua cobertura que constitui-se como uma continuidade com o plano inclinado gramado.

O espaço das termas é organizado ao redor de duas grandes piscinas, sendo uma externa e outra coberta, rodeadas por altas paredes revestidas em pedra. O acesso principal do equipamento é realizado através de um túnel que parte do hotel, funcionando como uma transição que prepara o visitante à experiência da arquitetura imaginada por Zumthor. Internamente, pode-se percorrer os diversos espaços livremente, sem um trajeto pré-concebido, com as paisagens evidenciadas e obstruídas magistralmente através das aberturas. 

A fachada, com uma alternância marcante entre cheios e vazios, evidencia o método construtivo do edifício. Ele é composto por 15 paralelepípedos simples, todos distintos entre si. São volumes que compreendem uma laje de piso, uma laje de cobertura e elementos verticais. Esses fragmentos são montados como um grande quebra-cabeça tridimensional. Dessa forma, a cobertura não é contínua, mas rompida em cada uma das ligações entre esses blocos. Nessas conexões há um vão de 8 centímetros, muito sutil, que permite a entrada de um filete de luz natural. Apesar de aparentar um volume massivo, monolítico, o edifício é uma justaposição de estruturas levemente afastadas entre si, que conformam o todo. O projeto aborda magistralmente essas contraposições: seja entre as linhas retas da arquitetura e o movimento das águas ou entre o cinza das pedras e os jogos de luzes e cores.

Em cada um dos blocos o arquiteto explora uma sensação, através das cores, da escala ou mesmo da própria água, e suas temperaturas, estado, odores, etc. Durante a noite a experiência é drasticamente alterada, e a maior parte da luz emerge da própria água. 

Segundo o arquiteto, “banhar-se é um ritual quase místico, mitológico, de limpeza e relaxamento, o que inclusive é visto na fé cristã, com o batismo. Você passa por uma mudança ao tirar suas roupas do dia a dia para adentrar um mundo novo, de pedra e de água em distintas temperaturas, de luzes, efeitos acústicos e superfícies diferentes, sentidas na pele. Formalmente, tudo é simples e essencial.”

Revise outras imagens e desenhos técnicos dessa obra sublime do arquiteto suíço:

Clássicos da Arquitetura: Termas de Vals / Peter Zumthor

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Eduardo Souza
Autor
Cita: Eduardo Souza. "Termas de Vals de Peter Zumthor pelas lentes de Fernando Guerra " 28 Out 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/798132/termas-de-vals-de-peter-zumthor-nas-lentes-de-fernando-guerra> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.