O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Bienal de Veneza 2016 (um panorama preliminar)

Bienal de Veneza 2016 (um panorama preliminar)

Bienal de Veneza 2016 (um panorama preliminar)
Bienal de Veneza 2016 (um panorama preliminar)

Mais importante evento de arquitetura do mundo, a Bienal de Veneza abre oficialmente suas portas ao público no próximo sábado, 28 de maio. Norteada pelo tema "Reporting from the Front", o evento tem como diretor o arquiteto chileno Alejandro Aravena -- sócio-fundador do do tank ELEMENTAL --, mais recente laureado do Prêmio Pritzker de Arquitetura. O tema da 15ª Bienal busca fomentar a discussão e a reflexão em torno do papel dos arquitetos na batalha cotidiana por melhorar as condições de vida dos mais variados contextos políticos, geográficos, sociais e econômicos.

Nas palavras do diretor geral desta edição:  "Existem várias batalhas que precisam ser ganhas e várias fronteiras que precisam ser expandidas para que a qualidade do ambiente construído e, consequentemente, a qualidade de vida das pessoas melhore. Mais e mais pessoas no planeta estão em busca de um lugar decente para viver e as condições para alcançá-lo estão tornando-se cada vez mais difíceis. Qualquer tentativa de ir além dos negócios como encontros habituais resiste à inércia da realidade e qualquer esforço para abordar questões relevantes tem de superar a crescente complexidade do mundo. [...]  REPORTING FROM THE FRONT trará ao público mais amplo o que é melhorar a qualidade de vida, enquanto se trabalha nas margens, em circunstâncias difíceis, enfrentando desafios prementes. Ou o que é preciso para estar na vanguarda tentando conquistar novos campos. Nós gostaríamos de aprender com arquiteturas que, apesar da escassez de meios, intensificam o que está disponível em vez de reclamar sobre o que está faltando. Nós gostaríamos de entender quais ferramentas de projeto são necessárias para subverter as forças que privilegiam o ganho individual sobre o benefício coletivo..."

À diferença da Bienal passada -- Fundamentals -- dirigida por Rem Koolhaas (que tão bem encarna a figura do arquiteto globalizado, sempre in transit ) e que se voltava aos elementos básicos constituintes da arquitetura, isto é, voltava a arquitetura para ela mesma -- Reporting From the Front é um chamado a resolver algumas questões básicas (fundamentais?) do ambiente construído que refletem na qualidade de vida das pessoas -- de cidadãos metropolitanos a comunidades vernáculas de regiões remotas.

A discussão pretendida com esta Bienal transborda os limites da arquitetura, se pensarmos na disciplina a partir da perspectiva da Bienal passada, invadindo campos como a política, a geopolítica, a economia, os estudos sociais, a geografia, a distribuição de renda, a economia, a infraestrutura urbana, a participação comunitária etc, caracterizando um evento construído sobre a ideia da arquitetura como um campo multidisciplinar, e do arquiteto como um agente facilitador de  processos que tendem a levar a um objetivo maior: o bem estar e a qualidade de vida das populações.

Para isso, Aravena conta com duas frentes, a Mostra Internacional, composta por 88 escritórios de 37 países que ocupará áreas do Arsenale e do Giardini, e os Pavilhões Nacionais, que confrontarão o tema proposto pelo diretor com as práticas arquitetînicas que vêm sendo desenvolvidas e aplicadas em cada país participante.

MOSTRA INTERNACIONAL

'Reporting from the Front' será uma exposição única que se espalhará pelo Arsenale e pelo pavilhão central do Giardini, mostrando trabalhos de 88 participantes de 37 países. Destes, 50 estarão apresentando trabalhos pela primeira vez e 33 são arquitetos com menos de 40 anos de idade. 'Reporting from the Front' mostrará trabalhos que lidam com segregação, desigualdade, periferias, problemas sanitários, desastres naturais, crises habitacionais, imigrações, crime, tráfico, desperdício, poluição e participação comunitária.

Alejandro Aravena divulga mais detalhes sobre a Bienal de Veneza 2016 - "Reporting From the Front"

O Brasil será representado na mostra através da participação do escritório paulistano SPBR Arquitetos, liderado por Angelo Bucci, que apresentará o projeto do novo Museu de Arte Moderna (MAM), na cidade de São Paulo, realizado como parte do 33º Panorama de Arte Moderna do Museu, em 2013.

Proposta do SPBR para o novo MAM de São Paulo. Via SPBR
Proposta do SPBR para o novo MAM de São Paulo. Via SPBR

PAVILHÕES NACIONAIS

Alejandro Aravena convidou cada país participante a compartilhar com o restante do mundo suas próprias batalhas diárias por melhores condições de vida,  com o objetivo de advertir os arquitetos e o público dos desafios que poderíamos desconhecer, mas também para compartilhar um pouco de conhecimento em relação aos esforços para melhorar nossos locais de vida -- uma tarefa que deve ser resolvida de forma coletiva. 

O Pavilhão do Brasil, que tem como curador Washington Fajardo, é norteado pelo tema JUNTOS e busca evidenciar histórias de pessoas que lutam e alcançam mudanças na passividade institucional das grandes cidades do País, conquistando arquitetura em processos lentos cujo vagar não é problema, mas um apontamento de soluções ao esfacelamento político do planejamento do território. De acordo com o curador, “a mostra é uma composição dessas trajetórias e parcerias, do processo do encontro do ativista, do lutador, com o arquiteto e com a arquitetura, tornando-se imanados pela elaboração do novo espaço”.

Anunciado o tema do pavilhão do Brasil na Bienal de Veneza 2016

Cultura negra, população negra, centralidades históricas, acesso à cultura através da arquitetura, de conteúdos de design, são os relatos do pavilhão brasileiro, na busca pelo entendimento do que seria estarmos "juntos", conforme destaca, ainda, Fajardo. A exposição reúne processos e seus estados da arte, que podem estar concluídos, em projeto, por fazer ou inacabados. São processos que falam de arquitetura, urbanismo, patrimônio cultural, publicações, ativismo e tecnologia social. Por isso vídeos, fotos, cartas, artigos, poesias, textos, fatos, desenhos e dados também fazem parte da mostra, “compondo um memorial para estas vidas imbricadas na melhoria do ambiente construído, nas suas comunidades, no resgate de um modo de ser e saber”. Saiba mais sobre o Pavilhão do Brasil aqui.

Além dos da Mostra Internacional e dos Pavilhões Nacionais, a XV Bienal de Arquitetura de Veneza também contará com uma série de eventos paralelos que acontecem em várias partes da cidade e não necessariamente estão ligados ao cronograma oficial da Bienal.

Bienal de Veneza 2016 divulga lista de eventos paralelos

Os eventos paralelos, cada um selecionado por Aravena e promovido por alguma organização sem fins lucrativos, acontecerão por toda a cidade de Veneza e, nas palavras de Paolo Baratta (Presidente da Bienal), "contribuem, juntamente com um grande número de países participantes que não têm um pavilhão no Giardini ou no Arsenale, para difundir a 15ª Exposição Internacional de Arquitetura ao transformá-la em um fenômeno urbano que envolve todos os cantos da cidade."

LEÃO DE OURO PARA PAULO MENDES DA ROCHA

Além do Pavilhão do Brasil e da participação do escritório SPBR na Mostra Internacional, o Brasil tem um lugar importante na Bienal deste ano, com Paulo Mendes da Rocha recebendo o Leão de Ouro por sua trajetória. Selecionado pelo Conselho de Diretores da La Biennale di Venezia, sob recomendação do curador Alejandro Aravena, Mendes da Rocha foi escolhido por ser "um desafiador não-conformista e, simultaneamente, um realista apaixonado." E a citação da Bienal continua: "Suas áreas de interesse vão além da arquitetura, em reinos políticos, sociais, geográficos, históricos e técnicos. O papel que ele desempenhou para muitas gerações de arquitetos no Brasil, América Latina e em todos os lugares é o de uma pessoa capaz de unir esforços compartilhados e coletivos, bem como alguém capaz de atrair outros para a causa de um melhor ambiente construído."

Paulo Mendes da Rocha recebe o Leão de Ouro por sua trajetória

Nossa equipe está cobrindo a Bienal de Arquitetura de Veneza, portanto, fique de olho que em breve publicaremos mais notícias sobre o evento!

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Bienal de Veneza 2016 (um panorama preliminar)" 24 Mai 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/788091/bienal-de-veneza-2016-um-panorama-preliminar> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.