O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. 12 projetos que explicam o urbanismo paisagístico e como ele está mudando as cidades

12 projetos que explicam o urbanismo paisagístico e como ele está mudando as cidades

12 projetos que explicam o urbanismo paisagístico e como ele está mudando as cidades
12 projetos que explicam o urbanismo paisagístico e como ele está mudando as cidades

Em seu novo livro, Landscape as Urbanism (Paisagem como Urbanismo, em tradução livre), Charles Waldheim, Professor na John E. Irving e Diretor de Paisagismo na Graduate School of Design da Harvard University argumenta que para compreender a metrópole do século XXI "um entendimento tradicional da cidade como extrapolação de modelos e metáforas arquitetônicas não é mais viável dado a prevalência de forças ou fluxos maiores. Isso inclui rupturas ou quebras na lógica arquitetônica da forma urbana tradicional como compelida por mudanças ecológicas, econômicas e de infraestrutura."

Em outras palavras, as construções espaciais nos ambientes urbanos não deveriam mais ser ligadas à funções intratáveis ou tentativas de isolamento, mas deveriam se integrar ao tecido urbano. Esses tipos de projetos devem ser flexíveis às mudanças inevitáveis em funcionalidade e propósito que são os subprodutos da mudança econômica e evoluções nas intenções de uso do solo. Os doze projetos apresentados aqui são exemplares de tais práticas, tanto na forma como eles se adaptam às intervenções anteriores e como se movem para além da noção de um futuro estático para as condições urbanas que estão perpetuamente em fluxo.

Projetos Concluídos

1. Parc de la Villette (Paris, França) / Bernard Tschumi

© Cyrus Penarroyo
© Cyrus Penarroyo

Construído em um terreno que já foi um grande mercado de atacado de carne e um matadouro no nordeste de Paris, Parc de la Villette foi uma nova tipologia para projetos paisagísticos que não precedia a natureza ou a arquitetura, mas ao invés disto formas híbridas que integram a vegetação com aquilo feito pelo homem. Diferente dos parques anteriores que buscavam a beleza e especificidade ou função, a paisagem de Tschumi é um espaço flexível que reconhece que o domínio público é transitório.

2. Terminal International de Passageiros de Yokohama (Yokohama, Japão) / Foreign Office Architects (FOA)

© Satoru Mishima / FOA
© Satoru Mishima / FOA

Realizado por encantos dramáticos em desenhos auxiliados por computadores, o Terminal de Yokohama é um dos primeiros projetos a utilizar tecnologias de desenho digital. O projeto de infraestrutura defendia princípios de urbanismo paisagístico em um equipamento que cria circulação através das superfícies moldadas que servem e acentuam as funções do terreno.

3. Millenium Park (Chicago, Illinois, EUA) / SOM (Park Masterplan)

Cortesia de Krueck + Sexton Architects
Cortesia de Krueck + Sexton Architects

Construído no que antes era um pátio férreo, estacionamento e corredores de ônibus, o Millennium Park é informalmente chamado de "o maior jardim de cobertura do mundo" pelos projetistas do masterplan, o escritório SOM. O terreno completa a visão de 100 anos de Daniel Burnham para a orla de Chicago em uma configuração que é clássica mas também contemporânea, com grandes passeios, um anfiteatro assinado por Frank Gehry e granes esculturas públicas amadas pela população, por sobre dois níveis de estacionamento, corredores de ônibus e uma estação de trem reformada e ampliada.

4. Parque Olímpico de Esculturas (Seattle, Washington, EUA) / Weiss/Manfredi

© Benjamin Benschneider
© Benjamin Benschneider

O parque de esculturas é construído sobre um antigo terreno deteriorado por atividade industrial que possui formato em zig-zag que cruza uma importante estrada e rota de trens. Em uma descida gradual - com diferença de nível de 12 metros - o caminho de pedestres reestabelece uma conexão com a orla adjacente na última parcela urbana ainda livre.

5. Aeroporto Internacional de Pequim (Pequim, China) / Foster + Partners

© Nigel Young / Foster + Partners
© Nigel Young / Foster + Partners

Como um dos maiores terminais de aeroportos do mundo, este de Beijing exemplifica o que Charles Waldheim descreve como "locais cuja a escala, conectividade de infra-estrutura e os impactos ambientais superam um modelo estritamente arquitetônico de elaboração de cidade."

6. The High Line (Cidade de Nova York, Nova York, EUA) / James Corner Field Operations e Diller Scofidio + Renfro, com Piet Oudolf

© Iwan Baan
© Iwan Baan

Talvez o projeto mais conhecido desta lista, o High Line é um parque construído por sobre uma ferrovia elevada desativada no West Side de Manhattan. Depois de décadas em desuso, os trilhos se tornaram um parque auto semeado que o projeto de Field Operations, DS+R e Piet Oudolf procurou honrar em espírito, mas também argumentando com equipamentos como caminhos pavimentados, bancos, espaços gramados e jardins. 

7. Klyde Warren Park (Dallas, Texas, EUA) / The Office of James Burnett

© Aerial Photography, Inc
© Aerial Photography, Inc

Construído como um tampão vegetal sobre a Rodovia Woodall Rodgers, o Klyde Warren Park visa corrigir um pouco da 'miopia' que permitiu sistemas rodoviários a seccionar bairros e deteriorar tantos centros urbanos americanos na corrida do século XX para desenvolver infra-estrutura para o carro. Os 5,2 acres do parque fazem a ponte entre centro e o Distrito das Artes adjacente com comodidades que incluem um palco, restaurante, parque de pets, playground, gramado grande e um jardim de plantas nativas.

Projetos hipotéticos, em ndamento ou em construção

8. BIG U ( Nova York, Nova York, EUA) / Bjarke Ingels Group

Cortesia de rebuildbydesign.org
Cortesia de rebuildbydesign.org

Após o furacão Sandy, a iniciativa de NY com o projeto Rebuild by Design foi elaborada para gerar soluções para vulnerabilidades regionais que preparariam a regão metropolitana para tempestades futuras. Na necessidade de um muro que não fosse um muro, nas palvras de Bjarke Ingels "[BIG U] é um colar de pérolas de equipamentos sociais e ambientais feitos sob medida para suas vizinhanças específicas, que também acaba por proteger suas várias comunidades de uma enchente. Em outras palavras, BIG U é uma série de intervenções paisagísticas que cria espaços para recreação diária, mas pode resistir ao impacto de uma grande tempestade 

9. 11th Street Bridge (Washington DC, EUA) / OMA, OLIN

Cortesia de OMA & Luxigon
Cortesia de OMA & Luxigon

Reimaginando uma antiga ponte férrea por sobre o Rio Anacostia, a proposta de OMA e OLIN usaria o viaduto como um espaço de parque comunitário para as populações de ambos os lados do rio. O programa prevê jardins de chuva, anfiteatro, um bosque para redes, café, praça, espaço gramado e terrenos para agricultura urbana.

10. Willamette Falls Riverwalk (Cidade de Oregon, Oregon, EUA) / Mayer/Reed, Snøhetta, DIALOG

Cortesia de  Snøhetta, DIALOG, Mayer/Reed
Cortesia de Snøhetta, DIALOG, Mayer/Reed

A segunda maior queda d'água dos Estados Unidos o projeto de Riverwalk por Mayer/Reed, Snøhetta, e DIALOG busca reintroduzir o público em um terreno que foi desgastado por industrialização durante o final do século XIX e durante o século XX. O projeto consiste na preservação de estruturas industriais existentes com novas intervenções que prometem costurar o público ao longo das estruturas adjacentes construídas em torno de uma formação geológica.

11. Porto de Alimentos de West Louisville West Louisville, Kentucky, EUA) / OMA

Cortesia de OMA / Robota
Cortesia de OMA / Robota

Uma instalação que unifica o crescimento, venda e distribuição de comida em uma planta de uso misto de entidades antigamente separadas, o Porto de Alimentos reimagina uma antiga fábrica de tabaco como um "hub comunitário e economicamente ativo" destinado a desvendar e descomplicar a comercialização da produção de alimentos dos Estados Unidos.

12. Freshkills Park (Staten Island, New York City, EUA) / James Corner Field Operations

Cortesia de Department of Parks and Recreation
Cortesia de Department of Parks and Recreation

Um masterplan de um parque com 2,200 acres construído no que já foi o maior aterro sanitário do mundo. O projeto de Fields Operations, que venceu um concurso em 2001 e começou a ser construído em 2006 vai continuar a transformar o parque pelas próximas duas décadas, com término das obras previsto para 2035.

Sobre este autor
Vladimir Gintoff
Autor
Cita: Gintoff, Vladimir. "12 projetos que explicam o urbanismo paisagístico e como ele está mudando as cidades" [12 Projects that Explain Landscape Urbanism and How It's Changing the Face of Cities] 18 Abr 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Santiago Pedrotti, Gabriel) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/785392/12-projetos-que-explicam-landscape-urbanism-e-como-estao-mudando-a-cara-das-cidades> ISSN 0719-8906