O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Território sem chão: projetando no deserto do Saara

Território sem chão: projetando no deserto do Saara

Território sem chão: projetando no deserto do Saara
Território sem chão: projetando no deserto do Saara, Courtesy of OUALALOU+CHOI
Courtesy of OUALALOU+CHOI

O pavilhão do Marrocos na 14ª Bienal de Veneza, intitulada Fundamentals, focou em especulações territoriais no deserto do Saara e tinha como título Inhabiting the Uninhabitable. Para a exposição, que foi a primeira aparição do país na Bienal de Veneza, o escritório parisiense OUALALOU+CHOI propôs uma estrutura urbana para o território desértico - "um modo de fixar raízes, estabelecendo urbanidade e civilização. O Saara, com suas condições geográficas e climáticas extremas, permanece um território inexplorado para a especulação arquitetônica."

Courtesy of OUALALOU+CHOI
Courtesy of OUALALOU+CHOI

Dos arquitetos. O mar de areia transforma o deserto em um território sem chão. Constantemente mudando, o chão nunca é um ponto de referência; como marujos, os habitantes do deserto dependem das constelações para se guiarem geograficamente. Este projeto propõe uma cidade acima e abaixo do solo: uma cidade suspensa e uma cidade enterrada. Além destas dimensões alegóricas e críticas, a ideia de que uma cidade seja experienciada em sua verticalidade em vez de sua horizontalidade é extranha e poderosa. A interioridade que é criada entre a cidade de dia (abaixo do solo) e a cidade à noite (sob o céu) se torna o coração do espaço público. 

Courtesy of OUALALOU+CHOI
Courtesy of OUALALOU+CHOI

Assentamentos humanos sempre se originaram da tensão e equilíbrio entre a geografia do vasto território e a geometria que confronta a imensidão, dimensiona o assentamento e o contém. O projeto é composto por uma série de anéis que ficam menores à medida em que se aproximam da cidade alta ou descem para a cidade inferior. A articulação entre estas camadas produz os vazios urbanos que ficam cada vez mais finos de baixo para cima  e de cima para baixo. Deste modo, um gradiente vertical de espaços públicos, comuns, privados e íntimos controla o  nível de luz natural e ventilação neste vazio urbano. 

Como uma figura maçônica, uma alegoria dantesca ou uma fantasia "carcerária", esta estrutura urbana delimita na mesma medida que é delimitada. A cidade de torna uma aventura pioneira em um novo mundo; em um território sem chão infinito, a cidade busca ancorar a presença humana, dar uma escala compreensível. A cidade está no mundo; ela se torna o mundo. 

Courtesy of OUALALOU+CHOI
Courtesy of OUALALOU+CHOI

Moroccan Pavilion Milan Expo 2015 / OUALALOU+CHOI

Sobre este autor
James Taylor-Foster
Autor
Cita: Taylor-Foster, James. "Território sem chão: projetando no deserto do Saara" [Territory Without Ground: Designing in the Sahara Desert] 12 Abr 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/785331/territorio-sem-chao-projetando-no-deserto-do-saara> ISSN 0719-8906