O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. 14 Histórias por trás dos vencedores do Building of the Year Award

14 Histórias por trás dos vencedores do Building of the Year Award

  • 12:00 - 4 Fevereiro, 2016
  • por
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
14 Histórias por trás dos vencedores do Building of the Year Award

Semana passada o ArchDaily revelou os 14 ganhadores do prêmio Building of the Year. Selecionados pelos leitores do ArchDaily entre mais de 3000 candidatos, este 14 representam os melhores projetos publicados pelo ArchDaily no ano passado, determinados por uma rede imparcial de 55.000 votantes que participaram - cada um deles como juízes em um dos prêmios de arquitetura mais democráticos do mundo.

Representando a diversidade de atuação dos arquitetos, locações e tipos de projetos, cada obra possui uma história muito diferente sobre sua concepção, sua relação com o contexto, como se encaixa na trajetória do arquiteto, ou o que diz sobre o rumo que a arquitetura está tomando. Apesar da diversidade de histórias apresentadas, cada uma delas torna-se um fascinante conto de arquitetura. Desta forma, apresentamos aqui essas 14 histórias.

Arquitetura Pública: Cozinha Comunitária das Terras da Costa / ateliermob + Colectivo Warehouse

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Cravado na terra entre a pequena, porém densa, cidade da Costa da Caparica, oeste de Portugal, e uma paisagem protegida composta por falésias, a leste, os 500 residentes, na sua maioria africanos e ciganos de Terras da Costa, tiveram uma relação tensa com as autoridades locais. Desde o início de 2000, o conselho local tem tentado livrar-se repetidamente do bairro ilegalmente construído, com uma carta do Presidente do Conselho ao Presidente da Câmara Municipal de Almada descrevendo a comunidade como "um verdadeiro flagelo" que "aumentou o nível de degradação da terra em relação ao valor turístico ".

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Felizmente as cabeças conscientes prevaleceram. Terras da Costa foi tomada como uma questão acadêmica pelo Departamento de Arquitetura (DA / UAL) e pelo Centro de Estudos de Arquitetura, Cidade e Território (CEACT / UAL) da Universidade Autônoma de Lisboa através da sua oficina Noutra Costa, proporcionando o apoio institucional para a comunidade e para as autoridades trabalharem como parceiros em vez de adversários. Com a bênção do Conselho de Almada, a comunidade de Terras da Costa formou uma comissão de vizinhança com a intenção de encomendar uma nova estrutura para melhorar, ao invés de erradicar, o bairro.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

O programa resultante foi o de uma cozinha comum foi desenvolvido e selecionado pelos membros da própria comunidade. O projeto, feito por uma das equipes originais Noutra Costa , o ateliermob. Em colaboração com o Colectivo Warehouse é modesto na aparência, mas a sua força reside em seu valor simbólico: para o povo de Terras da Costa representa um novo paradigma de política urbana inclusiva, o fim do seu tempo como um flagelo invisível na periferia da cidade; para a arquitetura, demonstra a capacidade dos arquitetos em mudar a política através da advocacia sustentada - o poder da voz do arquiteto na arena política.

Arquitetura Comercial: Loja Miu Miu Aoyama / Herzog & de Meuron

© Nacasa & Partners
© Nacasa & Partners

Localizado em frente a sua própria loja 2003 para Prada, o projeto de Herzog & de Meuron para a loja Miu Miu Aoyama é concebido para ser diferente em quase todos os sentidos. Localizado no bairro da moda de Aoyama, os dois edifícios fazem parte de um show de projetos arquitetônicos que anunciam suas respectivas marcas. A rua Miyuki, porém, onde os dois edifícios estão situados, "é heterogênea - uma mistura de edifícios independentes de diferentes alturas e formas, sem tradição histórica ou normas comuns", explicam os arquitetos. "O local nunca quis ser um espaço próprio ... a atmosfera não é convidativa, como uma avenida ou uma praça."

© Nacasa & Partners
© Nacasa & Partners

Enquanto a loja Prada foi uma tentativa de adicionar essa atmosfera que faltava à rua, com uma fachada transparente e um praça pública, a recente loja Miu Miu remove seus interiores da esfera pública com uma fachada opaca, quebrada apenas pela fatia sedutora na parede frontal. Os dois andares da loja Miu Miu foram planejados segundo os princípios de ser "mais como uma casa do que uma loja de departamentos, mais escondido do que aberto, mais discreto do que extravagante, mais opaco do que transparente."

© Nacasa & Partners
© Nacasa & Partners

Como resultado, a loja Miu Miu Aoyama é um raro exemplo de arquitetos em conversação com eles mesmos, respondendo a uma década de pensamento arquitetônico e mostrando que, em última análise, muitas vezes há duas maneiras (ou até mais) muito diferentes de abordar um determinado enigma arquitetônico.

Arquitetura de Hotelaria: Cella Bar / FCC Arquitectura + Paulo Lobo

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Localizado na periferia de Madalena, nos Açores portugueses, o Cella Bar pelo FCC Arquitectura e Paulo Lobo é caracterizado por contrastes. Metade do projeto trata-se de uma cuidadosa restauração de um edifício vernáculo abandonado que é contrastada e quase dominada pela outra metade, um crescimento em forma orgânica de madeira, que de acordo com os arquitetos remete "ao contorno da ilha, rochas, baleias e barris de vinho. "

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Tal como acontece com muitos casos em que uma estrutura destina-se a fazer referência a muitas formas diferentes, todas essas comparações são verdadeiras, mas ao mesmo tempo nenhuma delas contam a história verdadeira. Em vez disso, o projeto do Cella Bar visa conciliar a natureza paradoxal do projeto: o desejo de criar um bar de vinhos contemporâneo em um ambiente costeiro tradicional, e trazer algo novo para a estrutura que melhoraria o edifício existente.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

É, portanto, a ligação entre o novo e o velho que fornece o elemento mais fascinante do projeto. No nível mais baixo, os interiores de madeira infiltrar-se através da parte ortogonal do edifício, enquanto no nível superior um terraço estabelecido em relação à estrutura preexistente derrama-se sobre a parte superior da nova adição.

Residências: Casa Vila Matilde / Terra e Tuma Arquitetos

© Pedro Kok
© Pedro Kok

A casa Vila Matilde do Terra e Tuma Arquitetos não é apenas uma casa para uma casal de idosos sem dinheiro; ela pode também ser adequadamente descrita como uma corrida contra o tempo. O projeto começou em 2011, quando o filho da Sra Dalva se aproximou dos arquitetos cogitando a possibilidade de substituir sua dilapidada casa antiga. Ficou claro que a mudança para um local diferente, longe de sua família, e mais longe do centro de São Paulo, não era uma opção.

© Pedro Kok
© Pedro Kok

A ideia do projeto voltou à tona em 2014, quando a casa original da Sra. Dalva começou a desmoronar. Obrigados a gastar suas economias em um alojamento temporário, a velocidade tornou-se um requisito fundamental já que o orçamento do cliente estava sendo gasto em pagamentos de aluguel. Dentro de 10 meses, a estrutura antiga foi removida e uma nova construída no seu lugar.

© Pedro Kok
© Pedro Kok

A nova edificação, feita pelo Terra e Tuma é uma construção ultra-simplista de blocos de concreto. Mas, graças à disposição criativa e incluindo um pátio central, amplas janelas e nítidos detalhamentos, o projeto é um tour-de-force expressando a dignidade de materiais simples, mostrando que uma escassez de orçamento e tempo não significa necessariamente que uma boa arquitetura esteja fora de alcance.

Habitação: A Grande Muralha da Austrália / Luigi Rosselli

© Edward Birch
© Edward Birch

Com a sua vegetação escassa, o lote apresenta-se como um bom lugar para uma fazenda de gado no sertão. Felizmente, terra é algo que a Austrália tem de monte e o país é conhecido por ter algumas das maiores fazendas do mundo (a maior, Creek Station Anna no sul da Austrália, é notoriamente maior do que países como a Eslovênia e Israel). No entanto, tal escala colossal traz um desafio arquitetônico único: durante a temporada, quando o gado é transportado, os funcionários muitas vezes passam semanas longe da principal propriedade do rancho.

© Edward Birch
© Edward Birch

Na busca por uma solução para este problema, Luigi Rosselli se baseou na própria terra. Sua linha de dormitórios é demarcada por uma irregular parede de taipa de um lado; e do outro, a parte posterior da estrutura é coberta com uma faixa de terra, o que significa que a construção impressionante é feita simultaneamente a partir da parte do solo que em está assentada. Toda essa terra serve a um propósito também, fornecer massa térmica significativa para regular a temperatura interior dos dormitórios.

© Edward Birch
© Edward Birch

Apesar da localização robusta e breve, o edifício é tão refinado quanto se vê. Toldos de aço corten complementam o projeto com cores ricas enquanto produz sombra do interior da edificação e proporciona a cada varanda, privacidade. No alto do monte de terra em si, uma pequena capela oval forma a peça central, espiritual e comunitária do conjunto.

Reforma: Casa em Guimarães / Elisabete de Oliveira Saldanha

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

Na reforma desta grande casa de quatro pavimentos, em Portugal, Elisabete de Oliveira Saldanha enfrentou um dilema familiar: quanto da estrutura original que se deve preservar, quanto se deve atualizar e como relacionar as novas adições com o tecido histórico do edifício?

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

A solução da arquiteta para o problema foi igualmente desafiadora: tratar todos os espaços individualmente. Fazendo estas perguntas separadamente para cada parte do edifício, o resultado é uma tapeçaria de espaços magistralmente remodelados, com alguns aparecendo quase inteiramente originais e outros aparentemente novos.

© Fernando Guerra | FG+SG
© Fernando Guerra | FG+SG

O layout do edifício original ajudou nesta tarefa: localizado em um terreno inclinado, as muitas mudanças de nível e plano cria uma seqüência rica de que é bem adequada para os tratamentos variados do tecido histórico.

Arquitetura Industrial: Fábrica na terra / Ryuichi Ashizawa Architect & Associates

© Kaori Ichikawa
© Kaori Ichikawa

Localizada entre um distrito industrial e a selva da Malásia, esta fábrica deixa claro em qual de seus vizinhos se inspira. Mascarando o edifício industrial quadrado com paredes verdes e uma grande copa que conecta o telhado jardim até o térreo, o projeto é repleto de recursos sustentáveis, desde a cobertura, que atua como isolamento e recolhimento das águas pluviais.

© Kaori Ichikawa
© Kaori Ichikawa

No entanto, ao contrário de muitos outros edifícios sustentáveis (e, na verdade, ao contrário dos edifícios industriais tradicionais), a fábrica não é simplesmente uma homenagem mecânica à eficiência e economia. Ryuichi Ashizawa Architect & Associates quis projetar um espaço que "faria os trabalhadores islâmicos orgulhosos do seu novo ambiente de trabalho", incorporando elementos como pilares inspirados na arquitetura islâmica e um caminho na cobertura que os trabalhadores podem utilizar para o exercício e de lazer.

© Kaori Ichikawa
© Kaori Ichikawa

O projeto resultante dialoga perfeitamente com ambos aspectos técnicos e humanísticos da sustentabilidade, criando um edifício que faz parte de uma paisagem rica de gramados verdes, colinas e lagoas; literalmente a fábrica na terra e da terra.

Arquitetura Educacional: Escola de Arquitetura do Royal Institute of Technology / Tham & Videgård Arkitekter

© Åke Eson Lindman
© Åke Eson Lindman

Nas palavras dos arquitetos, este local no Instituto Real de Tecnologia da Suécia "pode ser descrito como o oposto de uma lousa em branco". Inserido em um pátio entre uma série de prédios de tijolos do século XX, a nova Faculdade de Arquitetura tenta interromper a atmosfera do pátio o mínimo possível - apesar do fato de que agora é amplamente ocupada por um edifício de seis pavimentos.

© Åke Eson Lindman
© Åke Eson Lindman

A tentativa de alcançar essa meta difícil começa com o exterior do edifício, onde a fachada de aço corten oferece uma resposta moderna ao tijolo vermelho dos edifícios circundantes, enquanto paredes curvas asseguram a continuidade dos espaços que permanecem no pátio. No interior, esta abordagem continua com eixos visuais e caminhos abertos através do térreo para encorajar um "campus livre", onde o interior do edifício é uma parte do próprio pátio. Isto é possibilitado através do uso de paredes curvas, formando uma relação clara entre o exterior e o interior do edifício e que define uma série de espaços impressionantes, tais como o atelier de pé-direito duplo e área de exposição.

© Åke Eson Lindman
© Åke Eson Lindman

Como resultado, este projeto feito por Tham & Videgård Arkitekter, é um excelente exemplo de um edifício que, com sensibilidade, responde ao seu contexto - e não apenas através do seu tratamento externo, mas em seu design interno também.

Arquitetura Hospitalar: Dormitório Partners In Health / Sharon Davis Design

© Bruce Engel
© Bruce Engel

Em 2011, o recém construído Hospital Butaro, em Ruanda, alcançou aclamação da crítica, iniciando o sucesso de seus arquitetos, MASS Design Group. Um ano mais tarde, em resposta ao fato de que a melhoria da assistência ao paciente requer também bons médicos e boas instalações, a Habitação para os médicos de Butaro foi construída. Os parceiros do Hospital em Rwinkwavu, Ruanda Village Enterprise, Parceiros na Saúde e o Ministério da Saúde de Ruanda estão mais uma vez trazendo um pensamento progressista para os cuidados de saúde no país Africano.

© Bruce Engel
© Bruce Engel

Desta vez, desenhado por Sharon Davis Design, o modelo para os parceiros de Rwinkwavu é o mesmo que o utilizado na residência dos médicos em Butaro: proporcionar condições de vida de alta qualidade para os funcionários, e assim aumentar as chances de trazer indivíduos talentosos para trabalhar em áreas rurais, onde são desesperadamente necessários, em vez de nas cidades onde podem haver oportunidades de renda mais elevada. O design do edifício leva em conta o clima difícil, incorporando um telhado ventilado e reentrâncias profundas para proteger contra o sol e a chuva, enquanto uma tela feita de eucalipto envolve o edifício para proporcionar privacidade aos moradores.

© Bruce Engel
© Bruce Engel

O edifício de Sharon Davis Design não só dirige o olhar para o futuro da aldeia. Foi tomado um grande cuidado durante a construção para assegurar que o edifício fosse sustentável ambiental e socialmente. Todos os materiais de construção foram adquiridos em Ruanda, com a maioria vinda da área local, enquanto a construção foi principalmente local, com pelo menos 1/3 do trabalho realizado por mulheres, na tentativa de reverter o desequilíbrio entre os sexos que retarda o desenvolvimento econômico. Graças a estes esforços, o edifício transforma muito mais do que somente a saúde de Rwinkwavu.

Arquitetura Coorporativa: Edifício Sede do Banco Intesa Sanpaolo / Renzo Piano Building Workshop

© Enrico Cano
© Enrico Cano

Em um momento onde muitos são céticos em relação aos arranha-céus - acreditando que eles sejam símbolos de desigualdade e falta de cuidado para o resto da cidade - pode parecer uma atitude quase suicida para a Intesa Sanpaolo ao perfurar o horizonte de Turim de forma tão dramática com esta construção. No entanto, a criatividade arquitetônica de Renzo Piano Building Workshop fez o segundo edifício mais alto da cidade, estando a apenas alguns metros do famoso Mole Antonelliana de Turim, uma adição valiosa para a paisagem urbana.

© Enrico Cano
© Enrico Cano

A seção do meio do edifício, torna-se 75% da sua altura e compreende escritórios para o cliente, no entanto, é o uso da parte superior e a parte inferior da torre que demonstram o seu valor para a cidade. Nos andares inferiores existe um espaço para apresentações com 364 lugares, enquanto o topo do edifício dispõe de um restaurante, sala de exposições e terraço na cobertura em torno de um terraço-jardim verdadeiramente atraente.

© Enrico Cano
© Enrico Cano

Externamente, o edifício não chama a atenção para si mesmo. Seu aço branco combinado com painéis de vidro e placas fotovoltaicas mais escuras dialogam com as montanhas ao norte da cidade, enquanto diferentes partes do edifício, juntamente com as suas rotas de circulação vertical, são claramente legíveis na sua animada fachada. Como resultado, a torre Intesa Sanpaolo é um exemplo perfeito da combinação de humildade com benefício público em um edifício que remodela a cidade para melhor.

Arquitetura Cultural: Ópera de Harbin / MAD Architects

© Hufton+Crow
© Hufton+Crow

Como uma das muitas cidades em rápida expansão da China, Harbin tem atingido uma população de quase 7 milhões com poucas presenças culturais significativas. Com o objetivo de corrigir este desequilíbrio, em 2010 a cidade encomendou ao escritório MAD Architects um masterplan para uma nova "ilha cultural" para a cidade. A peça central desta ilha é a Ópera House, também desenhado por MAD.

© Hufton+Crow
© Hufton+Crow

O projeto surge de uma relação com as zonas úmidas adjacentes; em particular, durante os longos invernos experimentadas pela "cidade de gelo" da China, o edifício branco se funde com a paisagem. O Architectural Review descreve como a aparência externa do edifício e da praça mostrou "uma vontade deliberada para criar um cenário surreal", mas, é o interior do edifício que o distingue de outras obras de arquitetura. Em particular, a principal sala de espetáculos revestida em madeira, construída ao longo de 4 meses por uma equipe de 50 artesãos, que destaca-se como um objeto de beleza dentro do cenário dramático do edifício.

© Hufton+Crow
© Hufton+Crow

É essa atenção aos detalhes que marca a Ópera House de Harbin como digna de um prêmio, enquanto outras grandes obras de arquitetura estão caindo em desuso. Embora à primeira vista o edifício possua semelhanças com tais estruturas, em uma análise mais próxima percebe-se que se trata de uma obra completa e pura da arquitetura.

Arquitetura Deportiva: Estádio Matmut Atlantique / Herzog & de Meuron

© Iwan Baan
© Iwan Baan

Numa época em que os estádios estão se tornando espaços cada vez mais complexos - confundindo aglomerações de entretenimento, distração, comércio, serviços e circulação, tudo embrulhado em uma fachada obscurecida - o novo Estádio de Herzog & de Meuron (oficialmente conhecido como o Estádio Matmut Atlantique) é uma lufada ar fresco.

© Francis Vigouroux
© Francis Vigouroux

O projeto, conforme a descrição dos arquitetos, é "leve, aberto e elegante, se tal termo pode ser utilizado para um edifício deste tamanho "elegância é de fato o termo correto, que demonstra a capacidade deles em reduzir a tipologia do estádio aos seus elementos básicos:. telhado, arquibancada, estrutura, circulação e entrada. Não só o projeto simplifica estes cinco elementos, mas também coloca-os em exposição - todos são imediatamente visíveis a partir do exterior do estádio, e os visitantes quase podem ver a rota para o seu lugar antes mesmo de pôr os pés nos degraus do edifício.

© Francis Vigouroux
© Francis Vigouroux

Em sua descrição do edifício, os arquitetos provisoriamente traçam uma comparação com templos gregos clássicos, comparando as estruturas do pedestal, colunas e teto. Esta não seria a primeira vez que um estádio europeu tem sido comparado a um edifício religioso, como em muitos países, a equipe de esportes ultrapassou a religião como o foco principal das comunidades. Ao despir os acréscimos desnecessários para a experiência do espectador, o projeto de Herzog & de Meuron coloca essa reverência ao esporte em foco.

Arquitetura de Interiores: Casa da Vans Londres / Tim Greatrex

Cortesia de Tim Greatrex
Cortesia de Tim Greatrex

Localizado em 5 túneis sob os trilhos da ferrovia da estação de Waterloo, em Londres, a Casa da Vans está situada numa localização única, perfeitamente adaptada à mentalidade do skate que valoriza o uso criativo do espaço urbano. No entanto, isso não significa necessariamente que o projeto seria fácil: com os arcos de tijolos protegidos do tecido histórico, era proibido alterar a sua estrutura ou adicionar qualquer fixação permanente na alvenaria ("a ironia não foi perdida com a Vans 'Off the Wall' ocupando o local ", acrescenta o Tim Greatrex na descrição do projeto).

Cortesia de Tim Greatrex
Cortesia de Tim Greatrex

O projeto também apresentou uma série de outros desafios complexos, tais como a forma adequada e uniformemente para o skatepark sem acesso à luz natural, e como projetar elementos mais prosaicos do desenho, como o contador de entrada de uma forma que incentiva a interação do skatistas.

Cortesia de Tim Greatrex
Cortesia de Tim Greatrex

O interior resultante, produzido em colaboração com o skatista profissional e designer Pete Hellicar e o designer de skatepark Marc Churchill, é uma série complexa e encantadora de espaços que encarnam completamente os ideais da marca Vans, proporcionando uma experiência multi-propósito para os skatistas que mergulham completamente em seu hobby.

Arquitetura Religiosa: Capela Espiral / NAP Architects

© Koji Fujii / Nacasa & Partners Inc
© Koji Fujii / Nacasa & Partners Inc

A Capela Espiral do NAP Architects pode ser encarada como um edifício composto quase inteiramente por movimento. Composto de duas escadas helicoidais que encontram-se nas suas cúpulas, o edifício não tem paredes ou tetos no sentido tradicional. Em vez disso, as escadas criam o formulário da capela, com as lacunas entre elas preenchidas simplesmente com vidro.

© Koji Fujii / Nacasa & Partners Inc
© Koji Fujii / Nacasa & Partners Inc

Este conceito de movimento congelado emergiu a função do edifício como uma capela para casamentos em um complexo de hotel. O objetivo das escadas era "arquitetonicamente encarnar o ato do casamento de uma forma pura", com o casal subindo cada um em uma escada e reunidos no topo com vistas espetaculares sobre a costa japonesa. Cercado pelas escadas, um espaço capela com 80 lugares hospeda a cerimônia em si.

© Koji Fujii / Nacasa & Partners Inc
© Koji Fujii / Nacasa & Partners Inc

O prêmio Building of the Year do ArchDaily dá seguimento à um excelente período para Hiroshi Nakamura e seu estúdio NAP Architects. No final do ano passado, o estúdio não foi premiado não somente com um, mas sim dois projetos "altamente votados" no prêmio AR Emerging Architecture. Se a fusão de forma e simbolismo mostrados na Capela em Espiral é algo tão impressionante, essa não será a última vez em que ouviremos falar do estúdio NAP Architects.

Sobre este autor
Rory Stott
Autor
Cita: Stott, Rory. "14 Histórias por trás dos vencedores do Building of the Year Award " [The 14 Stories Behind the 2016 Building of the Year Award Winners] 04 Fev 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/782593/14-historias-por-tras-dos-vencedores-do-building-of-the-year-award> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.