O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Vídeos
  3. Vídeo: OLED - a nova arte da luz / Philips Lumiblade

Vídeo: OLED - a nova arte da luz / Philips Lumiblade

Vídeo: OLED - a nova arte da luz / Philips Lumiblade
Vídeo: OLED - a nova arte da luz  / Philips Lumiblade, © vía contemporist
© vía contemporist

A OLED (Organic Light-Emitting Diodes) representa o passo seguinte na evolução das novas fontes de luz, geradores de luz de semicondutores, ao invés de utilizar um filamento ou gás. Como na iluminação em LED, OLED proporcionam uma iluminação que é energeticamente mais eficiente, duradoura e sustentável. Também abre novas portas para a utilização, integração e o jogo com a luz, para fins de criação de desenhos decorativos, e o ambiente de nossas cidade - nos lares, escritórios, comércios e hotéis.

Mais informações, abaixo.

Paredes que brilham intensamente, aberturas e móveis substituirão as lâmpadas e LEDs nos lares, pelo OLED (organic light-emitting diode) que melhora a tecnologia, segundo Dietmar Tomás de Philips Lumiblade. "Imagine as janelas onde se integram os OLED transparentes", disse Thomas. "Durante o dia, o sol brilha no cômodo, e pela noite, não será necessário acender a lâmpada do teto ou a da parede, isso será mudado na janela".

A baixa temperatura de trabalho dos OLED - ao redor de 30 graus centígrados - significa que a fonte de iluminação pode ser integrada a móveis, como disse Thomas, inclusive em paredes. "OLED se abrirá por completo à novas formas, onde a luz pode se apresentar ao cliente". "Em um futuro não muito longínquo, digamos que daqui cinco ou 10 anos mais ou menos, será possível pintar as paredes com uma cor com OLEDs mesclada à ela, e assim, quando aplicada uma corrente, toda a parede se ilumina."

OLED gera luz quando a eletricidade passa através de suas camadas de material semiconductor orgânico, fabricados em vidro. "OLED é a primeira fonte de luz que é uma fonte da superfície", disse Thomas. "Todas as fontes de luzes são outras fontes de luz, começando a chama, a vela e até a lâmpada, e o LED. Pela primeira vez, não será necessário um sistema para difundir a luz. O sistema está construído dentro".

Hoje, OLED tem um formato de 2mm de espessura, e seu tamanho máximo e de 12 x 12 cm, porém em um futuro próximo, terá menos de um milímetro de espessura e até um metro quadrado, prevê Thomas. Ainda que atualmente sejam relativamente caros, os preços deverão baixar drasticamente: "Espero que os OLEDs possam estar no mercado de masas nos próximos cinco anos, assim todo mundo pode comprar sistemas OLED na IKEA por exemplo", disse Thomas.

Lumiblade é o nome comercial dos produtos de iluminação OLED da Philips e o Lumiblade Creative Lab colabora com designers para introduzir o OLED no mercado, ajudando a desenvolver possíveis usos inovadores dessa tecnologia. Produtos que são exibidos no laboratório incluem protótipos por Tom Dixon, Jason Bruges e Random International.

Outros usos futuros dos OLEDs incluem automóveis, onde sua espessura, em comparação com o LED, permitirá aos designers de automóveis proporcionem mais espaço interno ou o desenho de veículos mais curtos.

Sobre este autor
Cita: Yávar, Javiera. "Vídeo: OLED - a nova arte da luz / Philips Lumiblade" [Video: OLED - el nuevo arte de la luz / Philips Lumiblade] 07 Jan 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Britto, Fernanda) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/90297/video-oled-a-nova-arte-da-luz-slash-philips-lumiblade> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.