O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Bienal de Veneza 2012: Pavilhão da Suíça

Bienal de Veneza 2012: Pavilhão da Suíça

Bienal de Veneza 2012: Pavilhão da Suíça
Bienal de Veneza 2012: Pavilhão da Suíça, © Nico Saieh
© Nico Saieh

Depois de ter sido nomeado para representar a Suíça na Bienal de Arquitetura de 2012, em Veneza, o arquiteto e professor universitário Miroslav Šik decidiu unir forças com outras duas empresas suíças – Knapkiewicz + Fickert de Zurique e Miller & Maranta de Basel – com quem tem trabalhado em conjunto por muitos anos. Eles criaram o que chamam de “um conjunto e uma atmosfera de abordagem para arquitetura urbana”, e decidiram ilustrar esses conceitos unindo imagens de seus próprios edifícios e projetos para criar uma exposição de no estilo colagem.

© Nico Saieh

Um edifício recém-criado ou redesenhado invariavelmente entra em diálogo com o seu ambiente imediato através do seu design, o clima que evoca e sua função, mesmo que a construção pareça ser fragmentária ou peculiar. Compreender as características e a identidade de um local todos os dias, permitindo-as permear qualquer projeto novo e misturando o velho e o novo em um conjunto vivo requer uma grande quantidade de empatia, habilidade arquitetônica elevada e um profundo conhecimento de tradições locais históricas e arquitetônicas.

© Nico Saieh

Projetando novas unidades dentro de um conjunto existente não chama para a imitação de um dado modelo urbano, mas requer uma interpretação da localização em contra partida de comprovadas e passadas  soluções , modernização moderada e do uso de elementos estranhos para adicionar um novo sabor para a atmosfera do todo.

© Nico Saieh

O objetivo é um conjunto com um forte efeito espacial e um clima distinto, para transformar uma mistura de construções historicamente crescidas solo em um todo orquestrado. Tal abordagem de design e arquitetura permite uma contemporânea, bem como forma contínua de desenvolvimento urbano, além do modernismo e pós-modernismo.

© Nico Saieh

Se por outro lado, o elemento de diálogo é negligenciado, se o evento de moda e arquitetura estrela é o método aplicado, o resultado pode ser bem formado e espetacular, mas está sozinho sem relação com seu entorno. A soma desses edifícios é o caos em vez de um conjunto e, ironicamente, mais um passo para a monotonia global.

© Nico Saieh

O mural/colagem é o trabalho do fotógrafo Michael Zirn e sua equipe, que já transformaram o Pavilhão em uma câmera enorme oscura, com uma sequência de imagens desenvolvidas ao longo das paredes.

© Nico Saieh

Miroslav Šik e seus associados compuseram os arquivos de imagem, destacando uma combinação de seus projetos existentes, em formato digital. Eles foram, então, entregues a Michael Zirn, que ardilosamente os transformou em negativos fotográficos e os transpos sobre as paredes do pavilhão. Zirn adotou uma técnica analógica muito tradicional: as fotografias foram desenvolvidas, no entanto, não no formato clássico 20x30cm mas em 280m² de de espaço de parede, para criar provavelmente a maior fotografia analógica exibida na parede.

© Nico Saieh

Zirn e seus colegas Joachim Seinfeld e Claus Feldmann trabalharam em Giornate, como se a criassem uma pintura a fresco, cobrindo uma área de 25/30 m² cada dia de trabalho. A emulsão sensível à luz foi aplicada à área de parede em questão e a imagem ampliada foi então projetada sobre ela. Depois de um dado tempo de exposição, a imagem foi desenvolvida para obter o resultado final. Trabalhando dia a dia, desta forma, eles compuseram este enorme panorama analógico, uma cidade virtual destinada a existir apenas dentro das paredes do pavilhão suíço.

Cita: Fernanda Britto. "Bienal de Veneza 2012: Pavilhão da Suíça" 01 Nov 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/78502/bienal-de-veneza-2012-pavilhao-da-suica> ISSN 0719-8906