O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Bienal de Veneza 2012: "JEDAN:STO / 100" - Pavilhão Sérvio

Bienal de Veneza 2012: "JEDAN:STO / 100" - Pavilhão Sérvio

Bienal de Veneza 2012: "JEDAN:STO / 100" - Pavilhão Sérvio
Bienal de Veneza 2012: "JEDAN:STO / 100" - Pavilhão Sérvio, © Marija Strajnić
© Marija Strajnić

 

Como resposta ao tema “Common Ground” de David Chipperfield para a Bienal de Veneza de 2012, os autores do pavilhão sérvio criaram o JEDAN:STO / 100 – uma instalação que representa o arquétipo de uma mesa em seu significado extremo ao estica-la a uma escala monumental, fazendo com que sua superfície ocupe o interior retangular do pavilhão. Este gesto minimalista rompe com a ideia comum de mesa, agregando ao objeto uma infinidade de metáforas que estimulam a reflexão e encorajam os visitantes a observarem o que acontece em torno da instalação.

A solução que propomos é uma mesa cuja superfície preenche quase todo o pavilhão. Ao negar ou inverter a escala, buscamos levar o objeto ao seu significado extremo, ou seja, o universal, o indivisível, o escultural, o banal.

Seu tamanho é traduzido em uma superfície. Sua altura se relaciona com a noção de mesa. Ocupamos o interior do pavilhão com uma lacuna projetada. A solução é escultural, pois uma de suas dimensões é enfatizada, isto é, ampliada em uma escala monumental. Queríamos enfatizar o termo – grande área vazia.
A relação entre a superfície da mesa e o volume do pavilhão cria uma tensão e define seu valor. A percepção é o tema que surge e que mais pertence a esta atmosfera. O simples é associativo e está sujeito à diversidade em percepção. A impossibilidade de perceber o objeto como um todo e sua transição para uma superfície é o que o torna belo.

Cortesia dos Autores

Um versus Cem (em servo, mesa e cem são homônimos) pelo comissário Phd Arquiteto Igor Marić

Uma grande mesa, de 22 x 5 metros no espaço retangular do pavilhão, em torno da qual os visitantes passeiam em um corredor de 1,5 metros formado entre o objeto e as paredes do pavilhão. O todo da instalação conta também com a imagem das pessoas em torno da mesa bem como os efeitos sonoros criados pelo contato dos visitantes com a mesa.
Um contra cem (ou um contra mesa) é uma metáfora possível de “common ground”? Estamos sempre sozinhos em uma infinidade de coisas? Estamos sempre sozinhos, uns contra os outros? Em qualquer caso, está claro que um indivíduo compartilha uma “mesa” comum com muitos outros e que está sempre em um “território comum”, um espaço no qual nós nos criamos. O gesto de criar o volume da mesa – a superfície no pavilhão – é um gesto minimalista.
Tudo é branco, o branco é decomposto em um espectro de cores assim como a mesa é decomposta em uma infinidade de metáforas. Assim, a arquitetura criada é capaz de nos fascinar, despertando-nos de um sonho, incitando a reflexão e encorajando-nos a observar o que acontece ao nosso redor. O interior se torna o exterior – não somos circundados por paredes vazias, mas pela arquitetura que se coloca entre o cheio e o vazio, a definição do objeto posicionado se torna uma diversidade de percepção. Os movimentos fazem o espaço pulsar, o som preenche o silêncio, tocamos a superfície, olhamos uns para os outros e ouvimos uns aos outros. Isso nos separa ou nos une?
Queremos usar esta mesa para trabalho, conversas, negociações ou como uma mesa de jantar? Seu tamanho e sua disposição no espaço são, talvez, artificiais o bastante para nos libertar para usa-la de qualquer forma ou não? Podemos dominar seu tamanho e sua experiência artística no espaço ou isto depende de nós?
Quantas infinidades podem existir em um gesto minimalista proporcionado pelo autor da instalação desde o conceito de menos é mais? Deveríamos encontrar uma resposta para esta questão. Uma das “cem” respostas para o tema “common ground” que serão propostas neste ano na 13ª Bienal de Arquitetura de Veneza e, como acredito, não há uma fórmula para isto, consiste precisamente em uma infinidade de opiniões.

Cortesia dos Autores

 

Resumo pelos autores

Projeto: JEDAN:STO / 100 (in Serbian table and hundred are homonyms)
Encarregado: PhD Arch Igor Marić
Curadoria : PhD Arch Igor Marić
Assistentes de Curadoria : PhD Arch Vladimir Milenković , Assistant Professor Arch Milan Djurić
Apoiadores: Ministry of culture, media and information society of Republic of 

Autores: Marija Strajnić, Marija Miković, Olga Lazarević, Milan Dragić, Janko Tadić, Nebojša Stevanović, Aleksandar Ristović, Marko Marović, Miloš Živković and Nikola Andonov

Sobre este autor
Fernanda Britto
Autor
Cita: Fernanda Britto. "Bienal de Veneza 2012: "JEDAN:STO / 100" - Pavilhão Sérvio" 24 Ago 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/66632/bienal-de-veneza-2012-jedan-sto-100-pavilhao-servio> ISSN 0719-8906